Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

terça-feira, 20 de outubro de 2009

O papel da dieta na prevenção da gripe

por Dra.Jocelem Salgado


Com a chegada do outono-inverno muitas pessoas têm um reencontro com uma velha e temida inimiga: a gripe. Nariz escorrendo, tosse, dores de cabeça e garganta, perda do paladar e olfato, fraqueza, febre. Muitas vezes é difícil escapar desses transtornos, já que neste período as pessoas se juntam mais e fecham as janelas e portas, o que facilita a propagação do vírus suspenso no ambiente.

Saiba diferenciar gripe de resfriado

A gripe e o resfriado são infecções causadas por vírus e podem afetar vários locais das vias aéreas (nariz, garganta, laringe, faringe, seios paranasais, traquéia). Dos inúmeros vírus que causam o resfriado (mais de 200 tipos), o mais comum é o rinovírus. Já a gripe é causada pelo vírus influenza e apresenta sintomas muito mais severos do que o resfriado, deixando na maioria das vezes a pessoa de cama, sem condições de estudar ou trabalhar.

Portanto, ao contrário do que muitas pessoas pensam, gripe e resfriado são problemas diferentes. A forma mais fácil de distinguir as duas doenças é observando os sintomas: na gripe a febre é mais elevada e duradoura, as dores de cabeça e pelo corpo, o cansaço e a tosse seca são bem pronunciados e a evolução é mais prolongada. Além disso, a gripe não é uma doença com a benignidade que a maioria das pessoas imagina. Em crianças, idosos ou em pessoas imunodeprimidas (com sistema imunológico comprometido), pode ser grave e até causar a morte.

As gripes e resfriados se espalham quando os vírus são liberados no ar pela tosse e pelo espirro ou transferidos para superfícies através do contato. Ao entrar em ação, o vírus ataca as células que revestem o aparelho respiratório, que reage aumentando a produção de muco constituído por glóbulos brancos que vão tentar combater o avanço do mal. O muco protege e limpa as vias aéreas, mas muitas vezes o vírus pode driblá-lo e avançar livremente até os pulmões, onde causam uma inflamação, levando à pneumonia.

Para quem quer ficar bem longe de todos esses problemas, alguns conselhos básicos devem ser seguidos, já que as baixas temperaturas e a deficiência do sistema imunológico, apontados como principais causadores da gripe, podem ser driblados com alguns cuidados que incluem hábitos saudáveis de vida.

O papel da dieta na prevenção da gripe

Uma boa alimentação pode ajudar a prevenir gripes e resfriados, e mesmo para quem já está com os sintomas, alimentar-se bem pode encurtar a duração dessas doenças. A alimentação saudável, rica em alimentos fontes de vitaminas, minerais e substâncias antioxidantes, fortalece o sistema imunológico e cria defesas orgânicas para combater o vírus.

Por isso, para quem quer ficar livre desses dois problemas, a dica é adotar uma dieta equilibrada e variada, baseada em frutas, vegetais folhosos, legumes, grãos integrais (cereais e leguminosas), carnes magras, peixes e aves sem pele, ovos, leite e derivados, de preferência com pouca gordura.

Dentre as vitaminas e minerais que atuam fortalecendo nosso sistema imunológico destacaremos aqui as vitaminas A, C, E e os minerais zinco e selênio. Veja as principais funções imunológicas de cada um desses nutrientes e em quais alimentos são mais encontrados.

VITAMINA A = apresenta um papel muito importante na manutenção da integridade das membranas mucosas. Sua deficiência provoca uma redução do número de linfócitos T circulantes, aumentando a probabilidade de infecções bacterianas, virais ou parasitárias. Os alimentos ricos nessa vitamina são: cenoura, abóbora, fígado, batata doce, damasco seco, brócolis, melão.

VITAMINA C = estimula a resistência às infecções através da atividade imunológica de leucócitos. Aumenta a produção dessas células de defesa, que tem efeito direto sobre bactérias e vírus, elevando a resistência à infecções. Acerola, frutas cítricas (limão, laranja, lima), kiwi, caju, tomates e vegetais folhosos crus são fontes excelentes. Morangos, repolho e pimentão verde são boas fontes. É facilmente destruída pela luz e pelo calor. Um suco de laranja com acerolas, por exemplo, deve ser consumido imediatamente após preparo para que não haja grande perda da vitamina C.

VITAMINA E = tem a capacidade de interagir com as vitaminas A e C e com o mineral selênio, agindo como antioxidante. Sua função primordial é proteger as membranas celulares contra substâncias tóxicas, radiação e os temerosos radicais livres que são liberados em qualquer reação química do organismo e podem causar sérios danos às estruturas das células, detonando o processo de envelhecimento e desencadeamento de algumas formas de carcinogênese. Alimentos ricos em vitamina E são o germe de trigo (fonte mais importante), óleos de soja, arroz, algodão, milho e girassol, amêndoas, nozes, castanha do Pará, gema, vegetais folhosos e legumes.

ZINCO = esse mineral atua na reparação dos tecidos e na cicatrização de ferimentos. Uma deficiência de zinco resulta em diversas doenças imunológicas; a deficiência grave causa linfopenia (grande diminuição do número de linfócitos). Fontes alimentares importantes de zinco são as carnes, peixes (incluindo ostras e crustáceos), aves e leite. Cereais integrais, feijões e nozes são também boas fontes.

SELÊNIO = assim como a vitamina E, esse mineral possui grande capacidade antioxidante, ou seja, neutraliza a ação dos radicais livres (formados devido a ação dos raios solares, poluição, fumaça de cigarro, entre outros) no nosso corpo, retardando o processo de envelhecimento e evitando o desencadeamento de algumas formas de câncer. Castanha do pará, alimentos marinhos, fígado, carne e aves são os alimentos mais ricos em selênio.

Probióticos e prebióticos: sua função no sistema imune

O intestino humano é um ecossistema microbiano intensamente populoso. Em condições normais, centenas de espécies de bactérias estão presentes, com números típicos de 1011-1012/g.

Essa microbiota intestinal tem um papel muito importante sobre o sistema imunológico. Uma microbiota saudável, constituída principalmente por lactobacilos e bifidobactérias promove o desenvolvimento de anticorpos e ativação de linfócitos, células de defesa do nosso corpo que atuam combatendo principalmente infecções virais. Ao contrário, uma microbiota desequilibrada, com predominância de bactérias prejudiciais como por exemplo as enterobactérias, permite a invasão da mucosa intestinal por microorganismos patogênicos, causadores de infecções e doenças. Estudos mostram que esse desequilíbrio pode também causar ativação de carcinógenos em nosso corpo.

Alimentos enriquecidos com probióticos (microorganismos vivos do tipo lactobacilos e bifidobactérias) e prebióticos (componentes extraídos de certos vegetais conhecidos como inulina, oligossacarídeos, frutooligossacarídeos) promovem a colonização do trato intestinal com bactérias benéficas, melhorando o funcionamento do sistema imunológico, reduzindo o risco de inúmeras doenças, entre elas, as gripes e resfriados.

Dicas para fugir da gripe

A seguir, algumas dicas que poderão ajudar a prevenir ou atenuar os sintomas de gripes e resfriados:

- Tenha hábitos alimentares saudáveis;
- Consuma pelo menos 5 porções de frutas e outros vegetais todos os dias;
- Consuma alimentos enriquecidos com probióticos e prebióticos;
- Ingira pelo menos de 8-10 copos de água/dia. A água deixa os cílios pulmonares mais fortes e amolece o muco, facilitando o trabalho desses cílios;
- Faça lavagens nasais com solução fisiológica e estimule, principalmente crianças, a assoar o nariz sempre que possível;
- Não administre descongestionantes, anti-inflamatórios ou xaropes sem consultar um médico;
- Crianças e idosos devem ser vacinados de preferência no início do outono, no período de março a maio;
- Se você estiver com gripe, o repouso é fundamental para uma recuperação mais rápida.


Drª Jocelem Mastrodi Salgado - Vida Saudável
Profa. Titular de Vida Saudável da ESALQ/USP/Campus Piracicaba. Autora dos livros: "Previna Doenças. Faça do Alimento o seu Medicamento" e "Pharmácia de Alimentos. Recomendações para Prevenir e Controlar Doenças", editora Madras

0 comentários: