Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sábado, 12 de junho de 2010

EPIGENÉTICA - os genes não controlam - vídeos



O desenvolvimento e a manutenção de um organismo são orquestrados por uma série de reações químicas que ligam e desligam o seugenoma em determinados momentos e locais. Aepigenética é o estudo dessas reações e dos fatores que as influenciam.


O nosso genoma responde dinamicamente ao "ambiente" - stress, alimentação, comportamento, exposição a diferentes toxinas e tantos outros fatores ativam os interruptores químicos que regulam a expressão dos nossos gens. Esses interruptores químicos formam o nosso epigenoma - uma espécie assim de "sombra" do nosso genoma.











epigenoma muda como resposta a sinais. Esses sinais veem de dentro da própria célula, de células vizinhas ou do mundo exterior. Os caracteres epigenéticos agem como uma espécie de memória celular. O perfil epigenétio de uma célula - uma coleção de caracteres que diz aos gens que se liguem ou desliguem - é a soma dos sinais que ele recebeu durante a sua vida.


A alimentação é um fatores ambientais que tem sido mais facilmente estudado, e portanto melhor entendido entre os fatores que promovem mudanças epigenéticas. Os nutrientes que extraímos da comida, entram em uma série de reações químicas metabólicas, onde são manipulados, modificados e moldados em moléculas que o corpo possa utilizar.


Uma dessas séries é responsável pela formação de grupos metílicos - um importante caractere epigenético que silencia os gens.


Nutrientes conhecidos como ácido fólico, vitaminas do complexo B e SAM-e (s-adenosil metionina) são componentes importantes dessa série de reações metabólicas. Dietas de elevado conteúdo desses nutrientes conhecidos como "doadores de radical metil", podem alterar a expressão de gens ainda durante o desenvolvimento fetal, quando o epigenomacomeça a se estabelecer.


Experimentos com animais e observação em seres humanos, têm demonstrado o quanto a alimentação da mãe influencia na formação doepigenoma de seus descendentes. A dieta de sua mãe durante a sua gestação e o que você comeu durante a sua infância, podem ter levado a mudanças que permanecem até a idade adulta.


Aqui NESTE QUADRO pode-se ter uma idéia dos nutrientes que podem afetar o epigenoma, e os alimentos que os contém.


Estudos em animais têm mostrado que a deficiência de folato doador de metil ou colina durante a fase final de desenvolvimento fetal e no início da infância, causam uma sub-metilação de certas regiões do genoma para o resto da vida.


A boa notícia é que, nos adultos, apesar de uma dieta deficiente também poder levar a um decréscimo de metilação do DNA, essas mudanças podem ser revertidas com uma dieta adequada.


Na medida em que conhecemos mais profundamente as conecções entre a alimentação e o epigenoma, surgem possibilidades infinitas de aplicações no cotidiano e na clínica. Formado durante uma vida inteira de experiências iniciadas ainda no útero materno, nosso epigenoma pode vir a nos oferecer muitas informações sobre como nos alimentarmos melhor.









Multilegendado



Multilegendado

Multilegendado










Fonte do texto: Enzimato


Vale a pena saber mais!
Epigenetics
Nutrition and the Epigenome

2 comentários:

Flor disse...

Very interesting news, specially for overweighting people, who will have a great chance to get along with hungry, saciety, beautiful outfit, and healthcare. I hope people will can solve obesity problems without a drastic surgery.

Brenno disse...

será que isso pode ter a ver com o estudo da psicologia que infere que, vamos supor, uma pessoa nasce de uma família cujo o pai é um líder nato e conhecido, logo ele passará (não necessariamente) suas características de líder pelo gene para seu filho?
soube que estudo sobre isso está sendo feito (apesar de difícil).
se alguem quiser me responder : brennosalespreis@gmail.com
abraço (estudo adm, não psi)