Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Alimentos que conduzem à saúde - probióticos e prebióticos


A combinação de probióticos e prebióticos pode ser uma das melhores formas de deixar o organismo mais saudável
Por Adenilde Bringel

O uso combinado de alimentos com microrganismos vivos – probióticos, principalmente lactobacilos e bifidobactérias – e fibras solúveis – prebióticos – vem sendo muito estudado por cientistas de várias partes do mundo para demonstrar a ação benéfica dessa simbiose para a saúde do intestino e, conseqüentemente, de todo o organismo. Entre os benefícios constatados dessa ação conjunta estão o controle de diarréias e obstipações, com a estabilização do trânsito intestinal, especialmente nos casos de doenças inflamatórias intestinais como a retocolite ulcerativa, a síndrome do intestino irritável e a Doença de Crohn. Embora ainda não existam estudos totalmente conclusivos sobre essa simbiose, nutricionistas, médicos e outros especialistas têm utilizado cada vez mais alimentos probióticos e prebióticos para garantir a saúde da microbiota intestinal de seus pacientes.

A nutricionista Luciana Z. Coppini, do Grupo de Nutrição Humana (Ganep), de São Paulo, explica que a partir da fermentação da fibra solúvel ocorre a liberação de ácidos graxos de cadeia curta, que possuem efeito benéfico para o trânsito intestinal. Segundo a especialista, vários estudos já indicam que, quando a fibra é associada à ingestão de alimentos probióticos, os resultados são ainda mais rápidos e melhores. “Usamos bastante os probióticos em consultório, com indicação de leite fermentado ou cápsulas, dependendo da preferência do paciente”, esclarece. A nutricionista ressalta que, embora os iogurtes sejam compostos de microrganismos vivos, só podem ser considerados probióticos os alimentos que contenham bactérias resistentes à passagem pelo estômago e pela bile para que cheguem vivos e em grande quantidade ao intestino. “Para isso, além de as bactérias probióticas terem de ser altamente resistentes, é preciso respeitar a data de validade dos produtos e refrigerar de maneira adequada”, argumenta a especialista.

Luciana Coppini explica que prebióticos são alimentos não-digeríveis que exercem efeito benéfico no organismo por meio da estimulação da atividade de determinadas bactérias no intestino, o que contribui para a saúde da microbiota intestinal. Entre os alimentos ricos em oligossacarídeos não-digeríveis estão os cereais integrais, farelo de aveia, frutas (com casca), laranja (bagaço), verduras, folhas verdes e leguminosas. Entretanto, a especialista ressalta que, para que tenha efeito benéfico para o intestino, é necessário aliar uma dieta saudável à ingestão de, pelo menos, dois litros de água por dia. “Também é possível encontrar suplemento prebiótico industrializado em drogarias, para pessoas que tenham poucas condições de fazer uma alimentação mais completa todos os dias”, informa. A nutricionista sugere a ingestão de um frasco de leite fermentado ou iogurte probiótico por dia – no caso do regulador intestinal Yakult LB, a indicação é de um sachê por dia – aliado à dieta com fibras ou suplemento prebiótico. “Mas isso tem de ser regular, do contrário não funciona”, adverte.

Resultados rápidos – A nutricionista também prescreve alimentos probióticos para pacientes no pós-operatório de grandes cirurgias e, na segunda fase de recuperação, passa a administrar, conjuntamente, a fibra solúvel. “O efeito é muito bom para a recuperação do trânsito intestinal e melhora a sensação de empachamento típica desses pacientes”, enfatiza. A homeopata Carmela Maria Vieira Pedalino afirma que usa os probióticos em pacientes submetidos à antibioticoterapia, sempre que é necessário utilizar a alopatia nos tratamentos, porque esses medicamentos provocam uma disbiose intestinal. Além disso, utiliza em indivíduos com carga expressiva de estresse, que leva a um colapso do sistema imune e favorece o ataque de bactérias patogênicas, e em casos de alergias.

“É possível ver os resultados clínicos rapidamente, com melhora de sintomas físicos, de flatulência e de problemas digestivos”, assegura. A médica explica que também estabelece uma meta alimentar para cada paciente, com nutrientes essenciais e fibras. “Primeiro tratamos o problema agudo e, em seguida, entramos com a prescrição de probióticos e mudança de dieta”, reforça, ao emendar que, em casos muito graves, prescreve os lactobacilos e as bifidobactérias de imediato, principalmente em pacientes muito intoxicados e com comprometimento de órgãos como fígado, rins, pulmão e pele.

Estudos demonstram ação benéfica

gastroenterologista Flavio Steinwurz, presidente da Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn, concorda que o uso de probióticos melhora as condições da microbiota, favorece a melhoria do ambiente intestinal com a introdução de bactérias protetoras e regula a permeabilidade da barreira da mucosa intestinal. O médico conta que há trabalhos que indicam a ação benéfica dos probióticos na retocolite ulcerativa, embora alguns resultados ainda sejam controversos. Um dos trabalhos, conduzido nos Estados Unidos e confirmado na Itália, indicou que os probióticos podem ajudar a evitar a bolsite, complicação pós-colectomia total com anastomose íleo-anal com bolsa. Os pesquisadores dividiram os voluntários em dois grupos e conseguiram demonstrar que o uso de lactobacilos e bifidobactérias reduziu para 10% a possibilidade de bolsite nos pacientes submetidos à terapia probiótica, enquanto 40% do grupo que não recebeu probióticos desenvolveu o problema. “Houve uma grande mistura de cepas nesse experimento, mas o resultado foi importante”, diz o médico.

Para Carmela Pedalino, embora ainda não existam comprovações científicas conclusivas da ação de probióticos e prebióticos, com a prática clínica diária é possível afirmar que os alimentos funcionam, tanto em conjunto quanto separadamente. “Os probióticos são novidade no meio médico e carecem de mais pesquisas e maior investigação, mas a experiência clínica demonstra que têm ação muito favorável”, destaca. A médica afirma que os resultados dependem muito do engajamento do paciente, entretanto, confirma que os que cumprem todo o protocolo atingem resultados quase imediatos, com melhora da pele, cabelos, digestão e imunidade, diminuição do estresse e de suas repercussões.

Fonte: Yakult

Alternativas aos produtos industrializados (nota de Luis Guerreiro):

Kefir, Chucrute, Coalhada

0 comentários: