Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Microondas certamente não é bom para a sua comida

Até agora, você provavelmente já sabe que o que come tem um profundo impacto sobre sua saúde. O mantra: "Você é o que você come" é realmente verdade.


Mas é preciso considerar não apenas o que compra, mas como cozinha.


Comer alimentos crus é o ideal. Mas a maioria de nós pode não ser capaz de realizar uma dieta completamente de crus, e vamos acabar a cozinhar alguma percentagem dos nossos alimentos.


Uma preparação inteligente de comida começa com alimentos de alta qualidade, o que significa dizer adeus ao forno de microondas. Se tiver necessidade de esterilizar um pano de cozinha use seu o microondas. Mas para fazer a sua comida é uma má idéia se você está interessado em preparar alimentos saudáveis.




Porquê a política de "não forno microondas"?


Quando se trata de fornos de microondas, o preço da comodidade é comprometer a sua saúde. Neste artigo, vou rever o que sabemos sobre os efeitos de microondas na sua comida e no seu corpo.


Estado Triste dos nossos solos

Ao longo do século passado, a qualidade dos alimentos frescos diminuiu devido ao esgotamento do solo, práticas agrícolas não sustentáveis, a superprodução de culturas e o uso de pesticidas e herbicidas. Você não pode mais assumir que está recebendo todas as vitaminas, minerais, enzimas e fitonutrientes, você precisa de comer uma grande variedade de produtos frescos, mesmo que você esteja comendo organicamente(alimentos biológicos).

Não surpreendentemente, uma caloria hoje irá fornecer-lhe menos nutrientes do que uma caloria de  há 100 ou mesmo 50 anos atrás.

Três estudos recentes de composição de alimentos históricos têm mostrado declínios de 5-40 por cento  em alguns dos minerais em produtos frescos e um outro estudo encontrou um declínio semelhante nas nossas fontes de proteína. [1]


Então, agora, mais do que nunca, você deve ter cuidado para maximizar o a densidade nutricional quando se trata dos alimentos que você come.

A pesquisa mostra que o forno de microondas NÃO irá ajudá-lo nestes esforços e, de facto, vai ameaçar a sua saúde violentamente rasgando as moléculas dos alimentos, tornando inertes alguns nutrientes, na melhor das hipóteses, e cancerígenos no seu pior.

A conveniência vem  com uma ameaça tóxica importante para si e para a sua família

Os microondas aquecem os alimentos, fazendo com que as moléculas de água vibrem em frequências muito altas e, eventualmente, tornan-se vapor que aquece o alimento. Enquanto isso pode aquecer rapidamente o seu alimento, o que a maioria das pessoas não percebe é que também provoca uma mudança na estrutura química do mesmo.

Há inúmeras questões que surgiram desde que os fornos de microondas foram introduzidos inicialmente aos consumidores há mais de 40 anos atrás, além de esgotar o valor nutricional do alimento, que será abordado um pouco mais tarde.

A primeira coisa que você deve ter notado quando começou a usar o microondas era o desigual aquecimento da comida .

"Os pontos quentes" em alimentos cozidos com microondas podem ser o suficiente para causar queimaduras ou até criar uma explosão de vapor. "Isso resultou em advertências às novas mães sobre não usar o microondas para aquecer mamadeiras/biberões, depois que alguns bebês ficaram queimados por liquidos super-aquecidos que não foram detectados.



Outro problema com o forno de microondas é que as toxinas cancerígenas podem sair para fora de seus recipientes de plástico e papel para os seus alimentos.

O relatório de janeiro / fevereiro 1990 da Nutrition Action Newsletter reportou o vazamento de inúmeras substâncias químicas tóxicas de embalagens de alimentos preparados para microondas, incluindo pizzas, batatas fritas e pipocas. Produtos químicos incluídos terpthalate de polietileno (PET), benzeno, tolueno e xileno. Alimentos gordurosos para microondas em embalagens plásticas levam à libertação de dioxinas (agentes cancerígenos conhecidos) e a outras toxinas na sua comida. [8] [2]

Um dos piores contaminantes é BPA, ou bisfenol A, um composto estrogênico amplamente utilizado em produtos plásticos. De fato, os pratos feitos especificamente para o microondas geralmente contêm BPA, mas muitos outros produtos de plástico  também.

O microondas distorce e deforma as moléculas de qualquer alimento ou outra substância sujeita a essa radiação. Um exemplo disto é o dos produtos sanguíneos.

O sangue é normalmente aquecido antes de ser transfundido para uma pessoa. Agora sabemos que o sangue aquecido em microondas fica danificado. Na verdade, uma mulher morreu após receber uma transfusão de sangue aquecido com microondas em 1991 , que resultou num processo bem divulgado.

http://www.mercola.com/article/microwave/hazards2.htm

Escapamento de radiação de microondas

Você pode ter ouvido que há algum perigo das microondas escaparem do seu aparelho qaundo ele está em funcionamento. Este era um risco maior com modelos antigos do que  com os mais recentes, que foram submetidos a testes mais rigorosos.

Teoricamente, existem quantidades muito pequenas de fuga de radiação através do vidro de visualização, mas o FDA relata que estes níveis são "insignificantes" e "bem abaixo do nível conhecido para prejudicar as pessoas."

A FDA tem vindo a regular fornos de microondas, desde 1971, através do seu programa de controle de produtos eletrônicos de radiação, que é regulado pela Electronic Product Radiation Control do Food Drug and Cosmetic Act [3] .

O FDA limita a quantidade de microondas que pode vazar de um forno em toda a sua vida útil de 5 miliwatts (mW) por centímetro quadrado a aproximadamente 2 cm da superfície do forno. Porque a energia de microondas diminui drasticamente à medida que nos afastamos da fonte de radiação, uma medição feita a 50.8 cm (20 polegadas)  do seu forno será de aproximadamente um centésimo do valor medido a 5,8 cm (2 polegadas). [2]

A norma federal também exige que todos os fornos devam ter "dois sistemas de bloqueio independentes para parar a produção das microondas no momento em que a fechadura ou a porta estão abertas."

E um sistema de monitoramento também é necessário, que interrompe o funcionamento se um ou ambos os sistemas de bloqueio falhar.

Você pensará que, com todos esses testes e regulamentos, estaria seguro. No entanto, de acordo com a organização independente e sem fins lucrativos, Powerwatch,com um papel central no debate da radiação de microondas:

"Mesmo quando o microondas está funcionando corretamente, os níveis de microondas na cozinha são susceptíveis de serem significativamente superiores aos de qualquer telefone celular (telemóvel) próximo às estações de base. Lembre-se também que as microondas vão viajar através das paredes, se o forno de microondas estiver contra uma parede interior. "

O Powerwatch também afirma que nós não sabemos realmente se as normas vigentes sobre fugas são verdadeiramente seguras e recomenda os fornos serem verificados pelo menos anualmente, uma vez que as emissões de microondas podem mudar com o uso normal.

Você também pode considerar a aquisição de um dispositivo de teste de  que lhe permite verificar a radiação em sua casa.

Certifique-se que, se você estiver a usar o microondas para esterilizar esponjas de limpeza ou para qualquer uso, examinar regularmente a porta e dobradiças para se certificar que estão vedando adequadamente. Se a porta não fecha corretamente, ou se está deformada, dobrada ou danificada, não o use mais!

Os olhos são conhecidos por ser particularmente sensíveis à radiação de microondas (exposições de microondas de alta são conhecidos por causar cataratas), eu recomendo afaste-se do seu micro enquanto ele estiver em uso.

Novo estudo confirma Microondas afecta o seu coração


Um estudo recente que examina os efeitos da radiação de 2,4 GHz (que é a freqüência da radiação emitida por roteadores/routers Wi-Fi e microondas) sobre o coração acaba de ser finalizado. O estudo encontrou "provas inequívocas" de que a radiação de freqüência de microondas afecta o coração a níveis não-térmicos que estão bem abaixo das diretrizes de segurança, de acordo com a Dra. Magda Havas da Trent University [4] .

A Dr. Havas diz:

"Este é o primeiro estudo que documenta as dramáticas mudanças imediatas na frequência cardíaca e da variabilidade da frequência cardíaca causada por um dispositivo aprovado que gera microondas em níveis bem abaixo (0,3 por cento) das diretrizes federais no Canadá e nos Estados Unidos."

Não podem mais os cépticos afirmarem que as microondas não produzem efeitos biológicos imediatos  em níveis domésticos comuns!

O estudo será exibido num jornal "peer-reviewed" durante o verão de 2010. Se você estiver enfrentando batimentos cardíacos acelarados ou irregulares, dor ou pressão no peito, será melhor visitar o seu médico e compartilhar este vídeo com ele ou ela.




Há também evidências de que esta mesma frequência da radiação provoca aumento de açúcar no sangue em indivíduos suscetíveis e pode realmente ser a causa de um novo tipo de diabetes. Para mais detalhes sobre isso, ver o vídeo abaixo.




O Microondas também destrói os nutrientes directamente da sua comida

Houve muito pouco pesquisa  sobre como as microondas afetam as moléculas orgânicas, ou como o corpo humano responde quando consumimos alimentos preparados no microondas.

Você não esperaria que um produto que existe em mais de 90 por cento das cozinhas, assim como praticamente todos os quartos de hoteis ou moteis, não tivesse sido exaustivamente estudado para segurança?

Os poucos estudos que têm sido feitas geralmente concordam, na maioria que o microondas provoca danos nos alimentos e no seu valor nutricional. O seu microondas transforma os seus belos, vegetais orgânicos/biológicos, para o qual você pagou um bom dinheiro ou em trabalho de os plantar, em "alimentos mortos", que podem causar doenças!

O aquecimento dos alimentos, por si só, pode resultar em alguma perda de nutrientes, mas o uso de microondas para aquecer os alimentos apresenta o problema adicional do " efeito microondas ",um fenômeno que será discutido em detalhe mais tarde.

A maioria dos estudos sobre nutrição e microondas foram realizadas antes de 2000, eu suspeito que o foco da investigação de radiação ultimamente mudou para uma  ameaça mais sinistra: a radiação eletromagnética do ambiente a partir de dispositivos, como telefones celulares/telemoveis e computadores, que cresceu rapidamente numa gigantesca nuvem de "electro-smog" mundial na última década.

No entanto, alguns dados científicos excelentes  tem sido recolhidos sobre os efeitos nocivos das microondas sobre os nutrientes:

Um estudo publicado em novembro de 2003 do jornal de Ciência da Alimentação e Agricultura (The Journal of the Science of Food and Agriculture)[5] descobriu que brócolos aquecidos no microondas com um pouco de água perderam até 97 por cento dos seus antioxidantes benéficos. Em comparação, brócolos refogados perdem 11 por cento ou menos dos seus antioxidantes. Houve também uma redução em compostos fenólicos e glucosinolatos, mas os níveis de minerais permaneceram intactos.

Um estudo de 1999, na Escandinavia com cozimento de espargos descobriu que o microondas causa uma redução na vitamina C [6] .
Num estudo com alhos,  60 segundos de aquecimento por microondas foi suficiente para inactivar a alinase, o princípio do ingrediente ativo do alho contra o câncer/cancro [7] .

Um estudo japonês por Watanabe mostrou que apenas 6 minutos de aquecimento por microondas transformou 30-40 por cento da B12 em leite numa forma de material inerte (morto)  [8] . Este estudo foi citado pelo Dr. Andrew Weil, como prova de apoio às suas preocupações sobre os efeitos das microondas. Dr. Weil escreveu:

"Pode haver perigos associados a alimentos  preparados em microondas ... há uma questão de saber se as microondas alteram a química das proteínas de maneira que podem ser prejudiciais. "

Um recente estudo australiano [9] mostrou que as microondas causam um maior grau de "desdobramento de proteínas" do que o aquecimento convencional.

As microondas podem destruir os agentes essenciais de combate à doença no leite materno que oferecem protecção para o bebê. Em 1992, Quan descobriu que o leite materno aquecido no microondas perdeu a atividade da lisozima e anticorpos e promoveu o crescimento de bactérias potencialmente mais patogênicas [10] .

Quan afirmou que maiores danos foram feitos em leite aquecido por microondas do que por outros métodos de aquecimento, concluindo: "Cozinhar com microondas parece ser contra-indicado em altas temperaturas, e questionou sobre a sua segurança mesmo em baixas temperaturas."


Embora muitos dos estudos acima não sejam novos, há evidências abundantes de que o microondas certamente não é bom para a sua comida.

Adaptação de Luís Guerreiro

Baseado num artigo do Dr. Mercola publicado em http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2010/05/18/microwave-hazards.aspx



Mais sobre Microondas
http://alimentacaoviva.blogspot.com/2008/03/os-perigos-ocultos-da-culinria-de.html
http://alimentacaoviva.blogspot.com/2007/11/radiaes-podem-causar-cancro-cncer.html



Referencias:


0 comentários: