Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Receitas caseiras para cuidar do jardim


faça você mesmo

Aprenda a combater pragas e doenças com receitas naturais, que não prejudicam o meio ambiente

Para resistir ao ataque de pulgões, cochonilhas, lagartas, formigas e outras pragas e doenças, as plantas precisam estar saudáveis, com a imunidade em alta. Nesta época do ano, o aumento da temperatura é um fator de desequilíbrio, que pode afetar a saúde do jardim
e das espécies cultivadas dentro de casa. "O clima quente faz com que os insetos se desenvolvam e se reproduzam mais rapidamente. O calor também deixa as plantas vulneráveis e, por isso, elas precisam ser observadas com maior atenção", explica a professora Vanda Bueno, do departamento de controle biológico de pragas da Universidade Federal de Lavras, MG. Adepta das receitas naturais para combater as infestações, a professora lembra que mantemos um contato muito próximo com as espécies de casa. Portanto, é melhor evitar tratá-las com produtos nocivos à saúde. "Ao tocar as folhas e cheirar as flores, corremos o risco de absorver resíduos de inseticidas pesados." Para as plantas, também há prejuízos. "Além de desequilibrar o ecossistema, as substâncias químicas favorecem o aparecimento de novas pragas e doenças", afirma.

AVAL DA CIÊNCIA

Algumas fórmulas caseiras antipragas fazem parte da sabedoria popular e são comumente empregadas por paisagistas e jardineiros (veja as receitas no quadro à direita). A novidade é
que existem pesquisadores empenhados em provar cientificamente a eficácia dos defensivos
naturais. "Estamos estudando uma série de combinações e, à medida que elas forem aprovadas, divulgaremos para a população", diz o biólogo Francisco Zorzenon, do Instituto Biológico do Estado de São Paulo.

Entre os ingredientes que já têm o aval da equipe do pesquisador, estão cravo-daíndia, pó de café, pimenta-do-reino e alho fresco. Como fazer? Coloque 50 g de qualquer um deles de molho em 450 ml de água por 24 horas. Coe em peneira fina ou papelfiltro e você terá um extrato contra pulgões.

CURA RÁPIDA

A primeira vez que a arquiteta e paisagista Aline Najar recorreu a uma fórmula natural foi para tratar uma jabuticabeira de 4 m de altura tomada pelo fungo conhecido como algodão. "Ele deixa uma espécie de teia pelos galhos", diz. Para esse caso, a profissional preparou uma calda de sabão de coco. "Retirei o excesso do fungo com um pincel seco e depois passei o preparado, deixando secar naturalmente. Em quatro dias, a planta ficou curada", diz. Em outra ocasião, uma macieira com a doença ferrugem e infestada de lagartas foi tratada com extrato de alho. Levou uma semana para a frutífera recuperar o viço. Gardênias que estavam perdendo as flores devido aos ácaros foram salvas pela calda de fumo, enquanto um jardim recém-plantado ficou livre de moscas brancas com a constante pulverização de chá de hortelã. "Sempre que adoto defensivos naturais, o resultado é a total recuperação das espécies." A paisagista lembra ainda que doenças e pragas só atacam as plantas quando elas estão debilitadas devido ao excesso de calor ou de umidade, à falta de nutrientes no solo e à ventilação insuficiente.

DICAS PARA QUE AS FÓRMULAS DÊEM CERTO

- Sigas as receitas corretamente

- Coe bem os preparados para não entupir o pulverizador

- Os ingredientes naturais são voláteis, ou seja,
se perdem rapidamente. Portanto, é fazer e usar

- As aplicações têm que ser persistentes.
Pulverize dia sim, dia não e, se a infestação
for intensa, duas vezes ao dia

- Quando a planta melhorar, dê um intervalo
de 15 dias e volte a empregar a fórmula
como medida de manutenção

PRINCIPAIS PRAGAS

Aprenda a reconhecer os bichinhos que fazem estragos no jardim. Eles se alimentam de folhagens e flores e sugam a seiva das espécies. Folhas deformadas e manchadas também são um sinal de alerta.

Evelyn Müller{txtalt}
Saúva
Nem todas as espécies de formiga atacam as plantas. Antes de eliminá-las, observe se elas voltam ao formigueiro com folhas cortadas. As saúvas estão entre as mais agressivas.
Evelyn Müller{txtalt}
Pulgão
Existem diversas variedades do inseto, nas cores preta, branca e verde, mas, em geral, ele mede 1,5 mm e pode ter asas. Acomoda-se principalmente no verso das folhas.
Evelyn Müller{txtalt}
Cochonilha
Há dois tipos. A sem carapaça deixa uma secreção esbranquiçada, semelhante a um chumaço de algodão. O bichinho com carapaça traz riscos ou bolas cortadas no corpo.
Evelyn Müller{txtalt}
Lagarta

Devora folhas e flores, abrindo um caminho parecido com um túnel. Antes do tratamento, deve-se podar as partes afetadas e destruir o ninho. Use luvas na operação.

Evelyn Müller{txtalt}
Plantada nesta tina, a hortelã ajuda a afugentar insetos. Paisagismo de Caterina Poli e Sergio Menon, da Grama & Flor







0 comentários: