Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de março de 2010

Brotos de brocólis podem proteger contra o câncer gástrico

Autora: Roxanne Nelson



Pesquisa preliminar sugere que brotos de brócolis apresentam propriedades quimiopreventivas. Em um ensaio clínico piloto e em um estudo em animais, pesquisadores descobriram que o consumo de brotos de brócolis pode reduzir a colonização pelo Helicobacter pylori, que está associada ao desenvolvimento de gastrite e câncer gástrico. Além disso, o consumo de brotos de brócolis parece acentuar as enzimas antioxidantes e anti-inflamatórias no estômago.



O estudo, publicado na
Cancer Prevention Research, baseia-se em pesquisas anteriores sobre o valor potencial de sulforafane, uma substância bioquímica de ocorrência natural que é encontrada em abundância relativa em brotos de brócolis frescos. As experiências laboratoriais utilizando sulforafane purificado demonstraram que ele apresenta propriedades antibacterianas contra o Helicobacter e mata até mesmo cepas que são resistentes aos antibióticos comumente utilizados (Proc Natl Acad Sci U.S.A. 2002; 99:7610-7615).

"No nosso estudo de 2002, o sulforafane matou o
Helicobacter diretamente no tubo de ensaio", disse o autor do estudo Jed W. Fahey, MS, ScD, um bioquímico nutricional noLewis B. and Dorothy Cullman Cancer Chemoprotection Center na Johns Hopkins University School of Medicine, em Baltimore, Maryland. "Ele também reduziu a taxa de câncer gástrico em ratos."

Embora os compostos puros eliminassem efetivamente o
Helicobacter, não estava claro se o mesmo efeito poderia ser reproduzido com fontes alimentares de sulforafane. O presente estudo mostrou que uma fonte alimentar pode exercer um efeito semelhante, porém mais suave. Agora, estamos dando às pessoas a ciência que mostra por que comer frutas e verduras é bom para a saúde "A mensagem fundamental para levar consigo refere-se à velha mensagem – coma verduras", disse o Dr. Fahey ao Medscape Oncology. "Agora, estamos dando às pessoas a ciência que mostra por que comer frutas e verduras é bom para saúde."

A pesquisa demonstrou que frutas e verduras contêm fitonutrientes, os quais podem ter um efeito protetor. "Agora," disse o Dr. Fahey, "nós estamos fornecendo a evidência que mostra que o brócolis é bom para você."

A pesquisa atual é, na realidade, 2 estudos complementares - 1 em ratos e 1 em humanos infectados com
H. pylori – nos quais brotos de brócolis ricos em sulforafane foram adicionados à dieta. Foi observada uma redução nos marcadores biológicos da inflamação e na colonização pelo H. pylori O ensaio humano foi realizado no Japão, onde há uma alta incidência de infecção crônica por H. pylori. Uma coorte de 48 pessoas com infecção pelo H. pylori foram randomizadas para consumir 70 g/dia de brotos de brócolis (contendo 420 mmol de precursor de sulforafane) durante 8 semanas, ou uma quantidade equivalente de brotos de alfafa. Embora ricos em fitoquímicos, os brotos de alfafa não contêm sulforafane.

Todos os participantes tiveram amostras de sangue, fezes e urina coletadas nos dias 0, 28, 56 e 112. Nas amostras fecais, o antígeno de
H. pylori nas fezes (HpSA), que é um marcador biológico da colonização pelo H. pylori, foi pesquisado e, nas amostras de sangue, pepsinogênios séricos (PGI e PGII), marcadores biológicos de inflamação gástrica, foram medidos. A gravidade da colonização atual pelo H. pylori foi avaliada utilizando o teste respiratório com ureia.

Os pesquisadores descobriram que o nível de HpSA foi reduzido em mais de 40% no grupo em uso de brotos de brócolis, mas manteve-se inalterado no grupo em uso de alfafa. Durante o período de intervenção, também houve reduções significativas em ambos os PGI e PGII (
p <0,05), mas apenas no grupo em uso de brotos de brócolis. No entanto, os valores de HpSA e PGI e II regressaram aos níveis basais 2 meses após a intervenção. O consumo de brotos de brócolis realmente reduz a colonização pelo H. pylori, os pesquisadores observam, mas não erradica totalmente o patógeno. Dados do modelo experimental No primeiro experimento do ensaio em ratos, camundongos C57BL/6 fêmeas infectadas com cepas de H. pylori SS1 (Sydney strain 1) foram mantidas sob uma dieta rica em sal (NaCl 7,5%) e foram alimentadas com brotos de brócolis. O resultado foi a redução da colonização bacteriana gástrica e atenuação da expressão do fator de necrose tumoral-α e interleucina-1β na mucosa, os quais são citocinas pró-inflamatórias importantes que são elevadas na mucosa gástrica pela infecção com H. pylori. A adição de brotos de brócolis à dieta suprimiu a regulação para cima (upregulation) dessas citocinas.

Eles também observaram que o efeito protetor contra a inflamação da mucosa gástrica foi paralelo à inibição significativa da atrofia gástrica e aos níveis reduzidos tanto de 8-OHdG
quanto de DNA de cadeia simples, que são marcadores de apoptose.

Um segundo experimento foi realizado utilizando camundongos infectados pelo
H.pylorique haviam sido geneticamente modificados para não apresentar o gene Nrf2, a qual ativa as enzimas protetoras. O consumo de brotos de brócolis não pareceu oferecer a mesma proteção para este grupo de camundongos. Este achado confirmou achados anteriores de que o gene Nrf2 desempenha um papel na proteção contra a inflamação e gastrite induzidas pelo H. pylori, de acordo com os pesquisadores. Possível redução do Câncer "Em nosso estudo, nós reduzimos os níveis de H. pylori", disse o Dr. Fahey. "Reduzir o risco do câncer gástrico não era o desfecho, mas a progressão é clara - o risco de câncer é de 3 a 6 vezes maior com a infecção pelo H. pylori."

"Se você reduz a colonização, então você pode reduzir a infecção", acrescentou. "Nós não curamos ninguém, mas nunca esperamos que a intervenção dietética isoladamente fizesse isso."

À medida que a população envelhece, espera-se que a incidência de câncer aumente. "O número de novos casos duplicará nos próximos 25 anos, então a carga sobre o sistema de saúde será insuportável", disse Dr. Paul Talalay,
John Jacob Abel Distinguished Service Professor of Pharmacology e diretor do Laboratório de Ciências Moleculares da Johns Hopkins University School of Medicine.

"Não é uma escolha considerar a prevenção ou proteção contra o câncer, é uma ordem", disse Dr. Talalay em uma declaração.
Não é uma escolha considerar a prevenção ou proteção contra o câncer, é uma ordem Embora não envolvido neste estudo, Dr. Talalay é um pioneiro no estudo dos fitoquímicos dietéticos que podem ajudar a proteger contra o câncer, e ele está escalado para receber o prêmio para pesquisa em saúde Instituto Linus Pauling em 18 de maio de 2009. O prêmio é um dos principais títulos no mundo para cientistas que estudam micronutrientes, dieta e outras abordagens naturais para a prevenção ou tratamento de doenças.
O estudo foi financiado pelo Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia, Japão; Lewis B. and Dorothy Cullman Foundation e o American Institute for Cancer Research. Dr. Fahey é um cofundador da Brassica Protection Products LLC, uma empresa que é licenciada pela Johns Hopkins University para produzir brotos de brócolis.Os co-autores não declararam conflitos de interesse.



Cancer Prev Res (Phila Pa). 2009;2:353-360. Abstract


Informações da autora: Roxanne Nelson é uma jornalista freelance de Medscape Oncology.


Copyright 2010 WebMD, Inc. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a republicação, redistribuição, propagação ou disseminação do Conteúdo Medscape ou do Conteúdo Medcenter sem a prévia autorização por escrito de WebMD.
http://www.medcenter.com/Medscape/content.aspx?id=19564

0 comentários: