Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

terça-feira, 20 de abril de 2010

Azeite


O azeite é uma gordura líquida, rica em gorduras moninsaturadas que ajudam a reduzir o “mau” colesterol (LDL) e a manter o nível do “bom” colesterol (HDL). Apresenta também um elevado valor nutricional e, além do sabor único que confere aos alimentos, é uma das fontes de lípidos mais saudável que se conhece.
É um rico em vitamina E, a qual apresenta uma forte capacidade antioxidante, ou seja, protege as células do ataque dos radicais livres. Também está relacionado com a protecção contra doenças cardiovasculares, diabetes e de alguns tipos de cancro.
O azeite virgem é um sumo de fruta 100% natural, extraído da azeitona, e faz parte dos hábitos alimentares dos povos mediterrânicos desde que essa região é habitada. Os egípcios já o usavam há seis mil anos e era um dos principais produtos comercializados pelos fenícios. Ao longo dos tempos a sua importância resultou das múltiplas utilizações que lhe foram dadas: alimentação, medicina e beleza, por exemplo. Foi ainda utilizado como combustível para a iluminação, lubrificante para ferramentas agrícolas e ainda como elemento essencial em ritos religiosos.
Existem vários tipos de azeite que dependem das diferentes variedades de azeitona, do seu grau de maturação, do solo e do clima. Para obter um azeite virgem extra as azeitonas colhidas manualmente devem ser transportadas de imediato para o lagar, a fim de evitar a sua fermentação, que, consequentemente, aumentaria o grau de acidez. De seguida lavam-se, trituram-se e misturam-se com água. No final, o azeite separa-se da água por centrifugação. Deste processo resulta um azeite de primeira qualidade, garantindo a essência das vitaminas e ácidos gordos que o convertem num produto terapeuticamente benéfico. A denominação dos vários tipos de azeite difere de acordo com o teor de acidez. Assim, o azeite virgem não ultrapassa os 2°, enquanto que o azeite virgem extra possui um nível de acidez de 1°. Entre outros, destaca-se ainda o azeite virgem extra especial, com acidez até 0,7°.

Muitas vezes existe a ideia que todas as gorduras (lípidos) são prejudiciais. Na verdade, estas são imprescindíveis para a nossa saúde em quantidades adequadas e se ingeridas com os restantes alimentos. Nomeadamente as gorduras insaturadas (mono e poliinsaturadas) presentes nos óleos vegetais e nos peixes, em detrimento de outras gorduras saturadas de origem animal. É recomendado que a ingestão de gorduras represente cerca de 30% da energia total ingerida, ou 35% se esta for procedente do azeite. As gorduras desempenham no nosso organismo funções estruturais, constituem as membranas das células e participam no metabolismo. Os lípidos transportam e permitem a absorção das vitaminas lipossulúveis (A, D, K) e de outros nutrientes.
A importância do azeite é tal que, ao estudar os hábitos alimentares das diferentes populações, a comunidade médica internacional verificou que a alimentação rica neste alimento, nomeadamente dos países do Mediterrâneo, podia estar na base dos níveis reduzidos de colesterol e uma baixa incidência de doenças cardiovasculares, em comparação com os habitantes dos EUA e do Norte da Europa.
Devido ao seu elevado teor de ácidos gordos monoinsaturados (70%), o consumo de azeite ajuda a reduzir o “mau” colesterol (LDL), mantendo o nível do “bom” colesterol (HDL). Por outro lado, a vitamina E desempenha uma função antioxidante sobre as paredes das artérias. Desta forma ajuda a prevenir o desenvolvimento de doenças cardiovasculares como arteriosclerose, trombose, enfarte cardíaco e acidentes vasculares cerebrais. Ajuda ainda a prevenir a diabetes ao favorecer o metabolismo e a melhorar a assimilação de açúcar e a tolerância à glucose. O consumo deste alimento ajuda também proteger o sistema digestivo ao prevenir o excesso de ácido no estômago. 
Tem efeitos benéficos sobre úlceras e gastrites e ajuda a diminuir a incidência de pedras na vesícula.
Contribui ainda para o bom funcionamento da vesícula biliar, promove a assimilação de nutrientes e ajuda a regular o trânsito intestinal. O consumo de azeite poderá também contribuir para a prevenção de alguns tipos de cancro, principalmente o cancro da mama. Devido ainda às suas propriedades antioxidantes ajuda a combater o envelhecimento precoce e a beneficiar o sistema nervoso periférico, bem como o cérebro. Este alimento favorece a mineralização óssea, ao facultar a absorção de cálcio e de vitamina D, ajudando no crescimento e na prevenção da osteoporose. Apresenta ainda uma gordura poliinsaturada, o ácido ómega-6, derivado do ácido linoleico, que é necessário à formação das células e controla os processos inflamatórios.

Para se usufruir plenamente das virtudes do azeite este deve consumir-se cru, sem aquecimento prévio e, de preferência, deve ser de origem biológica. É ideal para temperar saladas e vegetais, pois facilita a absorção da vitamina A contida nos legumes e verduras. É também utilizado nas sopas, no entanto só deve ser introduzido depois de pronta, de modo a que o azeite não se altere muito com a temperatura. Pode ainda substituir outras gorduras utilizadas para elaborar todo o tipo de cozinhados. Mesmo para fritar deve usar-se azeite, pois os outros óleos vegetais alteram-se com o calor, gerando substâncias nocivas, a partir dos 170°C. Este líquido suporta temperaturas mais elevadas e não se queima se não se ultrapassarem os 180°C. Caso não se aprecie o seu sabor nos fritos pode fazer-se uma mistura de azeite (um terço ou metade) e óleo de girassol, pois o elevado teor de monoinsaturados presente no azeite evita a degradação do óleo de girassol.
O azeite é ainda um óptimo hidratante e tonificante para a pele, motivo pelo qual é bastante utilizado em artigos cosméticos. É ainda um excelente óleo de massagem e é adicionado aos óleos essenciais na aromaterapia.



O azeite e a sua pele 
Desde a antiguidade que os povos mediterrâneos utilizam o azeite para hidratar, suavizar e regenerar a pele, assim como fortalecer o seu cabelo e as suas unhas. Seguem algumas dicas que poderá utilizar:

  • Para unhas secas e frágeis, coloque os dedos numa pequena taça de azeite e limão.
  • Para obter mãos e pés mais suaves aplique uma quantidade generosa de azeite após o duche e cubra com meias e luvas de algodão. Aplique também uma quantidade extra em zonas nas quais a pele esteja rugosa ou rachada.
  • Para suavizar e nutrir a pele, adicione uma pequena quantidade de azeite ao seu banho.
  • Utilize o azeite para aliviar lábios secos ou rachados.
  • Para reparar pontas de cabelo espigadas, tornar o cabelo mais lustroso, sedoso e brilhante e mesmo ajudar com a caspa massage azeite sobre o cabelo e o couro cabeludo, depois cubra com uma touca durante pelo menos 30 minutos e depois lave normalmente com shampô.

100 g de azeite fornecem:
- 900 Kcal
- 100 g de gordura, das quais: 16 g gorduras saturadas; 75 g gorduras monoinsaturadas; (ácido oleico), 9 g de poliinsaturadas, (ácido linoleico ou ómega-6)
- 5,1 mg de vitamina E



Ao comprar azeite

  • Prefira o azeite extra virgem acima de qualquer outro tipo de azeite.
  • Prefira o azeite engarrafado em garrafas opacas ou de vidro escuro, uma vez que estas protegem o azeite de exposição directa à luz, o que diminui a sua oxidação.
  • Assegure-se de que o azeite está exposto numa área fresca e sem contacto com fontes de calor.

Referências: 

Jornal Expresso (www.expresso.pt), in Vidas - Saúde Natural de 09/03/2002

http://www.manz.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=603&Itemid=80
http://www.centrovegetariano.org/index.php?article_id=66

1 comentários:

Dri disse...

adorrrrrrrrroooooooooooo este blog! Muita informação bacana! Parabéns!