Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

domingo, 30 de março de 2008

O que um alimento transgênico pode fazer com sua saúde?

Essa é uma questão muito interessante que os cientistas ainda não tem um parecer definitivo, mas vale a pena refletir sobre uma reportagem de 23 de maio deste ano exposta por diversos meios de comunicação sérios como O Estado de São Paulo:

"Milho transgênico tem efeito nocivo em ratos

Em entrevista ao jornal britânico The Independent, o pesquisador Michael Antoniu, do Guy´s Hospital Medical School, classificou os dados como "muito preocupantes do ponto de vista médico"

São Paulo - Em reportagem publicada neste domingo, o jornal britânico The Independent revelou resultados de um experimento segundo o qual uma variedade de milho transgênico da Monsanto produziu efeitos nocivos sobre a saúde de ratos. Citando um relatório "secreto" de 1.139 páginas, o texto diz que animais alimentados com o milho geneticamente modificado apresentaram alterações no sangue e rins menores, em comparação a animais alimentados com milho convencional.

Os resultados, segundo o jornal, colocam em dúvida a segurança do milho transgênico para alimentação humana. Os dados referem-se a uma variedade específica, chamada MON 863, que está nesse momento sendo avaliada para liberação comercial na União Européia. As plantas carregam em seu DNA o gene de uma bactéria que as torna resistentes ao ataque de lagartas.

Em entrevista ao jornal britânico, o pesquisador Michael Antoniu, do Guy´s Hospital Medical School, classificou os dados como "muito preocupantes do ponto de vista médico".

A Monsanto, em resposta, disse que o estudo não é confidencial e que os resultados foram submetidos às agências reguladoras européias como parte do pedido de liberação comercial do produto. A variedade, segundo a empresa, foi aprovada pela Autoridade Européia de Segurança Alimentar (EFSA), que considerou "improvável que haja quaisquer reações adversas na saúde humana e animal e ao meio ambiente no contexto do seu uso proposto".

O estudo, segundo o gerente de biotecnologia e sementes da Monsanto no Brasil, Geraldo Berger, foi encomendado pela empresa ao laboratório de toxicologia Covance, no EUA, em 2002. Levou 90 dias e foi feito com camundongos, e não ratos, como escreveu o Independent. "Não são resultados negativos. Alguns parâmetros apresentaram diferença significativa entre os animais com dieta transgênica e convencional. Porém, nada fora dos padrões normais", disse Berger. "Não há efeito sobre a segurança do produto".

Especialistas brasileiros em biotecnologia preferiram não comentar o caso sem ver a íntegra do estudo.

A Monsanto, segundo Berger, não tem interesse em comercializar a variedade MON 863 no Brasil porque o tipo de lagarta ao qual ela é resistente (diabrótica, que ataca as raízes) não é uma praga significativa no País. O produto, segundo a empresa, é cultivado desde 2003 nos EUA e Canadá e já foi aprovado para consumo no Japão, Coréia, Taiwan, Filipinas, Rússia e México.

Uma outra variedade, MON 810, aguarda parecer da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) para liberação no Brasil. A CTNBio, que teve sua composição e atuação alteradas pela nova Lei de Biossegurança, em março, está com suas atividades paralisadas, aguardando regulamentação das normas. "

Fonte: http://www.amaranthus.esalq.usp.br/Transgenico2.htm

0 comentários: