Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Organização Pan-Americana de Saúde quer banir gordura trans

Lígia Formenti, de Brasília

A gordura trans, ou hidrogenada, pode ser banida das Américas num curto espaço de tempo. Um documento da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), que será apresentado nesta quarta-feira, no Brasil, Estados Unidos e Chile, defende a eliminação deste tipo de gordura - usada em uma série de produtos industrializados e encontrada em alimentos fast food - e a restrição de gorduras saturadas. Formulada por 21 especialistas, a proposta tem como principal objetivo reduzir o número mundial de problemas cardíacos.

Em outubro, o documento deverá ser submetido à votação no Conselho Diretivo da OPAS, formado por ministros de saúde. "Nesta oportunidade é que prazos deverão ser acertados para a substituição da gordura trans por outros tipos, menos prejudiciais à saúde", afirmou o professor titular do departamento de nutrição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e um dos integrantes do grupo de trabalho, Carlos Monteiro. Especialistas dão como certa a adoção da medida no Brasil, depois de sua aprovação pelo Conselho da OPAS.

Para fundamentar o pedido de restrição total da gordura trans, pesquisadores do grupo de trabalho citam um trabalho feito pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard. O trabalho mostra que uma redução de 4,5 gramas diárias deste tipo de gordura na dieta poderia evitar mais de 10 mil mortes por ano.

Usada desde o início do século passado, a gordura hidrogenada teve seu consumo ampliado a partir da década de 50. Até pouco tempo, era um dos ingredientes da margarina - que pessoas usavam para fugir da gordura animal e evitar, assim, problemas cardíacos. A tática, no entanto, foi inútil. Nos últimos anos, os malefícios da gordura trans começaram a ser descobertos e hoje ela é considerada como uma das principais vilãs da saúde pública. Estudos demonstram íntima relação entre o consumo excessivo deste tipo de gordura com enfartes. Há também trabalhos que sugerem ainda que a gordura também aumenta o risco de diabetes e morte súbita.

Com a mesma velocidade que malefícios da gordura trans foram propagados, providências para redução do consumo foram adotadas no mundo. Na Dinamarca, o produto foi banido. Fabricantes tiveram oito meses para se adaptar. Hoje, algumas redes de fast-food já reduziram de forma significativa o uso deste tipo de gordura. Algumas marcas de margarina também alteraram sua composição. "Não é uma mudança que provoque um impacto financeiro significativo para as indústrias", garante o professor Monteiro. Ele estima que, caso a recomendação seja adotada no Brasil, em dois anos já seria possível ter o banimento da gordura trans.

Fonte: http://cienciaesaude.uol.com.br/

0 comentários: