NutriViva no Facebook é a nossa página no Facebook onde há uma constante actividade com pratos e ideias sobre Alimentação Viva.
O blog também está acessivel em ALIMENTACAOVIVA.COM e ALIMENTACAOVIVA.INFO
Visitem o meu blog em inglês (com traduçao automática)
Raw in Copenhagen
Ao deixar um comentário referente a um artigo, por favor colar o link desse artigo.

Badge Raw Food

Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Search/ Busca

Carregando...

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

sábado, 8 de dezembro de 2007

Propriedades Curativas de algumas hortaliças mais comuns

Prof. Mário Sanchez

1 – Acelga: rica em vitamina A. Utilizada para o tratamento de reumatismo, hemorróidas, úlceras, prisão de ventre, inflamação da bexiga, colites, febres (especialmente a tifóide), etc. Usar em saladas cruas, ou sucos.

2 – Agrião: Contém grande dose de ferro, sendo recomendado para o tratamento de anemias, tuberculose, dispepsia, problemas renais, debilidade do coração, etc. Usar em saladas cruas e sucos.
Observação: durante a gravidez evitar o uso pois pode provocar aborto.

3 – Alcachofra: Rico em insulina. Recomenda-se para os diabéticos e portadores de arteriosclerose. Combate a nefrite, anemia, o raquitismo, cálculos renais, inflamações, escorbuto, paludismo, etc. Usar folhas e flor cozidos ou crus (quando tenros) e temperados com limão e cebola.

4 – Alface: Valor vitaminico: A, B1, B2, B5 e C. Saladas e sucos. Sucos dos talos e folhas – para problemas nervosos e insônia. No caso, é o leite dos talos que contém a propriedade sedativa e curativa. Portanto, o ideal é arrancar a planta com raízes, lavar bem e só depois cortar para servir em saladas e sucos. Outras propriedades: combate o reumatismo, é diurética, indicada para problemas gastrointestinais, pulmonares, etc.

5 – Alho: O condimento que também é medicamento. Contém muito potássio. Propriedade curativas: depurativo do sangue, combate febres intermitentes, favorece a digestão, combate as toxinas intestinais, expulsa vermes, combate resfriados, e deve ser usado no tratamento de varizes e pressão alta. Não exagerar no seu uso, pois pode provocar dores de cabeça, do estômago, cólicas renais, vômitos, além de provocar queda da pressão.

6 – Almeirões: escarola, chicória almeirões doces e amargos, catalonhas, dente de leão e serralha – mesmas propriedades da alface, porém mais acentuadas.

7 – Beringela: diminui o colesterol, e é indicada para problemas de estômago, baço e fígado. Usar em saladas - veja receita
Uso externo: cataplasmas com as folhas, para queimaduras, abscessos, herpes, etc.

8 – Beterraba – útil na formação de glóbulos vermelhos. Propriedades: calmante nas febres, laxante, combate a artrite e a anemia, ativa o desenvolvimento dos tecidos cerebrais, estimula o coração, regulariza o funcionamento dos rins e vias urinarias. Utilizar como sucos (tônico e refrescante), saladas (ralada crua) e xarope (combate tosse).

9 – Brócolos: "o construtor dos ossos e dos dentes". Propriedades: rico em cálcio, substitui largamente o cálcio do leite; vitamina A, combate a xeroftalmia e infecções; rico em ferro, recomendado para os anêmicos. Uso em saladas (temperado com limão e cebola).

10 - Cebola: rica em vitamina A, B e C, em potássio e outros sai minerais. A cebola é recomendada para combater a diabete (o leite), gripes em geral, sífilis, câncer, lepra, icterícia, hidrofobia, tuberculose, febre tifóide, hidropisia, gangrena, trombose coronária, etc. Pode ser usada crua (em saladas e sucos), acompanhando outros pratos como condimento.

Sopas de cebolas: cortar 4 cebolas grandes em rodelas. Refogar rapidamente em azeite. Colocar água e deixar ferver por alguns minutos. Engrossar o caldo com uma xícara de trigo de kibe (pré hidratada). Deixar ferver por mais alguns minutos. Servir morno, com gotas de limão. Obs. O trigo de kibe é cicatrizante, restaurador de tecidos e regularizador da elasticidade dos vasos sangüíneos.

11 – Cenoura: rica em vitamina A. Propriedades: combate a cegueira noturna, aumenta os glóbulos vermelhos, combate anemia. Uso em sucos (combate reumatismo, gota, nefrite, e tem propriedades laxantes); em saladas, ralada ou cortada em tirinhas (cruas);

12 – Espinafre: rico em ferro, sai minerais e vitaminas A, B1, B2, B5 e C. Indicada no combate às anemias, serve como tônico do cérebro e dos nervos, utilizado no tratamento de inflamações, tem propriedades diuréticas. Pode ser usado cru, saladas ou sucos.

13 – Nabo: Suco de nabo (xarope para tosse): cortar em rodelas finas, colocar em uma tigela e polvilhar com açúcar mascavo. Deixar durante a noite no sereno. De manhã escorrer o xarope e tomar as colheradas.

14 – Pepino: é alcalinizante, calmante, refrescante, emoliente, laxante, estimulante, mineralizante. O pepino deve ser ingerido de preferência ao natural e sem nenhum tempero.

15 – Pimentão: três tipos: o verde, vermelho e amarelo. O vermelho é riquíssima em vitamina A e C; o amarelo é uma das maiores fontes de vitamina C; o verde contém ambas. O suco de pimentão com cenoura e espinafre, tomado antes das refeições é indicado para os que sofrem de gases no tubo digestivo, com cólicas e dores abdominais. Combate as hemorróidas.

16 – Quiabo: refresca os intestinos, é indicado no tratamento de tuberculoses, pneumonia, bronquite, etc.

17 – Rabanete: Combate urticária, a artrite crônica, pedras no fígado e a icterícia. O suco é refrescante e estimulante, em saladas, ralado e temperado com limão e sal (estimula o apetite).

18 – Repolho: destaca-se pelo seu teor em ferro, cálcio e vitaminas B1 e C. É o remédio dos pobres. Em saladas, cortado bem fininho (cru) e temperado com limão, sal e cebola, é recomendado para problemas circulatórios); Como suco, friccionar o couro cabeludo, faz crescer o cabelo. Como cataplasmas, macerar as folhas e aplicar sobre a parte afetada. Serve para tratamento de erisipela, para resolver abcessos, nevralgias, dores reumáticas, etc.

19 – Salsa: Vitamina A e C, ferro. Propriedades: diuréticas, carminativas, febrífugas, estimulantes, depurativas, expectorantes, etc. Além de um tempero agradável, de suas folhas e raízes podem ser feitos sucos e cataplasmas.

Suco das folhas: pingar gotas para aliviar a otalgia; Decocção das folhas cura as disenterias; cataplasmas das folhas: sobre os olhos inflamados ou inchados, seios endurecidos, para deter hemorragias nasais (introduzir nas narinas), para aliviar picadas de abelhas; infusão das raízes é utilizada para tratamento de nefrites e cistites. Também combate os gases do estômago e dos intestinos. Obs.: Contra indicado para gestantes.

20 – Tomates: contém potássio, magnésio, cálcio, sódio, cloro e alcalinizador do sangue, hepático, laxante, tônico, de efeito anti-séptico, protege contra infecções e perturbações digestivas. Uso em saladas, molhos e sucos (com aipo para tratamento de nefrites, com salsa para artrite). Suco de tomate verde, para gargarejo, nas inflamações da garganta. O tomate cru é recomendado para quem tiver artrite, reumatismo, gota, erupções cutâneas, etc. Graças ao seu conteúdo em iodo, é com contra bócio. Nas queimaduras de sol, aplicar tomate cortado nas partes afetadas.

Livro "As delicias Naturais da cozinha alternativa"

Receitas Crudivoras

Pão dos Essênios:
2 xicaras de trigo germinado ( 8 horas de molho e 8 horas germinando )
1 cl de sopa de azeite orgânico prensado a frio
1 pitada de sal do himalaia
ervas frescas
½ xícara de água mineral
Bater tudo no liquidificador e abrir como se fosse pizza fina e depois secar no sol ou no desidratador.

Empada de Macadâmia:
2 xicaras de nozes macadamia ( 8 horas de molho )
1 cl de suco de limão
1 cl de levedo
pitada de sal do Himalaia
2 cl de água
Bater no liquidificador e abrir tipo pizza , colocar no desidratador por 7 horas depois colocar nas forminhas e voltar pro desidratador por mais 8 horas,
Recheio de legumes picados com tomate cereja e shitake cogumelo.

Você pode comer menos se comer cru

"Quando você cozinha um alimento, você destrói 50% da proteína e 70-80% das vitaminas e dos minerais, e perto de 100% dos fitotonutrientes. Você necessita comer duas vezes mais alimentos cozinhados para obter a quantidade igual de nutrientes dos alimentos vivos. Quando você come alimentos vivos e está comendo adequadamente come naturalmente metade dos alimentos."

Dr. Gabriel Cousens, M.D., M.D.(H), Diplomat Ayurveda
sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Açúcar perigoso


Agência FAPESP – Um fenômeno considerado saudável para as células, o acúmulo de açúcar – que os tecidos usam como reservas energéticas –, acaba de se mostrar ruim para os neurônios e pode explicar a origem de diversas doenças degenerativas.

A afirmação é de um estudo publicado por um grupo de cientistas espanhóis na edição deste domingo (21/10) da revista Nature Neuroscience. O acúmulo ocorre na forma de glicogênio, polissacarídeo formado a partir de moléculas de glicose e utilizado como reserva energética.

A descoberta vem de estudo feito pelo grupo espanhol da doença de Lafora, uma desordem rara, irreversível e sem cura, caracterizada pelo aparecimento precoce de crises epilépticas. Com início na adolescência, a doença é marcada pela degeneração progressiva que reduz o paciente a um estado vegetativo em um período médio de dez anos.

A doença, que leva o nome do neuropatologista espanhol Gonzalo Rodriguez Lafora (1887-1971), é herdada dos pais, que carregam mutações em um ou outro dos genes associados com a patologia. Esses genes são conhecidos como laforina e malina. A doença também é caracterizada pelo acúmulo de formações anormais em neurônios, chamados de corpos de Lafora.

O estudo descreve as funções da laforina e da malina, explica a origem dos corpos de Lafora e identifica como ocorre o processo neurodegenerativo da doença.

“Observamos que esses dois genes atuam em conjunto como guardiões dos níveis de glicogênio em neurônios e são estimulados pela degradação das proteínas responsáveis pelo acúmulo de glicose. Em uma situação na qual um dos genes deixa de funcionar, essas proteínas não são degradadas, o glicogênio se acumula e, conseqüentemente, os neurônios se deterioram e ocorre o suicídio celular programado (a apoptose)”, explicou Joan J. Guinovart, diretora do Instituto de Pesquisa em Biomedicina e da Universidade de Barcelona.

De acordo com os pesquisadores, as conclusões do estudo ajudam a aumentar a expectativa de que estratégias eficientes para tratar a doença de Lafora possam ser encontradas. Um possível caminho, segundo eles, seria identificar uma molécula capaz de inibir a síntese de glicogênio em neurônios.

Entender melhor os mecanismos que estimulam e bloqueiam a produção de glicogênio também teria um grande impacto no estudo de outras doenças neurológicas e degenerativas. “Queremos ampliar os resultados do estudo para outras patologias nas quais o glicogênio está presente em neurônios, uma vez que nossos resultados sugerem que essa molécula é parte do problema”, disse Joan.

O artigo Mechanism suppressing glycogen synthesis in neurons and its demise in progressive myoclonus epilepsy, de Joan J. Guinovart e outros, pode ser lido por assinantes da Nature Neuroscience em www.nature.com/neuro.

Vilões da pressão alta se escondem nas prateleiras dos supermercados


04/10/2007 - 11h10

A Secretaria Estadual da Saúde faz um alerta: boa parte dos alimentos industrializados disponíveis nas prateleiras dos supermercados, incluindo doces e adoçantes dietéticos, pode ser prejudicial ao coração, principalmente para pessoas com hipertensão arterial.

Diferentemente do que se imagina, não é o sal propriamente, e sim o sódio, o grande vilão da pressão alta. E essa substância está presente em outros compostos, como estabilizantes, conservantes e flavorizantes. Uma famosa marca de adoçante nacional, por exemplo, não traz no rótulo a quantidade que possui de sódio. Mas sua composição básica é sacarina sódica e ciclamato de sódio.

Olho no rótulo
Mesmo quando o rótulo do alimento não traz, na tabela nutricional, a quantia de sódio, é recomendável que pacientes hipertensos verifiquem, no rótulo, se há presença de ingredientes como glutamato monossódico, benzoato, cozeinato, citrato, nitrito, sosfato, propionato, sacarina, ciclamato, guanilato, alginato e sulfito.

“Os alimentos com maior teor de sódio são os produtos industrializados, como enlatados, temperos prontos e salgadinhos. Mas até os doces, adoçantes e refrigerantes podem conter esses compostos, que se consumidos em grandes quantidades, podem colaborar para o aumento da pressão alta”, afirma Cristiane Kovacs, coordenadora da Seção de Nutrição Clínica do hospital estadual Dante Pazzanese.

Especializado em cardiologia, o Dante desenvolve um trabalho junto aos pacientes em tratamento da hipertensão que os auxilia a interpretar corretamente os rótulos dos alimentos e, conseqüentemente, identificar o que lhes pode fazer mal.

Além dos produtos industrializados, o sódio também está presente em outros alimentos, como a carne e o leite. Em casos de hipertensão severa, em que apenas o uso dos medicamentos não assegura a estabilidade da pressão arterial, o monitoramento do consumo de sódio é essencial.

Hipertensão
A hipertensão é uma doença grave que atinge cerca de 35% da população brasileira acima de 40 anos. “O sódio é indispensável para a saúde, mas quando usado em exagero se torna um ‘veneno’”, afirma Cristiane Kovacs.

Por dia, o consumo ideal recomendado por especialistas é de 2,4 gramas de sódio, equivalente a 6 gramas de sal de cozinha. Mas deve-se levar em conta também o sódio contido em alimentos naturais. O paciente hipertenso deve restringir para 4 gramas de sal por dia ou 1,6 gramas de sódio diários.

(Envolverde/Sec de Saúde do Estado de São Paulo)

FÓRUM DE MEDICINA COMPLEMENTAR E DE AGRICULTURA ORGÂNICO SOB O OLHAR DA NUTRIÇÃO

12/5/2005 - BIO BRAZIL FAIR
Nutricionista gaúcha comenta sua visita aos eventos paralelos à Bio Brazil e Natural Tech

Juntar medicinas e terapias completares com produtos orgânicos, alimentos naturais foi o melhor das Feiras Bio Brazil Fair e da Natural Tech, na opinião da nutricionista gaúcha Cláudia Lulkin, que orienta seus pacientes a se alimentarem com produtos orgânicos. “Esta salada de frutas que mistura setores preocupados com a qualidade de vida é o melhor que o evento pode oferecer. A realização de Fóruns durante o evento também foi uma grande pedida”, diz.

Outra questão importante, para Cláudia, é que o Fórum Internacional de Medicina e Terapias Complementares, o Fórum Nacional de Agricultura Orgânica e Sustentável e o Encontro de Fitoterápicos, Suplementos e Biodiversidade aconteceram em São Paulo, uma cidade formadora de opinião.

A colagem de palestras extremamente diferentes em um mesmo evento também foi interessante. “Desde as pesquisas muito científicas, feitas com ratos em laboratório, até os experimentos florais. Diferentes temas e estilos de informação estavam juntos. Apesar de bem variadas, as apresentações foram todas de muita qualidade”, atesta.

Depois de permanecer alguns meses no Velho Continente, a nutricionista de Bento Gonçalves acredita que os Estados Unidos e a Europa têm medo da riqueza brasileira com relação à biodiversidade, enquanto no Brasil, os brasileiros não a valorizam. “É por isso que a Natural Tech, a Bio Brazil Fair e os eventos paralelos a elas são tão importantes: eles trazem um pouco desta biodiversidade à mesa, ao hábito e ao conhecimento da população”, avalia.

Encontro bianual do Alimento Vivo no RJ


PROGRAMAÇÃO



Dia 6 de dezembro de 2007 (quinta feira)

9h às 14h – Festa de encerramento dos Seminários de Alimentação Viva e encontro dos adeptos da alimentação viva.

Participe trazendo uma refeição previamente preparada com alimentos vivos para partilhar!

Local: Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria - Horta do Terrapia
Rua Leopoldo Bulhões 1480, térreo.

Agora comida tem vida própria

O life food prega que os alimentos crus e, principalmente, os brotos têm mais energia vital. E são capazes de transmiti-la a quem os come
por TÂNIA NOGUEIRA para Época.




VIVACIDADE
A chef Tiana Rodrigues diz que sua disposição aumentou muito com a dieta de comida viva

A comida natural vem ganhando tantos adeptos que já não é possível falar de um movimento único. A mais nova tendência a chegar ao Brasil é a comida viva. Não, não se trata de comer ostras à beira da praia. Isso já faz sucesso no país há alguns anos, mas não atende aos requisitos de comida vegetariana. A comida viva naturalista é uma variação do vegetarianismo. Usa principalmente os brotos e as sementes germinadas. Inclui frutas, verduras e legumes orgânicos e extremamente frescos. Parece o ápice da simplicidade. Mas, no mundo moderno, aderir a essa culinária não é nada simples. Para comer cru, ninguém pode ser apressado. Alguns pratos levam mais de 30 horas para ser preparados. Nada pode ser cozido. Alguns alimentos podem e devem ser aquecidos ou desidratados, mas nunca acima de 40 graus Celsius. Esses são os processos que mais demoram.

A comida viva, ou life food, como é chamada em Nova York, praticamente não difere da dieta crudivorista, ou raw food, como ficou famosa na Califórnia. Talvez a life food dê um pouquinho mais de ênfase às sementes germinadas. Hoje, nos Estados Unidos, existem vários restaurantes que levam um desses dois rótulos. No Brasil, o primeiro a se intitular de “comida viva” foi o Universo Orgânico. De um ano para cá, ele virou mania entre famosos e descolados do Rio de Janeiro.

A chef do restaurante, Tiana Rodrigues, que tem a melhor empadinha viva da cidade (damos a receita em nosso site), começou a se envolver com a comida viva, ou crudivorismo, com o grupo da professora Ana Branco, que se reúne na Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro para trocar informações e divulgar a idéia. Ela é uma das seguidoras de David Jubb, o pai da life food. A dieta adotada pelos adeptos da comida viva se baseia nas teorias do neurofisiologista australiano, dono do Jubb’s Longevity, um instituto/restaurante/mercadinho em Nova York.

Como germinar grãos e castanhas?
As sementes germinadas são a base da comida viva. Aprenda a prepará-las
1 - De molho
Coloque de uma a três colheres (de sopa) de grãos em um vidro limpo. Cubra com água e deixe de molho por uma noite (oito horas)
2 - Troca de água
Cubra o vidro com um pedaço de filó. Prenda com um elástico. Despeje a água. Enxágüe bem sob a torneira
3 - Escorredor
Coloque o vidro em um escorredor em local sombreado e fresco. Em um dia quente, a germinação deve começar em 24 horas

Segundo Jubb, comer comida crua é mais saudável porque, quando o alimento é cozido acima de 40 graus, ele perde suas enzimas. Isso faria com que nosso corpo fosse obrigado a gastar nosso precioso estoque de enzimas, essenciais para nos manter vivos. Mais que isso, a germinação liberaria uma série de enzimas que tornariam a digestão ainda mais fácil. O médico diz também ter constatado que os alimentos industrializados são responsáveis por uma maior acidez do sangue e afirma que, quanto mais alcalino, mais saudável será nosso organismo.

Quando arrancado do solo, separado de sua raiz, um vegetal morre. Mas suas sementes guardam vida em estado latente. Ela se manifesta quando há a germinação. “O broto ainda está vivo quando a gente o come”, diz Tiana. “Por isso, tem tanta energia vital. Mas os vegetais recém-colhidos também têm bastante energia.”

Essa linha de dieta está longe de ser um consenso. Segundo a nutricionista Tânia Rodrigues, da consultoria RGNutri, em São Paulo, os sais minerais são importantes para manter o equilíbrio das enzimas dentro de nosso organismo. “Mas a melhor fonte de minerais são as carnes, não os vegetais crus.” Se você quiser acrescentar grãos germinados a sua dieta equilibrada, isso só lhe fará bem, diz Tânia. “Os germens são ricos em proteínas, vitaminas e sais minerais.” Para quem não come nada de origem animal, aí sim, é mais importante acrescentar brotos e sementes germinadas na cozinha do dia-a-dia.

Almôndegas de quinoa germinada
Embora crua, a comida viva não é simples de fazer. Mas se quiser tentar...
Almôndegas:1 xícara de aipo, 1 xícara de quinoa, 1 xícara de nozes, 1 xícara de linhaça dourada em pó, 1/2 xícara de azeite, 1/2 cebola, 1/2 xícara de passas, 1 colher (sopa) de sal do Himalaia, 1/2 xícara mineral

Bater tudo no processador e adicionar a linhaça em pó no final. Formar bolinhas e colocar para desidratar em uma grelha sobre uma panela de barro a 38 graus
Molho de cenoura:1 pedacinho de gengibre, 1 cenoura grande, 1/4 xícara de castanha-de-caju crua (oito horas de molho), 1 xícara de linhaça dourada em pó
Molho de tomate: 1 xícara de tomate seco (duas horas de molho), 6 tâmaras, 2 xícaras de tomate, 1 pitada de sal Salada de rúcula com linhaça germinada, tâmaras e peras:
Lavar e higienizar um punhado de rúcula. Fazer um molho com tâmaras, limão e azeite. Acrescentar linhaça germinada. Enfeitar com tiras de pêra
Montagem:
Colocar o molho de cenoura no prato, depois a almôndega em cima e em seguida o molho de tomate. Ao lado colocar a salada de rúcula com linhaça. Apreciar o colorido do prato

No entanto, para ela, a destruição de enzimas durante o processo de cocção não significa que tenhamos necessidade de comer só alimentos crus. “O cozimento destrói apenas as enzimas responsáveis pelo envelhecimento do vegetal. Não altera as enzimas que nos ajudam a digeri-lo”, diz Tânia.

Saúde à parte, o restaurante de Tiana tem feito sucesso pelo paladar de seus pratos. Ricos em ingredientes e sabores, eles quase sempre levam algum tipo de broto. Além dos pratos, o Universo Orgânico é uma espécie de empório. Lá, Tiana não dá conta de vender biscoitos crus, sucos com germens e clorofila, pão essênio e as famosas empadinhas vivas, feitas de uma massa de macadâmia crua e desidratada.

Um dos empecilhos para as pessoas se decidirem a fazer uma refeição inteira de comida crua é a idéia de que ela será obrigatoriamente fria. “Há uma série de pratos quentes”, diz Tiana. “Sirvo-os a uns 38 graus.” Muitos vegetais precisam ser desidratados para tornar-se comestíveis, como é o caso da berinjela e dos brócolis. Outros, como o tomate, ficam gostosos quando secos. Mas não é tão fácil fazer vegetais desidratados. Em seu restaurante, Tiana tem um desidratador trazido dos Estados Unidos. Uma peça que não se encontra por aqui.

Para quem não tem o desidratador, ela sugere que se use uma grelha sobre uma panela de barro vazia aquecida em uma espiriteira elétrica (daquelas de camping). “É preciso também ter um termômetro”, diz. “Quando a temperatura da panela atingir os 38 graus, você desliga a boca. O barro conserva o calor por muito tempo. Quem mora no Nordeste pode desidratar os alimentos ao sol.”

SAUDÁVEL, BOM E BONITO
Chefs investem em beleza e paladar, como no caso das almôndegas de quinoa (R$ 21,90), do Universo Orgânico

Esta última seria a opção mais condizente com a filosofia da comida viva. s O processo de desidratação pode levar horas ou mesmo dias. Os desidratadores elétricos consomem muita energia. O que não bate com a imagem pregada por Jubb de uma alimentação boa para a pessoa e para o planeta. Em tese, quando consumimos vegetais crus, todas as sobras podem ser aproveitadas para virar adubo. Não há lixo. “Os desidratadores são uma contradição mesmo”, diz Tiana. “No restaurante, tento evitar desperdício racionalizando o uso. Procuro reunir alimentos que tenham o mesmo tempo de desidratação e só ligar o aparelho quando estiver com a capacidade máxima de acomodar alimentos preenchida. Mas os grupos mais puristas de comida viva nunca usam o aparelho elétrico.”

Além dos desidratadores, podem-se improvisar germinadores domésticos (leia o quadro à pág. 81). Cênia Salles, dona do restaurante e mercearia Empório Siriuba, em São Paulo, conta que no fim dos anos 70 viajou à Califórnia e, lá, já ouviu falar da importância das sementes germinadas. Trouxe até algumas na bagagem para servir em seu restaurante, na época o Cheiro Verde. Mas logo elas acabaram e Cênia teve de germinar as próprias sementes. “Criei uma caixa de madeira com uma tela de metal que me permitia deixar de molho e depois escorrer.” Hoje, seu restaurante tem alguns sucos, pães e saladas com grãos germinados.

De 2004 a 2006, funcionou em São Paulo o restaurante Deloonix, que servia raw food, além de peixes e pratos vegetarianos. Mas os paulistanos não aderiram à novidade como os cariocas. “Era um restaurante gourmet, caro”, diz Rafael Rosa, que estudou raw food na Califórnia e elaborou o primeiro cardápio do Deloonix. “Ele vinha na linha de restaurantes americanos, como o Charlie Trotter ou o Roxanne, que apostavam na curiosidade gastronômica do público para experimentar a novidade.”

Rosa não desistiu da linha. Ainda pratica a dieta crudivorista em casa. E pretende vender alguns doces, biscoitos e tortas crus na padaria Pão, que deve inaugurar no dia 8 de agosto, em São Paulo. De acordo com ele, mesmo nos Estados Unidos a aposta puramente na moda não deu muito certo. “O Charlie Trotter faz outras coisas além de raw food, e o Roxanne fechou. O que pegou mesmo foram as centenas de pequenos cafés que atendem um público interessado em levar uma vida mais simples.”

Consumo de carne de macaco ameaça espécie na Amazônia

Macaco-guariba preto, Brasil (Foto: Sigi Weisel, Pro Wildlife)
Espécies como o macaco-guariba estão em risco, alertam ONGs
Até 5,4 milhões de macacos são caçados e consumidos anualmente na Amazônia brasileira, colocando em risco as populações naturais de primatas, alertaram nesta segunda-feira as organizações ambientais Care for the Wild, com sede na Grã-Bretanha, e Pro Wildlife, baseada na Alemanha.

Um amplo estudo das duas organizações examinou 22 países da América do Sul e Central, e colocou o Brasil entre os 16 nos quais "a caça para consumo de carne representa uma ameaça crítica às populações de primatas".

Armas e equipamentos modernos, combinados com velhos hábitos locais – como o de preferir carne de fêmeas, mais gordurosa e considerada mais saborosa – tornaram a caçada o fator de maior importância no encolhimento das populações, superando a destruição do hábitat natural.

"A convergência de fatores como o desflorestamento em larga escala, o aumento da caça comercial e a captura de animais vivos tem tido efeito devastador sobre os primatas neotropicais, e pode colocar muitas espécies à beira da extinção", diz um relatório que levou em conta mais de 200 estudos científicos.

Com 109 espécies nativas de primatas, o Brasil é o país com mais diversidade de macacos do mundo.

Destruição

As organizações disseram que, enquanto os efeitos da destruição ambiental sobre as diferentes espécies de macaco são bem estudados na literatura científica, pouco se fala da caça de macacos para vender sua carne.

Oito milhões de sul americanos comem carne de macaco regularmente, elas afirmaram.

No Brasil, entre 970 e 2,4 mil macacos-prego (também conhecidos como 'capuchinhos', por levar na cabeça um tufo de pêlo semelhante a um capuz) são mortos a cada ano.

O grande porte de primatas como o macaco-barrigudo e o macaco-aranha, por sua vez, é um incentivo para caçadores que desejam consumir a sua carne ou vendê-la em mercados, afirmam as ONGs.

Em regiões onde a caça é intensa, as populações de macacos são até 93% menores que nas áreas onde a pressão é inexistente, sublinharam as organizações.

Nestas áreas, macacos com mais de 5 kg se tornaram extremamente raros ou foram extintos localmente.

"Por causa de sua lenta taxa de reprodução e baixas densidades populacionais, muitas espécies de primatas não podem suportar essa imensa redução", diz o relatório.

Além disso, em tribos indígenas como a dos Wairiri, cinco fêmeas são mortas para cada macho, porque a carne mais gordurosa é considerada mais saborosa.

Solução

As ONGs sugeriram uma estratégia de conservação ancorada em diversos pontos.

Elas pediram a preservação do hábitat natural das espécies, através da criação de mais reservas ambientais.

Sublinharam a necessidade de se encontrarem fontes alternativas de proteína para as comunidades que se alimentam da carne dos primatas.

Afirmaram que é necessário rever as regulamentações de caça nos sul e centro-americanos, enfatizando a necessidade de fazer cumprir a legislação.

Sugeriram, enfim, que sejam realizadas iniciativas de educação ambiental e de incentivo ao ecoturismo.

Transformar áreas de preservação em fonte de recursos econômicos é "uma excelente maneira de promover a conservação das florestas e dos primatas", avaliaram as ONGs.

Fonte: BBC Brasil

Primatas começaram a andar eretos nas árvores, diz estudo

macado
Orangotangos se locomovem em posição ereta sobre os galhos
Uma pesquisa britânica publicada na revista Science revela que os ancestrais dos seres humanos começaram a se locomover na posição vertical ainda quando viviam sobre árvores.

Até então, acreditava-se que os primatas tinham evoluído aos poucos da condição de quadrúpede para bípede depois que passaram a viver no solo.

Pesquisadores da Universidade de Liverpool analisaram os movimentos de orangotangos selvagens - que passam a maior parte da vida sobre as copas das árvores - e constataram que esses animais se locomovem em posição ereta sobre os galhos para colher frutos e atravessar a vegetação.

"Para conseguir pegar frutas e se locomover entre as árvores eles tiveram de desenvolver uma forma de passar pelos galhos sem colocar todo o peso sobre eles", explicou Robin Crompton, um dos pesquisadores.

"A partir de análises ambientais e de alguns fósseis, chegamos à conclusão de que a locomoção na posição vertical evoluiu como uma adaptação à vida sobre vários tipos de vegetação."

Elasticidade

Ainda segundo os pesquisadores, nossos ancestrais desceram das árvores devido a mudanças climáticas, preferindo o solo da floresta como seu principal habitat. A partir de então, eles se mantiveram bípedes e começaram a se alimentar a partir dos frutos que encontravam no chão ou então nas pequenas plantas.

Os pesquisadores explicaram que quando os orangotangos se locomovem sobre os galhos é como se andassem por trilhos elásticos, e para obter melhor equilíbrio, esticam joelhos e quadris para ficar com as pernas esticadas.

Há também evidências de que esses primatas tenham vivido em mata fechada, e não na savana, onde teriam tido mais contato com o chão.

Fonte: BBC Brasil

Gorila 'assanhada' de 44 anos toma pílula para não engravidar

gorila Delilah
Delilah toma pílula com bana
Funcionários do zoológico de Belfast, na Irlanda do Norte, estão tratando uma gorila de 44 anos com uma pílula anticoncepcional receitada para mulheres.

Apesar da idade avançada, Delilah tem demonstrado um "comportamento insinuante" ao se aproximar dos machos que moram com ela no cativeiro.

O diretor do zoológico, March Challis, disse que uma gravidez nessa momento da vida não seria indicado para a gorila, que sofre de artrite e poderia não suportar as transformações que seu corpo sofreria.

De acordo com Challis, o comportamento de Delilah mostra que, apesar de ser "uma das gorilas mais velhas do mundo", ela ainda é saudável e, apesar de já ter tido filhotes, estaria disposta a continuar procriando.

Ele contou que a gorila está "comendo" a pílula junto com uma das várias bananas que devora por dia.

Fonte: BBC Brasil

Sexo e chocolate estimulam cérebro

Sexo e chocolate estimulam cérebro
2007/12/04 | 23:35

Estudo aponta para um estilo de vida diferente

Fazer sexo, comer chocolate amargo pode ser o segredo para treinar e impulsionar a capacidade cerebral, informa o jornal «Folha de São Paulo», que cita a tese incluída no livro «Teaching Yourself: Training Your Brain (Ensine-se a você mesmo: treine o seu cérebro).

Na obra, os autores Terry Horne e Simon Wootin, analisam como a dieta, o ambiente e o stresse afectam a capacidade mental das pessoas. Grande parte das sugestões tem como base substâncias químicas libertadas no organismo a partir de certas actividades, como fazer sexo.

Segundo o estudo, a penetração durante o acto sexual aumenta os níveis de oxitocina, que estimula o cérebro a pensar em novas ideias e soluções para problemas, enquanto que o pós-coito aumenta a quantidade de serotonina, estimulando a criatividade e o pensamento lógico.

Em relação à comida, os autores acreditam que os ingredientes encontrados no chocolate amargo, como magnésio e antioxidantes, aumentam a oxigenação cerebral.

Envolvimento e satisfação

“Durante décadas nós pensamos que a capacidade no cérebro é geneticamente determinada, e agora ficou claro que é uma questão de estilo de vida”, explicou Terry Horne, autor do livro e palestrante na Universidade de Lancaster.

Os autores aconselham os leitores a seguirem um “conceito de vida” chamado BLISS (prazer corporal, alegria, envolvimento, satisfação e sexo, na sigla em inglês) para aumentar a performance mental.

E ainda afirmam que quem quer impulsionar o cérebro deve evitar fumar maconha, assistir a novelas e conviver com quem reclama muito da vida.

“Misture-se com pessoas que te façam rir. Evite as pessoas que reclamam demais porque elas podem deixá-lo deprimido”, aconselhou Hornes, que ainda defende baixa ingestão de álcool e carnes vermelhas.

Ainda na lista das atividades para estimular a “massa cinzenta”, os autores defendem que crianças façam deveres de casa acompanhadas de colegas ou dos pais e que desde cedo sigam uma dieta baixa em gordura, rica em brócolis, peixes com ômega 3, pães e massas integrais.

Fontes:

portugaldiario

BBC Brasil

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Ginseng e semente de linhaça ajudam no combate ao câncer

Categoria: MEDICINA

Postado por: Tania Neves
Anúncio vem de congresso em Chicago que está avaliando
alguns tratamentos alernativos. A cartilagem de tubarão, por
exemplo, não mostrou qualquer benefício num primeiro estudo


A propalada cartilagem de tubarão, segundo investigações levadas a cabo pelo Anderson Cancer Center de Houston, com financiamento do Instituto Nacional do Câncer dos EUA, não funcionou para o câncer de pulmão.

A pesquisa é uma das várias que estão sendo apresentadas no congresso anual da American Society of Clinical Oncology, que se estende até amanhã em Chicago e no qual pesquisadores debatendo os resultados de uma série de estudos sobre terapias alternativas contra o câncer.

Mel é o remédio mais eficaz contra a tosse

quarta-feira, 05 de Dezembro de 2007

Estudo realizado por investigadores norte-americanos sugere que o mel é o melhor remédio para a tosse

A pesquisa foi efectuada por cientistas da Universidade da Pennsylvania, afirmando que os componentes encontrados neste líquido viscoso e açucarado, reconhecido há séculos pelas suas propriedades terapêuticas, matam os micróbios e actua como antioxidante.

Foram analisadas 105 crianças com idades compreendidas entre os 2 e os 18 anos com tosse forte e frequente durante a noite, sendo as mesmas dividas em três grupos. As crianças do primeiro grupo tomaram uma colher de mel, as do segundo um xarope à base de dextrometorfano e as do terceiro com um placebo, tendo sido administradas com as respectivas doses 30 minutos antes de irem para a cama.

Segundo os cientistas, as crianças que tinham tomado mel demonstraram uma melhoria significativa na tosse nocturna. As do segundo grupo também demonstraram algumas melhorias, embora inferiores comparativamente às do primeiro grupo. O grupo que foi administrado com o placebo não demonstrou quaisquer melhorias.

Ian Paul, líder da pesquisa, afirma que este estudo vem acrescentar algo à "crescente literatura médica que questiona a utilização de xaropes à base de dextrometorfano em crianças".
"Outros estudos são necessários, mas esperamos que os profissionais da área da saúde passem a considerar o mel como uma alternativa segura, legítima e barata para o tratamento da tosse infantil", acrescentou o investigador.

Fonte: CBS News

Ginseng pode reduzir fadiga em doentes com cancro (câncer)



domingo, 03 de Junho de 2007

O consumo de doses diárias de ginseng pode ajudar a reduzir a fadiga e a melhorar os níveis de energia e o bem-estar emocional dos doentes com cancro, revelou uma pesquisa elaborada por especialistas da Clínica Mayo em Rochester, no Minnesota.

Os primeiros resultados deste estudo piloto, que envolveu 282 pacientes, foram hoje apresentados durante a reunião anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO na sigla inglesa).

Apesar dos resultados positivos, os especialistas aconselham prudência até que possam ser desenvolvidas mais investigações. A fadiga é um dos efeitos secundários mais frequentes nos doentes com cancro e que mais afecta a normalidade do dia-a-dia dos pacientes.

Os benefícios do ginseng no tratamento das constipações e da diabetes têm vindo a ser aplaudidos, os cientistas acreditam que poderá funcionar também como uma substância que ajuda o corpo a superar os efeitos do stress físico e psicológico a que os doentes com cancro estão frequentemente sujeitos.

O grupo de pacientes aos quais foram administradas doses diárias de ginseng admitiu ter sentido melhoras a nível físico, mental, espiritual e emocional. No entanto, os cientistas consideram que, embora os resultados sejam auspiciosos, ainda é prematuro recomendar suplementos de ginseng aos doentes com cancro.

Debra Barton (
Ph.D. Mayo Clinic Cancer Center), uma das cientistas envolvidas no projecto, explicou que “apesar dos resultados serem promissores”, ainda há pesquisas que precisam ser desenvolvidas. Para além disso, existem várias composições de ginseng disponíveis no mercado e algumas podem não ser adequadas.


Fonte:
medicinenet

Equinácia pode prevenir constipações



O consumo da equinácia, uma popular planta medicinal, pode reduzir significamente as probabilidades de desenvolver constipações.

Um estudo publicado na revista The Lancet Infectious Diseases revelou as propriedades medicinais da planta equinácia e dos seus componentes, afirmando que o seu consumo reduz as probabilidades de contrair constipações em cerca de 58%. O mesmo estudo refere ainda que a duração destas constipações seria reduzido para até quatro dias, em contraste com os habituais sete dias que costuma, por média, durar.

Cientistas referem o modo como actua no aumento das defesas do sistema imunitário como explicação da sua teoria.

Poderes medicinais da equinácia

A equinácia é uma das plantas medicinais mais populares nos Estados Unidos, sendo utilizada na prevenção e cura das constipações vulgares, gripes e outras infecções. As suas propriedades fazem desta planta uma das mais estudadas e seguras de se usar, não só no capítulo das imunoestimulantes, como na medicina em geral. O seu efeito mais importante é a estimulação da fagocitose, o fenómeno responsável pela detecção, englobamento e eliminação de organismos invasores do nosso corpo, efectuado pelos glóbulos brancos e pelos linfócitos em geral. Diversos testes efectuados “in vitro” efectuados por cientistas demonstram mesmo um aumento da fagocitose na ordem dos 20% a 40% quando se utilizavam extractos desta planta.

A equinácia provoca um aumento no número das células imunitárias, aumentando o poder de resposta do nosso sistema imunitário a qualquer infecção ou factor tóxico, ao mesmo tempo que actua no aumento da produção do interferon, uma proteína produzida pelas células do organismo para defendê-lo de vírus, assim como pela inibição de algumas enzimas, como a hialuronidase, que facilita a entrada das bactérias no nosso organismo.

pedro.santos@farmacia.com.pt

CANSAÇO CRÓNICO

Muitas pessoas que procuram os consultórios médicos queixam-se de um cansaço que as acompanha há muito tempo, e que interfere nas suas actividades normais do dia-a-dia. Qualquer doença pode ser a causa do cansaço, mas a maioria das pessoas não sofre de uma doença que possa ser responsabilizada pela fraqueza que apresenta. Normalmente, o cansaço, por si só, não merece maiores atenções das pesquisas médicas, a não ser que faça parte de alguma enfermidade específica. O simples facto de alguém estar cansado não é considerado um problema sério. Por vezes, o paciente é deixado a resolver o problema sozinho.

Nem sempre uma doença está por trás do cansaço.
Medidas simples podem trazer novo vigor ao organismo.
Causas Externas
De facto, se fizermos exames físicos e laboratoriais, podemos nada encontrar que justifique o problema. Via de regra, os exames resultam normais e dizemos ao paciente que ele não tem problema algum. Em muitos casos, em vez de aliviar, pode piorar a situação, pois a pessoa pergunta-se: “Como é que posso sentir-me tão mal e não ter nada?” Tenho tentado responder da seguinte maneira: “Não tem uma doença definida, mas o seu organismo não está a conseguir actuar normalmente, devido a algum problema que está a enfrentar.” E esse problema não precisa de ser procurado dentro do organismo, mas fora dele. No estilo de vida, hábitos, alimentação, trabalho, vida familiar, ou no uso de produtos químicos. Uma senhora, ainda jovem, queixava-se de cansaço crónico que alguém tinha atribuído à hipoglicemia. Fora então aconselhada a comer com maior frequência, a fim de controlar os níveis de açúcar no sangue. Embora seguindo a orientação, não conseguiu melhorar. Pelo contrário, pareceu-lhe aumentar o cansaço. Sabendo que não existia uma doença, a não ser a suspeita de hipoglicemia, recomendámos-lhe que fizesse um regime de apenas três refeições diárias e que aumentasse as suas actividades físicas. Em menos de dez dias, passou a sentir-se melhor, embora estivesse a ingerir menor quantidade de alimentos. Esse não é um caso isolado.
Muitas pessoas com situação semelhante a essa têm conseguido melhoras, adoptando um regime regular de alimentação, em vez de passar todo o dia a comer alguma coisa. A energia gasta para fazer tantas pequenas digestões parece não ser compensada pelo acréscimo de alimentos.

Perigo na Cafeína

Uma causa que está a despertar a atenção para a ocorrência de cansaço crónico é o uso de café. As pessoas que bebem muito café diariamente, cerca de 750 mg de cafeína (cinco chávenas), apresentam uma queda acentuada de resistência física. Quantidades menores causam o mesmo problema, só que em menor número de pessoas. Testes feitos em ratos, aos quais foi dado café, mostram que uma dose de cafeína aumenta a sua capacidade de nadar, em comparação com os que não tomaram nenhuma dose. Mas quando o café foi dado regularmente ao mesmo rato, após seis semanas, a capacidade de nadar diminuiu muito em relação aos que não beberam café. Para muitas pessoas, que bebem café regularmente e que sofrem de fadiga crónica, recomenda-se que se abstenham completamente da cafeína. Ao contrário do que se imagina, após algum tempo, a capacidade física aumentará significativamente. Em lugar de se recorrer a estimulantes para realizar actividades habituais, é melhor praticar exercícios e observar os períodos regulares de repouso. A nossa alimentação apressada nos dias actuais também pode ser deficiente em alguns nutrientes, tais como vitamina C, vitaminas do complexo B e outras. Tal deficiência pode facilmente ser suprida por uma alimentação rica em frutas, verduras, cereais integrais ou castanhas, em substituição dos alimentos refinados e de grande quantidade de açúcar. Estas orientações podem ser seguidas por todas as pessoas que se sentirem cansadas. Mas, caso persistam os sintomas, é prudente fazer uma investigação especializada mais profunda, para descobrir qualquer causa escondida atrás dos sintomas.

Casca de magnólia pode combater o mau hálito


quarta-feira, 21 de Novembro de 2007

Extracto de casca de magnólia pode ser utilizada para combater o mau hálito, segundo o fabricante de pastilhas Wrigley Company.

O extracto da planta já era utilizado para aliviar os sintomas de várias doenças, como o reumatismo ou a asma, podendo também ser eficaz no combate às bactérias que provocam as cáries.

O fabricante de pastilhas Wrigley participou num estudo analisando nove voluntários, chegando à conclusão que a combinação de menta com magnólia matava 20 vezes mais bactérias do que a menta só por si.

De acordo com os investigadores, ao deixar a pastilha de magnólia e menta actuar durante meia hora provocava uma diminuição de 60% do número de bactérias, comparativamente com uma diminuição de 3,6% no caso de pastilhas só com menta.

O estudo foi efectuado após os voluntários terem terminado de almoçar. Entre as bactérias reduzidas pela pastilha encontravam-se as responsáveis pelo mau hálito, bem como a Streptococcus mutans, que provoca cáries.
"O mau hálito ou halitose é um grande problema social e psicológico que afecta a maioria da população", afirmam os investigadores.

Segundo os cientistas, a casca de magnólia demonstrou ter uma "significativa actividade anti-bactericida contra os organismos responsáveis pelo mau odor oral", podendo vir a ser incorporada futuramente em pastilhas devido aos benefícios que apresenta.

Pedro Santos - Farmacia.com.pt

FRUTAS, UM DOCE REMÉDIO

O Poder de Cura das Frutas




“Elas podem garantir energia e bem-estar, além de prevenir doenças. Se você não está incluindo alimentos funcionais na sua dieta porque acha complicado, agora não tem mais desculpa. Com um tipo de fruta por dia, você pode somar bons pontos à sua qualidade de vida. Vai uma maçã?”

Inês Pereira

Que frutas você comeu nos últimos doze dias? Se demorou para lembrar, talvez esteja trocando fatias de mamão ou uma bela maçã por doces ou chocolate. Isto é, está ameaçando o seu peso, o seu equilíbrio nutricional e deixando de lado alguns dos melhores sabores da mesa! Novos estudos reforçam cada vez mais a importância dos alimentos funcionais para uma vida saudável e a boa notícia é que as frutas estão entre os principais objetos de tenção dos pesquisadores. Poderosas, elas são capazes de proteger células contra processos degenerativos e de envelhecimento, prevenir uma lista de doenças, revitalizar sistemas inteiros, devolver energia ao seu corpo. Segundo o PhD Amy Gasper, cientista do Institute of Food Research, na Noruega, e membro da British Nutrition Society, a incidência e a progressão de doenças crônicas são, pelo menos em parte, decorrentes da falta de fitoquímicos, entre eles, os carotenóides e os flavonóides presentes numa dieta rica em frutas e vegetais. "O efeito protetor é comprovado em estudos epidemiológicos, em células de animais, nos quais esses componentes apresentam atividades antioxidante e antiinflamatória, e reduzem a proliferação celular", descreve.

Atualmente, os brasileiros enfrentam o aumento de doenças crônicas degenerativas, devido a um estilo de vida desequilibrado, que envolve maus hábitos alimentares e sedentarismo. "O consumo regular de alimentos funcionais, como as frutas, pode ser uma alternativa para conter o avanço dessas enfermidades", afirma Jocelem Mastrodi Salgado, pesquisadora e professora titular de Nutrição da Escola Superior Luiz de Queiroz (Esalq/USP) e presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais. Portanto, somos o que comemos, sim! A alimentação tem um papel fundamental na nossa qualidade de vida - e, claro, na falta dela. Nesse caso, puxe o freio e reveja seus hábitos. Viva Saúde levantou uma lista de 12 frutas para você incluir uma por dia à sua dieta e depois repetir a dose! - uma arquitetura nutricional simples, que fará toda a diferença para a sua saúde e para o seu bem-estar.

ABACATE

Recentemente, pesquisas têm demonstrado que o abacate é rico em beta-sitosterol e glutatoína. O primeiro auxilia na redução dos níveis de colesterol e o segundo age como antioxidante. Pode, ainda, oferecer proteção contra o câncer oral, de garganta e outros tipos da doença. Estudos comprovaram que o abacate também regula os níveis de colesterol no sangue. Cardiologistas australianos observaram o efeito dos alimentos sobre os níveis de colesterol no sangue em 15 mulheres. Na dieta com o abacate, esses níveis diminuíram cerca de 8,2%, comparando com 4,9% na dieta sem a fruta. Cientistas demonstram, também, que sua gordura monoinsaturada pode aumentar as taxas de HDL (o colesterol bom) e diminuir o colesterol total, mas tem pouco efeito sobre o colesterol ruim, a fração LDL. No Japão, na Universidade de Shizuoka, outras pesquisas comprovam os poderes do abacate contra toxinas que prejudicam o fígado. Entre 22 frutas, mostrou-se o mais eficaz para diminuir os danos provocados no órgão por fatores semelhantes aos causados por hepatites virais. Mas atenção: segundo estudiosos, é preciso consumir meio abacate pequeno, de três a quatro vezes por semana, para se obter os benefícios encontrados nas pesquisas.

Saúde no prato

Além das funções nutricionais, os alimentos funcionais produzem efeitos metabólicos e fisiológicos benéficos à saúde. Não são remédios, mas apresentam componentes capazes de prevenir doenças ou reduzir seu risco. A influência deles na saúde tem sido pesquisada em relação às doenças cardiovasculares, câncer, hipertensão, diabetes, doenças inflamatórias, intestinais, certas afecções reumáticas e mal de Alzheimer. O uso de alimentos na prevenção de doenças é uma prática milenar, mas foi só a partir de 1990 que o termo e o conceito de ’alimento funcional’ se tornaram mais conhecidos do público.

AÇAÍ

O fruto é considerado um alimento de alto valor calórico, com elevado percentual de lipídeos, além de rico em proteínas e minerais. O óleo extraído do açaí é composto de ácidos graxos de boa qualidade, com 60% de monoinsaturados e 13% de polinsaturados, tipos de gordura que ajudam na redução do colesterol LDL. Possui teor de proteínas superior ao do leite (3,5%) e ao do ovo (12,49%). É rico em minerais, como potássio e cálcio e, dentre as vitaminas, pode ser destacada a E (tocoferol), um antioxidante natural que atua na eliminação dos radicais livres.

ACEROLA

Rica em naringenina, hesperidina, monoterpenos, compostos fenólicos encontrados nas frutas cítricas, que, além de conter vitamina C (30 a 50 vezes mais do que a laranja), contam com a ação antioxidante das flavononas. Você pode substituí-la sem perder em nutrientes, por lima, limão e tangerina.

BANANA

Rica em frutooligossacarídeos (FOS), oligossacarídeos não-digeridos pelo organismo, que no intestino são metabolizados pela flora bacteriana. "Sua fermentação ajuda no crescimento de bactérias úteis, como lactobacilos e bifidobactérias, importantes para regular o trânsito intestinal, diminuir o risco de câncer de cólon e favorecer a oposição a bactérias patogênicas (enterobactérias)", diz a nutricionista de São Paulo, Fernanda Pisciolaro, membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). É fonte de potássio, mineral que garante o bom funcionamento dos músculos.

Use alguns truques e ganhe com as variações do dia-a-dia Os pesquisadores são unânimes em afirmar que para obter os benefícios das frutas é necessário ingeri-las diariamente e na quantidade mínima de uma porção. Por exemplo: duas laranjas, dez morangos, uma acerola, uma a duas maçãs, uma banana. Mas, é claro, não se pode viver apenas de frutas. Elas devem compor ou complementar refeições com opções saudáveis, como fala Jocelem Mastrodi Salgado, professora da Esalq. "Deve-se substituir, em parte, o consumo de carne de vaca, embutidos e outros à base de carne vermelha, por soja e derivados (especialmente carne de soja e isolados protéicos de soja) ou peixes, ricos em ômega 3". Para aproveitar melhor os poderes das frutas, ela recomenda variar as opções para oferecer ao organismo diferentes benefícios. Sempre que possível, consuma a casca, que concentra importantes ativos, como no caso da maçã. Sucos também são bem-vindos, quando ingeridos na hora e, de preferência, sem coar - para preservar as fibras. Se não gosta só da fruta, experimente-as em saladas, polpas batidas com iogurte, gelatina sem sabor com suco ou a massa de um bolo com a polpa da fruta preferida.

DAMASCO

Rico em betacaroteno, com importante função antioxidante, combate os radicais livres. Contém ainda grande teor de potássio, mineral que ajuda a baixar a pressão arterial e evitar o acidente vascular cerebral. Ah, possui zero de gordura!

LARANJA

Conhecida por ser fonte de vitamina C, os poderes dessa fruta foram reforçados por novo estudo publicado pelo The American Journal of Clinical Nutrition, em 2006, que comparou a influência dos alimentos ricos em vitamina C no envelhecimento da pele. Ficou comprovado que as pessoas que incluíam a laranja na dieta, apresentaram menos rugas do que as que a consumiam em menor quantidade. Outras pesquisas revelaram que a casca de laranja é rica em limonóides, substâncias que podem prevenir e controlar o desenvolvimento de certos tumores ao evitar os danos das substâncias tóxicas nas células do organismo.

MAÇÃ

Um dos seus maiores poderes está na pectina, uma fibra solúvel que ajuda a reduzir os riscos de doenças cardiovasculares. Estudos recentes demonstraram que outros compostos benéficos à saúde - polifenóis e os flavonóides -, presentes na casca e na polpa, protegem as células da ação dos radicais livres, retardando o envelhecimento, e o organismo de uma série de doenças, entre elas, o câncer. Segundo o Journal of Medicine Food, o consumo diário de duas maçãs durante 12 semanas provocou a diminuição dos níveis de LDL oxidado, em média de 20%. Outra pesquisa, realizada pela Universidade de Cornell e publicada na revista Nature, verificou que 100 g de maçã fresca pode ser mais benéfico do que um comprimido de 1.500 mg de vitamina C. Seus antioxidantes naturais seriam mais eficazes do que os encontrados em suplementos dietéticos.

MANGOSTÃO

Também conhecida como mangostin, ou ’fruta da rainha’, é originária da Ásia, onde é considerada como uma das frutas mais saborosas Frutas do mundo. Cultivada no Brasil desde 1940, não é muito popular em todas as regiões do país. Composto por agentes fenólicos, o mangostão tem ação altamente antioxidante, o que impede a oxidação do colesterol ’ruim’. Além disso, é riquíssimo em fibras e tem distribuição bastante equilibrada de nutrientes. Segundo Jocelem Salgado, que coordenou um estudo sobre a fruta na Esalq, o mangostão já entra na composição de suplementos dietéticos nos Estados Unidos.

Desde a infância

O consumo diário de frutas ou sucos à base delas nos primeiros meses de vida é essencial para prevenir várias doenças até a fase adulta – das provocadas pela falta de vitaminas aos problemas cardiovasculares, diabetes e diverticulite. As cítricas - limão, laranja e tangerina - são ricas em vitamina C, pectina e bioflavonóides, que têm papel importante na absorção do ferro, afastando a anemia. Para os bebês, recomenda-se, a partir do segundo mês, oferecer suco de beterraba com laranja, fonte de ferro. Mas não pode faltar na dieta deles uma porção diária de maçã com casca (rica em fibras e bioflavonóides), manga (vitamina A e fibras), banana (potássio), mamão (betacaroteno e vitamina C), morango, amora e uvas roxas (bioflavonóides).

MORANGO

Possui três ativos (ácido elágico, catequina e delphinidin), compostos fenólicos com ação antioxidante. O ácido elágico, outro antioxidante, possui mais de uma atividade anti-cancerígena. "Além disso, essa fruta é bastante rica em fibras solúveis, que auxiliam na redução do colesterol", reforça a nutricionista Mariana Del Bosco Rodrigues, do Departamento de Nutrição da Abeso. A amora e a framboesa são opções com os mesmos nutrientes.

PAPAIA

Ação: possuem carotenóides (luteína, betacaroteno e zeaxantina), com diversas propriedades anticancerígenas e também fortalecem o sistema imunológico. Protegem a retina contra a radiação solar, reduzindo assim o risco de degeneração macular. Também são ricos em vitamina C e fibras. Se preferir, substitua pela manga.

TOMATE

Uma das frutas mais poderosas. Rica em licopeno, um poderoso antioxidante, a sua absorção pelo organismo é muito maior quando em molhos concentrados do que em tomates frescos. Se não quiser consumi-los em rodelas, acrescente uma xícara de molho ao sugo no almoço e no jantar. O cozimento quebra as paredes celulares resistentes, fazendo com que o licopeno se torne mais acessível, aumentando a sua absorção pelo organismo. Não existe ainda uma dose recomendada de licopeno. O tomate fresco tem entre 3,1 e 7,74 mg de licopeno por 100 g de peso. O processado tem entre 11,21 mg e a lata de concentrado 30,07 mg. Para um molho que garanta os benefícios do licopeno, Jocelem Mastrodi Salgado recomenda cerca de seis tomates inteiros (quanto mais vermelhos, mais licopeno) batidos no liquidificador. Conserve em geladeira.

UVA ROXAjavascript:void(0)
Publish Post

Top entre os superalimentos, é rica em resveratrol, que previne o dano celular, reduz o crescimento tumoral e diminui o risco de câncer de pele. Outro nutriente é a catequina, um composto fenólico que tem papel na proteção cardiovascular, diminuindo a fração do colesterol ruim (LDL) – o mesmo efeito do vinho tinto. Os fenólicos reforçam a cartilagem, reduzem o risco de derrame, bloqueiam a formação de pedras nos rins e ajudam a conter o avanço de doenças degenerativas no cérebro. Já o ácido elágico, presente na fruta, é um fitoquímico com propriedades antioxidantes.

Data Edição: 05/12/07
Fonte: Revista Viva Saúde - Edição 55 - Novembro/2007

COMPOSTO PRESENTE NA FRUTA PODE SER DETERMINANTE NO COMBATE AO CANCRO (câncer)


COMPOSTO PRESENTE NA FRUTA PODE SER DETERMINANTE NO COMBATE AO CANCRO

Que o consumo de fruta é essencial para uma Alimentação saudável já toda a gente sabia, mas o que se desconhecia era o papel que alguns frutos podem desempenhar no combate ao cancro. Frutos como a manga, as uvas e os morangos contêm um componente denominado Lupeol capaz de impedir que os tumores localizados na zona da cabeça e do pescoço cresçam e se espalhem.

Uma experiência realizada por uma equipa de investigadores da Universidade de Hong Kong testou o lupeol em ratos e mostrou que o Desempenho deste componente, principalmente quando combinado com a quimioterapia, não só foi muito animador, como não apresentou efeitos secundários relevantes.

De acordo com Anthony Yuen, professor do departamento cirúrgico da Universidade de Hong Kong, “o lupeol consegue suprimir o movimento das células cancerígenas, bem como o seu crescimento, mostrando resultados mais positivos do que os medicamentos convencionais”.

“O lupeol é até mais eficaz se for combinado com a quimioterapia, apresentando efeitos secundários muito ligeiros”, continua o investigador.
A equipa responsável pelo estudo, que foi publicado no passado mês de Setembro no jornal “Cancer Research”, tenciona agora realizar mais experiências com animais e admite que, no futuro, a possibilidade de realizar testes em seres humanos não está posta de parte.

Os tumores localizados no pescoço e na cabeça englobam o cancro no nariz,, na cavidade oral, na garganta, nas cordas vocais, na Tiróide e nas glândulas salivares, tipos de tumores que afectam mais a população asiática do que a ocidental.
O consumo excessivo de Álcool, o tabagismo e uma alimentação deficitária são alguns dos principais factores de risco para estas doenças, cujo tratamento se tem revelado muito difícil.Em 50 por cento dos casos os tumores só são diagnosticados em fases já muito avançadas, quando a cura já é muito difícil e os tumores já cresceram tanto que se tornaram inoperáveis.

A cirurgia para remover tumores nestas zonas do corpo humano é muito complicada, desde logo porque implica a remoção de grandes quantidades de pele que tenha sido afectada pela doença, pelo que os cirurgiões têm que planear muito bem, antes de realizar a cirurgia, de que forma vão depois cobrir toda a área de onde foi retirada a pele.

Yuen acredita que o lupeol, que também se encontra em alguns vegetais como é o caso da azeitona, consegue bloquear a proteína natural denominada NFKB, cuja acção auxilia o crescimento das células, incluindo das células cancerígenas.
Neste estudo, o lupeol foi administrado em ratos infectados com células cancerígenas nas zonas do pescoço e da cabeça e permitiu concluir que este componente dos frutos e vegetais “não apenas suprime o crescimento do tumor, como também leva à sua diminuição. Comparado com os medicamentos convencionais, o lopeol reduz o tamanho do tumor num período de tempo muito menor”, explica Terence Lee, outro dos investigadores participantes no estudo.

Por outro lado, “os fármacos convencionais levaram ao emagrecimento dos ratos, ao contrário do que sucedeu com o lupeol, uma vez que os animais mantiveram a sua massa corporal”, adiantou ainda Lee, explicando que no combate ao cancro, o emagrecimento excessivo dos pacientes é sempre visto como um mau sinal.

Os especialistas esperam agora que o lupeol seja aplicado a outros tipos de cancro, que dependam também da acção da proteína NFKB para crescer e se espalhar. “Poderá ser possível aplicar o lupeol noutros cancros, uma vez que este composto consegue suprimir o efeito da proteína NFKB, cuja acção é determinante também no Cancro da próstata e da mama”, acredita Yuen. Inês de Matos

Fonte: Fármácia

Você sabe comer fruta?

Fruta é o mais perfeito alimento, gasta uma quantidade mínima de energiapara ser digerida e dá ao seu corpo o máximo em retorno.
O único alimento que faz seu cérebro trabalhar é glicose. A fruta éprincipalmente frutose (que pode ser transformada com facilidade emglicose),e na maioria das vezes 90-95 por cento de água. Isso significa queela está limpando e alimentando ao mesmo tempo.

O único problema com as frutas é que a maioria das pessoas não sabe comocomê-las de forma a permitir que o corpo use efetivamente seus nutrientes. Deve-se comer frutas sempre com o estômago vazio . Por quê? A razão équeas frutas não são, em princípio, digeridas no estômago: são digeridas nointestino delgado. As frutas passam rapidamente pelo estômago, dali indo para o intestino,onde liberam seus açúcares. Mas se houver carne, batatas ou amidos no estômago, as frutas ficam presas lá e começam a fermentar.

Você já comeu alguma fruta de sobremesa, após uma lauta refeição, e passou o resto da noite arrotando aquele desconfortável sabor restante? É porque você não a comeu da maneira adequada. Deve-se comer frutas sempre como estômago vazio.
A melhor espécie de fruta é a fresca ou o suco feito na hora.
Você não deve beber suco de lata ou do recipiente de vidro. Por que não? A maioria das vezes o suco foi aquecido no processo de vedação e suaestrutura tornou-se ácida. Quer fazer a mais valiosa compra que possa? Compre uma centrífuga. Você tem um carro? Venda-o e compre uma centrífuga.
Ela levará você muito mais longe. Ou simplesmente, compre a centrífuga agora! Você pode ingerir o suco extraído na centrífuga como se fosse a fruta, com o estômago vazio. E o suco é digerido tão depressa que você pode comer uma refeição quinze ou vinte minutos mais tarde.

sso, não sou só eu quem diz. O dr. William Castillo, chefe da famosa clínica cardiológica Framington, de Massachusetts, declarou que fruta é o melhor alimento que podemos comer para nos proteger contra doenças do coração.
Disse que as frutas contêm bioflavinóides, que evitam que o sangue se espesse e obstrua as artérias. Também fortalecem os vasos capilares, e vasoscapilares fracos quase sempre provocam sangramentos internos e ataquescardíacos.
Há pouco tempo, conversei com um corredor de maratona, num dos seminários de saúde que promovo. Ele era bastante cético quanto à natureza, mas concordou em fazer uso correto de frutas em sua dieta. Sabe o que aconteceu?Diminuiu 9,5 minutos de seu tempo de maratona. Cortou seu tempo de recuperação pela metade, e qualificou-se para a Maratona de Boston, pela primeira vez em sua vida.

Agora, uma coisa final que gostaria que mantivesse em sua mente sobrefrutas. Como se deve começar o dia?
O que se deve comer no café da manhã? Você acha que é uma boa idéia pular da cama e encher seu sistema com um grande monte de alimentos, que levará o dia inteiro para digerir? Claro que não.
O que você quer é alguma coisa que seja fácil de digerir, frutas que o corpo pode usar de imediato, e que ajuda a limpar o corpo. Quando levantar-se, e por tanto tempo durante o dia quanto for confortavelmente possível, coma só frutas frescas e sucos feitos na hora. Mantenha esse esquema até pelo menos o meio-dia, diariamente.
Quanto mais tempo ficar só com frutas em seu corpo, maior oportunidade dele limpar-se. Se você começar a se afastar do café e dos outros lixos com que costuma encher seu corpo no começo do dia, sentirá uma nova torrente de vitalidade e energia, tão intensa que você mal acreditará. Tente durante os próximos dez dias e veja por si mesmo.

>> Fonte: PODER SEM LIMITES,
Anthony Robbins.>


Conferência de Bali busca acordo climático

Conferência de Bali busca acordo climático global em 2009


Cerca de 190 nações vão se reunir a partir de segunda-feira na ilha de Bali, na Indonésia, para levar adiante o "frágil entendimento" de que a luta contra o aquecimento global precisa ser estendida a todos os países, com um acordo mundial a ser fechado em 2009.


As conversas entre 3 e 14 de dezembro num idílico resort fortemente vigiado, envolvendo mais de 10 mil delegados, visam iniciar negociações para chegar, dentro de dois anos, a um novo acordo da ONU que deve incluir os países que não aderiram ao Protocolo de Kyoto.


Até agora, apenas 36 países industrializados signatários do Protocolo de Kyoto obedecem aos limites impostos às emissões de gases válidos até 2012. Mas os relatórios sombrios lançados pela ONU este ano, avisando sobre a chegada de mais ondas de calor, secas e a ascensão do nível do mar, dizem que é urgentemente necessária a adoção de limites em todo o mundo.


Entretanto, calcular as parcelas justas de redução de emissões, principalmente da queima de combustíveis fósseis, lançadas por países ricos e os pobres será um quebra-cabeças tremendo.


Num relatório feito após um conjunto de conversações promovidas pela ONU para estudar novas maneiras de combater as mudanças climáticas desde 2005, o australiano Howard Bamsey e a sul-africana Sandea De Wet disseram: "Não ouvimos ninguém contestar a idéia de que os países desenvolvidos precisam liderar o esforço de redução".


Eles disseram que existe um consenso de que é preciso fazer mais, mas há discordâncias sobre como isso deve ser realizado. Alguns países se dispõem a reduzir mais as emissões de gases, outros disseram que as promessas existentes precisam ser cumpridas e há os que pediram incentivos para se unir ao esforço de redução.


As perspectivas de se chegar a um pacto global foram reforçadas pela decisão tomada pelo presidente norte-americano, George W. Bush, de que os EUA participarão em 2012.

Bush se opõe ao tratado de Kyoto, que vê como ameaça ao crescimento econômico dos EUA e algo que exclui injustamente os países pobres da obrigação de cumprir metas.


"Gostaríamos de ver um mapa do caminho traçado em Bali", disse Paula Dobrinsky, subsecretária de Estado norte-americana para Democracia e Assuntos Globais. "Queremos ir a Bali com abertura e flexibilidade."


As Nações Unidas querem que um novo pacto seja acordado em conferência da ONU a ser realizada em 2009 em Copenhague - quando Bush já terá deixado a Casa Branca. É provável que muitos países queiram esperar para ver qual será a linha seguida pelo próximo presidente dos EUA.


Por Alister Doyle e Gerard Wynn

Fontes: Terra
Reuters

Derretimento abre passagem entre Europa e Ásia

A ESA, a agência espacial européia, divulgou um gráfico do Oceano Ártico que mostra a abertura de uma passagem marítima entre Europa e Ásia, historicamente conhecida por ser intransponível, segundo informações da AFP, nesta sexta-feira.

De acordo com a imagem, captada pelo satélite Envisat ASAR, a Passagem Noroeste está com o caminho aberto devido ao derretimento recorde das geleiras. O fênomeno afetou também a Passagem Nordeste que está parcialmente bloqueada.

Segundo a ESA, foram registrados os maiores níveis de derretimento, desde que a agência começou a monitorar a região no início de 1978. Um dos principais responsáveis pelo degelo é o aquecimento global.




No gráfico, a cor laranja representa a Passagem Noroeste, agora livre do gelo; a cor azul mostra a Passagem Nordeste parcialmente bloqueada

China divide posto de vilã e heróina do aquecimento

O grande paradoxo da China é que, dentro de pouco anos, o país será ao mesmo tempo o maior responsável pelas emissões de poluentes e o que mais se esforça para reduzir suas emissões e seu consumo de energia. Exemplo de pais que chegou tarde a um modelo de desenvolvimento caduco inventado pelos ocidentais, a China se vê obrigada a combinar, em uma corrida esquizofrênica, industrialização e desindustrialização, emissão de poluentes e defesa do meio ambiente.

Sua condição de "fábrica do mundo", sob o paradigma da divisão internacional de trabalho, oferece ainda outros paradoxos. Cerca de 27% do consumo atual de energia do país se destinam, hoje, à produção de bens que serão vendidos fora da China, de acordo com um estudo da academia chinesa de ciências sociais e do grupo ambientalista WWF. Mas as emissões geradas por esses 27% são contabilizadas como parte das atividades econômicas chinesas.

De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), em 2030 a China emitirá duas vezes mais gases responsáveis pelo efeito-estufa do que os Estados Unidos (o equivalente a 28% das emissões mundiais), terá um dos maiores parques automobilísticos do planeta, responderá por 30% da demanda adicional de energia surgida daqui até lá e por metade das emissões dos países em desenvolvimento. Ao mesmo tempo, a China será líder em energias renováveis. No ano passado, o país investiu US$ 10 bilhões dos US$ 50 bilhões que o planeta dedicou a esse segmento. É o país que mais gasta com isso, depois da Alemanha, e dentro de três anos a expectativa é de que tenha superado Europa, Japão e América do Norte como principal fabricante de células fotovoltaicas e equipamentos para energia solar, o que reduziria os preços desses produtos no mercado mundial até torná-los competitivos sem necessidade de subsídios governamentais. A lei chinesa de energias renováveis dispõe que em 2030 o país gere 30% de sua energia sem utilizar combustíveis fósseis.

Mas nada disso vai impedir que o país contamine mais a cada ano, porque as previsões de aumento de seu consumo e demanda energética são tão gigantescas que anulam quaisquer benefícios derivados dos ganhos de eficiência energética ou do uso de fontes renováveis. A demanda de eletricidade vai aumentar em razão de 7,6% anuais até 2015, e em cerca de 5% ao ano de lá até 2030. E esse frenesi todo será alimentado por carvão. Em 2030, o carvão, que hoje atende 74% das necessidades chinesas de energia, continuará a ser o principal recurso energético da Ásia, coma Índia e China responsável por 60% do aumento nas emissões de dióxido de carbono.

O que alimenta esse frenesi é o anseio de um quinto da população do planeta por deixar de ser pobre. A principal prioridade da China é o crescimento. Em 2020, a força de trabalho chinesa será de mais de 900 milhões de pessoas, 300 milhões a mais que a força de trabalho agregada de todos os países desenvolvidos.

Gerar emprego para essa massa, em meio a uma enorme onda de urbanização, é a prioridade nacional. Desde 1978, a China optou por uma estratégia de urbanização, algo que havia evitado até então. Entre 1978 e 2003, a população urbana triplicou, atingindo os 520 milhões. Cerca de 400 milhões de camponeses a mais devem migrar para as cidades do país nos próximos 30 anos. Os cidadãos urbanos consomem 3,5 vezes mais energia do que seus homólogos rurais.

A preocupação de não colocar em risco o desenvolvimento econômico ou a estabilidade do regime não deixa muito espaço de manobra à China. Isso explica a insistência em um crescimento sustentado de 7%, para que o avião não caia. Qualquer compromisso que venha a ser aceito em termos de controle de emissões será visto como ameaça ao desenvolvimento, e é por isso que a China chega a Bali rechaçando todas as medidas que limitem suas emissões de dióxido de carbono. O país alega que não tem responsabilidade histórica pelo aquecimento global, e distingue entre as "emissões de luxo" dos países desenvolvidos e as "emissões de sobrevivência" dos países em desenvolvimento.

A opinião pública do país demonstra grande ignorância no que tange à questão das alterações climáticas. "O país discute, acima de tudo, o impacto do aquecimento global sobre sua situação específica, mais do que as conseqüências mundiais do fenômeno", diz o professor Jiang Jiasi, da Universidade de Pequim. No que tange às atitudes de consumo, a maioria absoluta da população chinesa emprega energia de maneira muito frugal, gastando pouco e reciclando muito. Dois terços da população participam da economia de mercado de maneira apenas marginal. Mas, por outro lado, os consumidores mais ricos do país costumam desperdiçar muito. A opção pelos carros de grande porte é muito mais comum na China do que na Europa. E nos jantares de cerimônia do país, é raro que não sobre pelo menos metade da comida.

"As alterações climáticas são responsabilidade dos ricos de todo o mundo, entre os quais os ricos chineses": o professor Pan Jiahua, que comanda a delegação extra-oficial enviada pela China a Bali, concorda com essa afirmação, e acrescenta que "os países desenvolvidos deveriam liderar pelo exemplo".

Tradução: Paulo Migliacci ME