Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Estudo comprova que, mesmo tardia, a mudança de hábitos traz muitos benefícios à saúde para quem já

Estudo comprova que, mesmo tardia, a mudança de hábitos traz muitos benefícios à saúde

Se você tem mais de 60 anos, é sedentário, fumou a vida toda e sempre se alimentou mal, pode achar que não adianta mais se render aos constantes apelos para adotar um estilo de vida saudável. Pois reveja seus conceitos: especialistas ouvidos pela Folha garantem que vale a pena, sim, fazer mudanças no estilo de vida, mesmo para quem já está na maturidade.

Sempre quis aprender música ou falar outro idioma, mas acha que é tarde demais? Mais mitos a serem derrubados. Com interesse e motivação, é possível aprender em qualquer idade, afirmam os professores entrevistados.
"As pessoas trabalham a vida toda e muitas vezes deixam os sonhos de lado. A maturidade pode ser um bom momento para começar. Construir hábitos saudáveis nos faz envelhecer com mais autonomia, e aprender coisas novas protege a plasticidade do cérebro", diz o geriatra Francisco de Brito, coordenador do Centro de Envelhecimento Saudável do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e pesquisador do Centro de Estudos do Envelhecimento da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).
Um estudo publicado no "American Journal of Medicine" comprova que, de fato, a mudança de hábitos traz muitos benefícios à saúde mesmo para quem não está no auge da juventude. Os pesquisadores, da Universidade da Carolina do Sul (EUA), acompanharam por quatro anos 15.792 pessoas entre 45 e 64 anos.
O objetivo era descobrir se os benefícios de ter um estilo de vida saudável valiam também para pessoas que começam a adotá-lo tardiamente. O resultado foi animador: mesmo para quem fez mudanças recentes, consumir cinco porções diárias de frutas e vegetais, exercitar-se por pelo menos duas horas e meia por semana, manter um peso adequado e não fumar podem diminuir o risco de problemas cardíacos em 35% e o risco de morte em 40% em comparação com pessoas com estilos de vida menos saudáveis. Chamado pelos estudiosos de efeito "turning back the clock" (algo como "revertendo o relógio"), o benefício ocorreu mesmo com alterações modestas, mas foi proporcional à quantidade de hábitos saudáveis adotados.
Para incorporar de fato esses hábitos ao estilo de vida, os especialistas são unânimes: é preciso fazer algo de que se gosta. De nada adianta se matricular nas aulas de inglês ou piano se elas se tornam um sofrimento. "A vontade é condição indispensável. Não adianta prescrever coisas benéficas se a pessoa não gosta. Quem não é fã de atividades físicas programadas pode se tornar mais ativo nas tarefas da vida diária, como passar roupa ou subir escadas. Para um envelhecimento bem-sucedido, preservar a saúde mental e as relações é tão importante quanto cuidar da saúde física", afirma Brit

0 comentários: