Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

terça-feira, 15 de abril de 2008

Transgênicos levam mais fome e exclusão à população do campo, avalia ativista


Investir na reforma agrária, na distribuição de terras e no fortalecimento da agricultura familiar como o modelo produtivo que gera mais emprego, é ambientalmente mais sustentável e distribui mais renda são as três propostas alternativas ao plantio de transgênicos no Brasil defendidas na sexta-feira (11) pelo representante da campanha Acabar com o Terminator, Julian Pérez.


"A saída no Brasil é mais evidente do que em qualquer outro país, 70% do que vai para o prato dos brasileiros é produzido pela agricultura familiar. É um sistema que produz mais alimentos para os brasileiros, e não só commodities (bens primários com cotação internacional)."

Ao participar do segundo dia da Conferência Especial pela Soberania Alimentar, pelos Direitos e pela Vida, Pérez avaliou que o terminator - tecnologia que altera a semente com a finalidade de gerar plantas estéreis - representa um risco potencial, caso a transgenia seja propagada no mundo.

"O agricultor compra a semente, planta e a semente que ele colhe não vai nascer de novo. Um ano após o outro, o agricultor vai ter que estar sempre comprando semente da indústria. O agricultor perde a sua capacidade de produzir e conservar a sua própria semente."

Ele lembra que o terminator foi desenvolvido, inicialmente, nos Estados Unidos, mas que vários países já realizam pesquisas que utilizam a tecnologia para "aprofundar o monopólio das empresas sobre a semente".

Pérez acredita que, de maneira geral, os transgênicos reforçam um modelo antigo de agricultura baseado na expansão da monocultura, na concentração das terras e dos meios de produção e, conseqüentemente, no aumento do preço dos produtos agrícolas.

"Apesar desse modelo ser propagado como um modelo que quer combater a fome, o que a gente observa é que a fome tem aumentado no mundo, mesmo tendo aumentado a produção desse tipo de alimento. Os transgênicos foram um revigoramento desse modelo, que vai levar mais fome e mais exclusão à população do campo."

A proposta de interromper a propagação da transgenia deve ser discutida até domingo (13), último dia do encontro, e posteriormente levada à 30ª Conferência Regional da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), que será realizada entre os dias 14 e 18 deste mês, em Brasília.

"Como no Brasil a relação de forças é desigual, a indústria tem um peso muito maior e é muito mais ouvida do que os movimentos sociais A gente faz um esforço de que pelo menos essa tecnologia terminator, que é um aprofundamento terrível do controle das empresas sobre a semente e da dependências dos agricultores, não seja implementada no país."

Segundo Julian Pérez, a comercialização do terminator é proibida no Brasil pela Lei de Biossegurança, mas um projeto de lei apresentado pela senadora Kátia Abreu (DEM-TO) prevê a liberação da tecnologia. Dados da campanha Acabar com o Terminator apontam que quatro empresas em todo o mundo concentram 57% do mercado de sementes e que, entre 1994 e 2006, o preço da semente subiu 250%. (Fonte: Agência Brasil)





0 comentários: