Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Dieta para o crescimento espiritual

A sua dieta pode afectar a sua vida espiritual?


Filósofos dizem que sim, aqui estão algumas directrizes para o consumo de alimentos que podem melhorar o seu crescimento pessoal.


Celebração, jejum e fé - três componentes da tradição religiosa e espiritual da humanidade desde que reconheceu a existência de forças superiores, e supôs que alguma forma de culto ou ritual de oração pode ser ouvida pelos deuses.


A comida é um dos maiores problemas na cultura de hoje, seja ela de perda de peso com dietas à base de calorias, gorduras ou hidratos de carbono, um influxo de alimentos geneticamente modificados, ou o foco em todo o mundo na campanha contra a fome, perguntas sobre o fornecimento de alimentos para a raça humana enchem as noticias.


Um aspecto dos alimentos está se tornando importante para as pessoas que prestam atenção ao que comem: a possibilidade de que o que eles ingerem tenha impacto no bem-estar espiritual. A ideia não é nova. Filósofos orientais e santos cristãos ficaram conhecidos por jejuar como penitência ou para limpar os seus corpos, considerados o templo do seu espírito. Muitas religiões têm leis antigas proibindo certos alimentos ou combinações de alimentos como profanas ou impuras, contaminando o espírito.


O tema assume uma inclinação diferente no mundo moderno da tecnologia, no entanto, os seres humanos não estão mais intimamente associados com a terra e ao processo natural de crescimento ao longo das estações. Os consumidores mais preocupados de hoje precisam de se focar deliberadamente no que estão a comprar para comer, de onde vem, como foi cultivado, e como seu próprio corpo transforma essa comida em energia.


Reconhecendo que o nosso corpo, mente e espírito estão interligados, inegavelmente leva ao entendimento de que o que fazemos com um aspecto do nosso ser, terá um impacto nos outros. Um próximo passo lógico é tratar do nosso corpo, incluindo a nossa dieta, de uma maneira que irá afectar a forma como pensamos e apoiar o nosso crescimento espiritual.


* Antigos princípios Ayurvédicos da Índia sugerem que certos tipos de alimentos nutrem diferentes emoções ou ideias.


Algumas orientações alimentares Védicas:


- O alimento deve ser tão fresco quanto possível, e deve criar água na boca.


- Alimentos que tem mais de 72 horas criam bloqueios com energia negativa e devem ser evitados.


- O vegetarianismo é bom, mas nem todos estão evoluídos espiritualmente o suficiente para adoptá-lo.


- Estes alimentos apoiam a clareza mental:


-Iogurte natural ou Kefir


-Nozes


-Vegetais verdes


-Frutas (doces)


-Arroz (Basmati integral)


-Coco


- Esses alimentos nutrem o corpo, mas são pesados demais para serem bons para a espiritualidade:


-Leite (cru)


-Proteínas


-Trigo, milho, cevada, etc (a não ser que sejam germinados)


-Legumes que crescem debaixo da terra


-Lentilhas (a não ser que sejam germinadas)


-Especiarias


-Frutas (cítricas)


* Um estudo do poder dos Chakras na filosofia oriental revela sugestões de dieta para melhorar cada um dos sete portais de energia.


As recomendações incluem colocar o foco onde ele é necessário, mas mantendo um equilíbrio global, por exemplo, não ficarmos atordoados/aéreos e sem os "pés no chão", enquanto jejuamos, para nos tornarmos mais espirituais.


--Primeiro Chakra, para aterramento e estabilidade: Proteína, alimentos vermelhos


- Em segundo lugar, para a criatividade, a fluidez, alterar: líquidos, alimentos laranja


- Em terceiro lugar, para força, integridade, humor: carboidratos/hidratos de carbono, alimentos amarelos


- Em quarto lugar, para a respiração e amor incondicional: Legumes, verduras frescas


- Cinco, para uma comunicação clara: Frutas, principalmente azuis


- Seis, para maior clareza mental: Cacau, (alteração de humor)


- Sete, por pura espiritualidade: Nenhum, o jejum


* Os vegetarianos seguem uma dieta livre de carne, tanto para seu próprio bem-estar ou pelo respeito por outras criaturas do planeta, ou ambos. Nem todo o vegetariano escolhe conscientemente o estilo de vida como um caminho espiritual, mas alguns fazem-no, e dizem que quanto mais eles se recusam a alimentar seus próprios corpos, à custa de outro ser vivo, mais facilmente entram em sintonia com a natureza e a lei natural.


A meditação, yoga e outras práticas que visam integrar o corpo, mente e espírito tornam-se mais fáceis, menos uma luta para os ocidentais que optam por evitar carnes e derivados.


Heintz Grotzke, no prefácio do Alimento Espiritual para o Novo Milênio (Spiritual Food for the New Millenium), escreveu:


"Alimentos para consumo humano não precisam apenas de alimentar o corpo, mas também o espírito. O pensamento humano não pode compreender o espírito ao alimentar-se com alimentos contaminados. Parece tão lógico e evidente, porém para a maioria das pessoas isto ainda está escondido no meio do nevoeiro."


* O jejum, um tempo para se abster de todos os alimentos sólidos, tem mantido um papel importante na disciplina espiritual desde os primeiros tempos. Embora tenha caído o seu uso ao longo das últimas décadas, muitas práticas religiosas têm, tradicionalmente, usado o jejum como uma forma de castigo físico, uma forma de punir o corpo humano de ter emoções "base" e "desejos mundanos." Esta abordagem do jejum considera que o corpo, "porção" da nossa existência é inferior e deve ser severamente restringido em favor dos mais nobres aspectos "espirituais".


Hoje, poucas pessoas abraçam a ideia de que para crescer plenamente espiritualmente, se deva rebaixar o corpo físico. A tendência é mais para a integração do corpo e do espírito, honrando ambos. Ainda assim, o jejum ocupa um lugar importante para aqueles que desejam aperfeiçoar a ligação entre o espiritual e o físico.


Após o jejum, a mente de uma pessoa é mais clara, dizem, e a percepção extra-sensorial mais viva quando o sistema digestivo não está tão intimamente ligado ao fornecimento de energia.


Além disso, um praticante de jejum inteligente torna-se mais consciente de da forma como está utilizando os alimentos e o que está colocando no seu corpo, assim que o jejum termina. Ele não quer perder o sentimento de leveza que vem com pouca ou nenhuma comida, e ele trabalhou arduamente para purificar o seu funcionamento interno - que gostaria de ficar o nutricionalmente mais limpo possível. Além disso, muitos destes praticantes professam uma maior consciência do valor dos alimentos frescos, integrais e da maneira que toda a vida no planeta é inter-dependente.


* Festejando juntos como uma parte da comunidade nutre os laços que os seres humanos precisam para sentir-se conectados e integrados socialmente. O encontro de uma comunidade de pensamentos comuns, centrado em torno da partilha de alimentos, congrega pessoas de uma maneira que poucas outras coisas conseguem.


O Profeta Kahlil Gabran falou estas palavras sobre a alimentação como alimento espiritual:


"Gostaria que você pudesse viver da fragrância da terra,
e como uma planta, sustentada pela luz.
Mas já que você tem que matar para comer, e roubar o
recém-nascido do leite de sua mãe para saciar
sua sede, em seguida, deixe-o ser então um acto de adoração."

0 comentários: