Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Humanidade cai mais em dívida ecológica: estudo


A humanidade vai escorregar na próxima semana em dívida ecológica, tendo devorado em menos de nove meses mais recursos naturais que o planeta pode repor em um ano, disseram pesquisadores esta terça-feira.










A espécie mais dominante na história da Terra, em outras palavras, vive além  da sustentabilidade possivel do planeta, destruindo a casa em que vive. 


No seu ritmo actual de consumo a humanidade vai precisar, até 2030, de um segundo planeta  para satisfazer o seu apetite voraz  e absorver todos os resíduos a sua, o relatório calculou. 


Sete biliões de habitantes na Terra - nove biliões  até meados do século - estão usando mais água, cortando  mais florestas e a comer mais peixe do que a Natureza pode substituir. 


Ao mesmo tempo, estamos despejando mais CO2, poluentes e fertilizantes químicos que a atmosfera, solo e oceanos podem absorver sem perturbar gravemente os ecossistemas que fizeram o nosso planeta um lugar tão confortável para homo sapiens viver. 


Contagem regressiva de 01 de janeiro, data em que a actividade humana ultrapassa o seu orçamento -  foi apelidada de "Earth Overshoot Day" .
O ponto de inflexão em sustentabilidade não aconteceu em algum momento na década de 1970, disse  o Global Footprint Network de Oakland, California, que emitiu o relatório.


Este ano, os pesquisadores estimam que o equivalente à quota da Terra em recursos estará esgotada em 27 de setembro. 


"Isso é como gastar o seu salário anual em três meses antes do ano acabar, e comer as poupanças ano  após ano," disse o  Presidente da Global Footprint Network Mathis Wackernagel,num comunicado. 


"Em breve, ficaremos sem fundos." 


Mesmo quando a capacidade da Terra para hospedar a nossa espécie, sempre em expansão de diminui, as exigências sobre "serviços ambientais" - o termo que os cientistas usam para descrever a generosidade da Natureza - continua a crescer. 


"Partindo da subida dos preços dos alimentos para os efeitos incapacitantes da mudança climática, as nossas economias estão enfrentando a realidade de anos de gastos além dos nossos meios", disse Wackernagel. 
o Lider da ONU, Ban Ki-moon, disse no início deste mês que o desenvolvimento sustentável agora está no topo da agenda global de questões exigindo medidas urgentes. 


O "Overshoot" é impulsionado por três fatores: o quanto nós consumimos, a população global, e quanto a natureza pode produzir. 


A tecnologia impulsionou muito a produtividade de plantas comestíveis e animais, mas essa expansão mal manteve o ritmo com a taxa na qual a demanda aumentou, segundo o relatório. 
Como crítica,  não teve em conta todos os danos colaterais infligidos ao meio ambiente. 


Os Estados Unidos são o maior gastador e com maior deficit ecológico, de acordo com um cálculo anterior do mesmo grupo. 


Se todas as pessoas adotaram o estilo de vida americano - grande casa, dois carros, consumo de energia enorme per capita - a população mundial precisará de cerca de cinco "Terras" para atender suas necessidades. 
Por outro lado, se todos na Terra seguissem  a pegada média de alguém na Índia de hoje, a humanidade estaria usando menos da metade da biocapacidade do planeta. 


Mas, como a Índia, China e outros gigantes emergentes continuam a crescer as suas economias a um ritmo alucinante - alimentado em grande parte pelo desejo de um estilo de vida "ocidental" -  a pegada per capita será muito maior, os cientistas advertem. 


Já hoje, por exemplo, a China é o maior emissor mundial de gases de efeito estufa e o produtor top de automóveis. 


Tradução (rápida) Luís Guerreiro


(C) 2011 AFP

0 comentários: