Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Equinácia pode prevenir constipações



O consumo da equinácia, uma popular planta medicinal, pode reduzir significamente as probabilidades de desenvolver constipações.

Um estudo publicado na revista The Lancet Infectious Diseases revelou as propriedades medicinais da planta equinácia e dos seus componentes, afirmando que o seu consumo reduz as probabilidades de contrair constipações em cerca de 58%. O mesmo estudo refere ainda que a duração destas constipações seria reduzido para até quatro dias, em contraste com os habituais sete dias que costuma, por média, durar.

Cientistas referem o modo como actua no aumento das defesas do sistema imunitário como explicação da sua teoria.

Poderes medicinais da equinácia

A equinácia é uma das plantas medicinais mais populares nos Estados Unidos, sendo utilizada na prevenção e cura das constipações vulgares, gripes e outras infecções. As suas propriedades fazem desta planta uma das mais estudadas e seguras de se usar, não só no capítulo das imunoestimulantes, como na medicina em geral. O seu efeito mais importante é a estimulação da fagocitose, o fenómeno responsável pela detecção, englobamento e eliminação de organismos invasores do nosso corpo, efectuado pelos glóbulos brancos e pelos linfócitos em geral. Diversos testes efectuados “in vitro” efectuados por cientistas demonstram mesmo um aumento da fagocitose na ordem dos 20% a 40% quando se utilizavam extractos desta planta.

A equinácia provoca um aumento no número das células imunitárias, aumentando o poder de resposta do nosso sistema imunitário a qualquer infecção ou factor tóxico, ao mesmo tempo que actua no aumento da produção do interferon, uma proteína produzida pelas células do organismo para defendê-lo de vírus, assim como pela inibição de algumas enzimas, como a hialuronidase, que facilita a entrada das bactérias no nosso organismo.

pedro.santos@farmacia.com.pt

0 comentários: