Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Ácidos graxos ômega-3 reduzem mortalidade e hospitalizações em casos de insuficiência cardíaca, mas as estatinas não

Munique, Alemanha - Dois recentes estudos revelaram que suplementos de ácidos graxos ômega-3 reduzem morbidade e mortalidade em pacientes com insuficiência cardíaca sintomática, enquanto as estatinas falharam em fornecer qualquer efeito benéfico para o mesmo grupo de pacientes.[1,2] A administração em longo prazo desses ácidos graxos reduziu a mortalidade geral e o número de internações hospitalares por causas cardiovasculares, mas o emprego de 10 mg de rosuvastatina (Crestor®, AstraZeneca) não obteve efeito em tais desfechos.

Em declaração para a mídia, Dr. Tavazzi afirmou que a vantagem do AGPI n-3, como documentado pelos desfechos primários, está no efeito benéfico sobre os mecanismos que levam à progressão da insuficiência cardíaca. Apesar das razões exatas serem desconhecidas, o ômega-3, possivelmente, exerce efeitos favoráveis sobre o processo inflamatório, assim como influencia a agregação plaquetária, a pressão arterial, a freqüência cardíaca, a função ventricular e o tônus autonômico.

Num outro estudo, Dr. Tognoni declarou à mídia que a prescrição de rosuvastatina ou de qualquer outra estatina a pacientes com insuficiência cardíaca não deve ser considerada, porque o emprego de drogas redutoras de colesterol não se traduz em nenhum benefício clinicamente significativo para tais pacientes. Neste editorial, Dr. Fonarow comenta que os achados do GISSI-HF, paralelamente ao ensaio clínico denominado Controlled Rosuvastatin in Multinational Trial in Heart Failure (CORONA), “estabeleceram que, apesar do tratamento com estatinas reduzir as concentrações de LDL, ser bem tolerado e parecer razoavelmente seguro, não gera aprimoramentos significativos na sobrevida dos pacientes com insuficiência cardíaca crônica”. 

Autor: Michael O'Riordan - jornalista do Medscape
Adaptação: Luis Guerreiro
Fonte: Lancet 2008; DOI: 10.1016/S0140-6736(08)61239-8.

Conclusões (Luis Guerreiro): - Mais uma vez relembramos aqui o efeito positivo do ômega-3, comprovado por mais um estudo recente, que pode facilmente ser obtido, de forma natural, pelo uso regular da linhaça.

0 comentários: