NutriViva no Facebook é a nossa página no Facebook onde há uma constante actividade com pratos e ideias sobre Alimentação Viva.
Visitem o meu blog em inglês (com traduçao automática)
Raw in Copenhagen
Ao deixar um comentário referente a um artigo, por favor colar o link desse artigo.

Badge Raw Food

Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Search/ Busca

Carregando...

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Shatawari - Asparagus racemosus e Asparagus officinalis (Espargos)

Adaptação de Luís Guerreiro dos trabalhos e sites referidos

Nome Botânico: Asparagus racemosus
Sanskrito: Shatawari
Outro (tradução do Sanskrito): Aquela que possui 100 maridos
Inglês: Wild asparagus


Encontrado nas altas florestas no norte da Índia, é o principal tônico rejuvenescedor Ayurvedico  para o sistema reprodutor feminino. Mas, é também uma erva indicada na debilidade sexual e na infertilidade em ambos os sexos. 





Usos Tradicionais:


O racemosus Espargos (Shatavari) é recomendado em textos de Ayurveda para a prevenção e tratamento de úlceras gástricas, dispepsia e como galactogogo. A. racemosus também tem sido usado com sucesso por alguns médicos de Ayurvedica para transtornos nervosos, inflamações, doenças do fígado e doenças infecciosas 1.






Fitoquímica:

O racemosus A. contém saponinas esteróides, conhecidos como shatavarins I-IV. Ele também contém alcalóides policíclicos, asparagamina Um dissacarídeo e 2.


Farmacologia:


Foi relatado que possuem imunomoduladores, 3-4 anti inflamatório 5, anti-diabético, 6, 7 e anti-oxidante, anti-microbial atividades Espargos 8-9. Também tem sido relatado como um dos mais poderosos galactogogo 10-13.


Indicações:


Tem propriedades imuno-estimulantes e, dentre as suas inúmeras aplicações, destaca-se como:

- Auxiliar nos sintomas da Menopausa e Tensão Pré Menstrual.

- Estimulante na produção de leite materno durante o período da lactação. (Stanya)

- Tônico pós-parto.

- É antioxidante (elimina radicais livres), antiespasmódico, antimicrobial, tônico cardíaco e diurético.

- Afrodisíaco.

- Tonificante muscular.

- Refrescante, calmante, nutritivo e purificador, tônico geral, saúde imunológica.



Rico em Vitamina A

- Tonifica, limpa, fortalece e nutre os órgãos reprodutivos femininos.



Asparagus officinalis


O Aspargos (Asparagus officinalis) é também conhecido como Aspargo, Espargo, Melindre e Aspargo-hortense. Pertence a família Liliaceae. As propriedades curativas da planta se encontram na raiz, brotos e sementes. O Aspargo também é nome comum as espécies Asparagus racemosus (Shavatari) e Asparagus cochinchinensis, que são usadas juntamente com o Asparagus officinalis.
Principais Usos do Aspargos: câncer, cistite, convalescença, diarréia, disenteria, ejaculação precoce, fraqueza, fraqueza sexual, febre, frigidez, gota, herpes, ictericia, impotência sexual (disfunção erétil), indigestão, infertilidade feminina, infertilidade masculina, menopausa, pedras no rim, perda de memória, reumatismo, tuberculose.
Propriedades Medicinais do Aspargos: afrodisíaco, cardiotônico, demulcente, tônico diaforético, diurético, expectorante, laxante, nutritivo, tônico reprodutivo, tônico renal, sedativo.

O Aspargos ajuda a dissolver o acido úrico e ácido, beneficiando as condições artríticas e o desaparecimento de pedras no rim. Também é um tônico que age no sangue e aumenta a saúde dos homens e também nos órgãos reprodutivos femininos. Na Índia, a espécie racemosus (Shavatari) é usada para aumentar o número de espermas na ejaculação e nutrir o óvulo. Aplicada em forma de cataplasma e compressas, serve para diminuir os espasmos de músculo e a rigidez nas juntas do corpo. Na culinária, os brotos jovens da planta são comidos cozidos ou crus em saladas ou misturados em omeletes por exemplo. Os brotos (rebentos) e as raízes são adicionados a sopa. As sementes podem ser torradas e ser preparadas em forma de bebida como substituto do café. No entanto, não deve ingerir as sementes in natura (cruas), pois elas podem conter toxinas.
Curiosidades:

A palavra Aspargo é originária do persa “asparag”, que se refere a brotos que podem ser consumidos. Devida a sua forma fálica, foi considerado muito tempo como um afrodisíaco. A Ayurveda considerada a raiz do Aspargo importante para desenvolver a paz mental, a natureza amorosa, a boa memória e um espírito tranquilo.






Atenção:
informações contidas neste site têm carácter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação.






Referencias:

1. Goyal RK, Singh J, Lal H. Asparagus racemosus--an update. Indian J Med Sci 2003;57(9):408-414
2. Sharma P.C et al, Database on medicinal plants used in Ayurveda.vol-1, Central council for research
in ayurveda & siddha, New Delhi, 2000, pp-420.
3. Thatte, U., Chhabria, S., Karandikar, S.M. and Dahanukar, S. 1987. hnmunotherapeutic modification
of Escherichia coli induced abdominal sepsis and mortality in mice by Indian medicinal plants. Indian
Drugs 25: 95-96.
4. Rege, N.N., Nazareth, H.M., Isaac, A., Karandikar, S.M. and Dahanukar, S.A. 1989.
Immunotherapeutic modulation of intraperitoneal adhesion by Asparagus racemosus. J Postgrad Med
35, 199-203.
5. MandaI, S.C., Mukherjee, P.K., Nandy, A., Pal, M. and Saba, B.P. 1996a. Some pharmacognostical
characteristi of Asparagus racemosus Willd. roots. Ancient Sci Life 15: 282.
6. Kar, A Choudhary, B.K. and Bandyopadhyay, N.G. 1999. Preliminary studies on the inorganic
constituents of some indigenous hypoglycaemic herbs on oral glucose tolerance test. J
Ethnopharutacol 64: 179-184.
7. Wiboonpun N, Phuwapraisirisan P, Tip-pyang S. Identification of antioxidant compound from
Asparagus racemosus. Phytother Res 2004;18(9):771-773.
8. Singh, L. and Shanna, M. 1978. Antifungal properties of some plant extracts. Geobios 5: 49-53.
9. Ahmad, N., Mehmood, Z. and Mohammad, F. 1998. Screening of some Indian medicinal plants for
their antimicrobial properties. J Ethnopharmacol, 62: 183-19.
10. Nadkarni AK. Indian Materia Medica. Bombay: Popular Book Depot; 1954. Vol I. pp.153-5.
11. Joglekar et al., Indian Med J. 1967: 61(7): pp 165.
12. Sabins PB et al., Indian J Exp Biol. 1968: 6: pp 55-57.
13. Meites J. Proceedings of the first international pharmacology meeting. London: Pergamon Press.1962: Vol I: pp 151.

http://gravidasbebes.blogspot.com/2010/03/chin-na.html
http://www.medicinaisplantas.com/2009/06/plantas-medicinais-aspargo-espargo.html
http://www.naturalremedy.com/asparagus-racemosus-shatavari.htm

0 comentários: