Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

domingo, 10 de agosto de 2008

ONU: País desperdiça 70 mil toneladas em alimentos por ano

JB Online


Em tempos em que a demanda mundial por alimentos impulsiona a inflação, o Brasil desperdiça, por ano, cerca de 70 mil toneladas de comida, segundo relatório da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Além disso, 64% do que é plantado se perdem entre colheita, transporte, processamento e hábitos alimentares.

Segundo estudo da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), só no transporte rodoviário de grãos o prejuízo anual é de pelo menos R$ 2,7 bilhões. Os produtores e distribuidores não são os únicos culpados. Dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) indicam que família de classe média joga no lixo, por ano, 182,5 quilos de alimentos próprios para o consumo.

Diferentes estudos apontam estimativas variadas quanto às dimensões do prejuízo causado pelo desperdício. Os dados sobre o Brasil no relatório da FAO usam levantamento do Instituto Akatu publicado em 2003. Os cálculos do descaso: R$ 12 bilhões por ano.

O consultor de assuntos de logística e estrutura da CNA, Luiz Antônio Fayet, ressalta que é difícil estimar em números o prejuízo com as perdas na safra de grãos, devido à intensa variação nos preços nos últimos 12 meses. ­

"O Brasil é privilegiado em capacidade de produzir alimentos e bens do agronegócio",­ disse o especialista. ­"Do potencial de terras ainda por incorporar, o país tem um quarto do que o mundo dispõe. Na lavoura, fatores como a regulagem inadequada das máquinas, falta de treinamento dos operadores e manejo descuidado dos cultivos são algumas das causas das perdas."

Legislação impede doações
O presidente das Centrais de Abastecimento do Rio de Janeiro (Ceasa), Ernesto Pamplona, avalia que cerca de 10 toneladas de alimentos eram desperdiçadas por semana na Central Grande Rio, em Irajá. Para combater esse desperdício, a Ceasa implantou, há cinco anos, o Programa Panela Cheia, que recolhe, no fim do dia, doações de frutas e legumes dos comerciantes. Os produtos são distribuídos a famílias carentes e entidades sociais cadastradas no programa.

Do Ceasa, os alimentos seguem para as feiras livres ou até restaurantes, onde não há programas desse tipo, por causa da legislação que impede a doação de sobras. A xepa amontoa-se no chão e é recolhida por quem depende dela para sobreviver. ­ Nós fizemos um trabalho de conscientização dos produtores, e agora recolhemos os produtos que eles não consideram que estejam em boas condições de venda, mas que ainda estão próprios para o consumo ­ conta o presidente da instituição. ­ Antes, tudo isso era jogado fora.

A América Latina pode melhorar, de forma rápida e eficaz, a disponibilidade total de comida, reduzindo o desperdício que faz com que milhares de toneladas de alimentados em bom estado sejam perdidas, recomendou a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), em um relatório divulgado nesta sexta-feira, em Santiago. Foto:/AFP

1 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente o Brasil não sabe o que é guerra, também aqui existe muita fartura por isso que nós brasileiro desperdiçamos muito alimentos.
Eu acho que deveria se fazer uma concientização do desperdicio nas residencias isso poderia evitar o desperdicio de alimentos.

jasgovicius@ig.com.br