Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Pitaia transformada em pilulas para emagrecimento e muito mais

Pitaia é o nome dado ao fruto de várias espécies de cactos epífitos, sobretudo do género Hylocereus mas também Selenicereus, nativas do México e América do Sul e também cultivadas no Vietnã, Malásia, Israel e China. O termo pitaia significa fruta escamosa, também sendo chamada de fruta-dragão em algumas línguas, como o inglês. Como a planta só floresce pela noite (com grandes flores brancas) são também chamadas de Flor-da-Lua ou Dama da Noite.





Pitaia amarela (
Selenicereus megalanthus) Pitaia vermelha (Hylocereus)

Fruta

Existem três variedades, todas com a pele folhosa:
Hylocereus undatus, branca por dentro com pele rosa
Hylocereus polyrhizus, vermelha por dentro com pele rosa
Selenicereus megalanthus, branca por dentro com pele amarela
A fruta pode pesar entre 150-600 gramas e seu interior, que é ingerido cru, é doce e tem baixo nível de calorias. Da fruta se faz suco ou vinho; as flores podem ser ingeridas ou usadas para fazer chá. As sementes se assemelham às do gergelim e se encontram dispersas no fruto cárneo.
Crê-se que a variedade de interior vermelho é rica em antioxidantes.

Utilização

Pode-se consumir a polpa do fruto ao natural ou processado como refresco, geléias ou doces. É também utilizada em medicina caseira, como tônico cardíaco, seu gosto lembra um pouco o melão. Apesar de sua aparencia chamativa, o paladar é suave. As sementes têm efeito laxante. Além do fruto, que tem efeito em gastrites, o talo e as flores são usados para problemas renais.

Estudos realizados pelo Grupo Pharmacopéia Cil constataram que esse alimento possui propriedades importantíssimas no processo de emagrecimento. Criaram então cápsulas com o nome comercial de "Koudo".




Em forma de medicamento parece ser contraindicado para diabéticos.

Verificou-se que seu extrato diminui a vontade de comer doces e atua como moderador natural de apetite, devido sua propriedade sacietogênica - que aumentam a sensação de saciedade. Também ativa um hormônio chamado glucagon, responsável pela disponibilização da energia armazenada, estimulando o organismo a utilizar suas próprias reservas energéticas.




Este alimento ajuda a controlar o desejo de comer e aumenta a sensação de saciedade. Em sua composição é possível encontrar a betalaina e indicaxantina, que melhoram a diurese (eliminação de urina), tendo efeito importante para a perda de peso, sem causar hipotensão no paciente. Além disso, assim como a vitamina C também presente no extrato, as duas substâncias são antioxidantes.
A queima de calorias é beneficiada pela presença da tiramina. É uma amina, proveniente do aminoácido tirosina, com ação sobre a pressão arterial, aumentando-a e causando a taquicardia.

Pouco conhecida da maioria dos brasileiros, a pitaia pode ser considerada artigo de luxo. A fruta pode chegar a R$ 4,5 à unidade. A fruta é um cactus, que soma 1.600 espécies identificadas e reunidas na família das cactáceas. Embora o México seja o principal cultivador (produtividade de 10 a 12 toneladas por hectare) é no Vietnã que atinge seu maior índice, de 40 a 45 toneladas por hectare.

O fruto na pitaia consiste numa baga carnosa, comestível, que atinge diâmetro mínimo de cinco centímetros e um peso médio de 200 a 250 gramas. A planta é rústica e pouca exigente em solos. Ela não suporta temperatura abaixo de 18ºC e nem sequer uma semana de seca. Por isso, no período da estiagem é preciso fazer uso de irrigação por gotejamento.

A pitaia é conhecida desde o século XII. Faz parte da história da fundação da vila que deu origem ao México, em 1325. Muito refrescante e por possuir grande quantidade de água, era consumida pelos astecas para evitar a desidratação.

A espécie floresce em maio e sua flor dura apenas uma noite. A fruta, rica em vitamina A e fonte de vitamina C, é coberta de espinhos. Porém, quando amadurece, com um simples toque eles caem. Seu sabor assemelha-se à mistura de kiwi, abacaxi e figo-da-índia. Pode ser consumida in natura ou compor saladas, doces e sucos. As sementes são laxantes.



Uma fruta exótica, nutritiva e principalmente saborosa. Você vai conhecer a pitaia e suas curiosidades. Saiba também um pouco da história do Sr. Lee, o taiwanês que trouxe essa novidade.




Referencias:
Livro Frutas Exóticas (Funep, FCAV/Unesp)
[1]
http://www.esteditora.com.br/correio/484…
Video EPAGRI
Maxpress



0 comentários: