NutriViva no Facebook é a nossa página no Facebook onde há uma constante actividade com pratos e ideias sobre Alimentação Viva.
O blog também está acessivel em ALIMENTACAOVIVA.COM e ALIMENTACAOVIVA.INFO
Visitem o meu blog em inglês (com traduçao automática)
Raw in Copenhagen
Ao deixar um comentário referente a um artigo, por favor colar o link desse artigo.

Badge Raw Food

Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Search/ Busca

Carregando...

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Humanidade cai mais em dívida ecológica: estudo


A humanidade vai escorregar na próxima semana em dívida ecológica, tendo devorado em menos de nove meses mais recursos naturais que o planeta pode repor em um ano, disseram pesquisadores esta terça-feira.










A espécie mais dominante na história da Terra, em outras palavras, vive além  da sustentabilidade possivel do planeta, destruindo a casa em que vive. 


No seu ritmo actual de consumo a humanidade vai precisar, até 2030, de um segundo planeta  para satisfazer o seu apetite voraz  e absorver todos os resíduos a sua, o relatório calculou. 


Sete biliões de habitantes na Terra - nove biliões  até meados do século - estão usando mais água, cortando  mais florestas e a comer mais peixe do que a Natureza pode substituir. 


Ao mesmo tempo, estamos despejando mais CO2, poluentes e fertilizantes químicos que a atmosfera, solo e oceanos podem absorver sem perturbar gravemente os ecossistemas que fizeram o nosso planeta um lugar tão confortável para homo sapiens viver. 


Contagem regressiva de 01 de janeiro, data em que a actividade humana ultrapassa o seu orçamento -  foi apelidada de "Earth Overshoot Day" .
O ponto de inflexão em sustentabilidade não aconteceu em algum momento na década de 1970, disse  o Global Footprint Network de Oakland, California, que emitiu o relatório.


Este ano, os pesquisadores estimam que o equivalente à quota da Terra em recursos estará esgotada em 27 de setembro. 


"Isso é como gastar o seu salário anual em três meses antes do ano acabar, e comer as poupanças ano  após ano," disse o  Presidente da Global Footprint Network Mathis Wackernagel,num comunicado. 


"Em breve, ficaremos sem fundos." 


Mesmo quando a capacidade da Terra para hospedar a nossa espécie, sempre em expansão de diminui, as exigências sobre "serviços ambientais" - o termo que os cientistas usam para descrever a generosidade da Natureza - continua a crescer. 


"Partindo da subida dos preços dos alimentos para os efeitos incapacitantes da mudança climática, as nossas economias estão enfrentando a realidade de anos de gastos além dos nossos meios", disse Wackernagel. 
o Lider da ONU, Ban Ki-moon, disse no início deste mês que o desenvolvimento sustentável agora está no topo da agenda global de questões exigindo medidas urgentes. 


O "Overshoot" é impulsionado por três fatores: o quanto nós consumimos, a população global, e quanto a natureza pode produzir. 


A tecnologia impulsionou muito a produtividade de plantas comestíveis e animais, mas essa expansão mal manteve o ritmo com a taxa na qual a demanda aumentou, segundo o relatório. 
Como crítica,  não teve em conta todos os danos colaterais infligidos ao meio ambiente. 


Os Estados Unidos são o maior gastador e com maior deficit ecológico, de acordo com um cálculo anterior do mesmo grupo. 


Se todas as pessoas adotaram o estilo de vida americano - grande casa, dois carros, consumo de energia enorme per capita - a população mundial precisará de cerca de cinco "Terras" para atender suas necessidades. 
Por outro lado, se todos na Terra seguissem  a pegada média de alguém na Índia de hoje, a humanidade estaria usando menos da metade da biocapacidade do planeta. 


Mas, como a Índia, China e outros gigantes emergentes continuam a crescer as suas economias a um ritmo alucinante - alimentado em grande parte pelo desejo de um estilo de vida "ocidental" -  a pegada per capita será muito maior, os cientistas advertem. 


Já hoje, por exemplo, a China é o maior emissor mundial de gases de efeito estufa e o produtor top de automóveis. 


Tradução (rápida) Luís Guerreiro


(C) 2011 AFP

0 comentários: