NutriViva no Facebook é a nossa página no Facebook onde há uma constante actividade com pratos e ideias sobre Alimentação Viva.
Visitem o meu blog em inglês (com traduçao automática)
Raw in Copenhagen
Ao deixar um comentário referente a um artigo, por favor colar o link desse artigo.

Badge Raw Food

Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Search/ Busca

Carregando...

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Dieta gordurosa de grávidas altera relógio biológico de bebés e aumenta chances de obesidade


 
Cientistas americanos descobriram que uma dieta rica em alimentos gordurosos durante a gestação não apenas aumenta as chances de obesidade para a criança. A má alimentação das grávidas pode também causar problemas no fígado dos fetos, alterar o relógio biológico e interferir no sono, apetite e ingestão de alimentos.
De acordo com Kjersti Aagaard-Tillery, do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Escola de Medicina Baylor, a dieta das mães tem influência sobre genes que regulam o ciclo circadiano, conhecido popularmente como "relógio biológico", dos fetos. Esses genes alteram também o apetite dos filhos, aumentando as chances de obesidade
Para fazer a descoberta, os cientistas avaliaram um grupo de primatas que recebeu uma alimentação rica em gordura e, em seguida, passou por uma dieta. Os alimentos foram dados antes e durante a gestação. 

Os cientistas notaram que os filhos das macacas desenvolveram uma doença no fígado e registraram alterações no metabolismo e no ciclo circadiano. Além disso, esses animais também sofreram modificações nos genes que são responsáveis por sincronizar o relógio biológico com o apetite, interferindo, assim, no horário de alimentação dos filhotes.

Por outro lado, o estudo também trouxe uma boa notícia. Os danos podem ser revertidos, desde que haja uma melhoria na alimentação. Se as mães diminuírem a ingestão de gordura durante a gestação ou amamentação – ou se os bebês comerem melhor logo após o parto – o ciclo circadiano deles consegue voltar ao normal.

Com isso, o apetite e a ingestão de alimentos ficam regulados, diminuindo os riscos de doenças relacionadas à obesidade na infância. Para Kjersti, o estudo pode influenciar as mães para que elas façam pequenas mudanças na alimentação.

- Melhorar a dieta durante a gravidez e a amamentação se traduz em chances menores de obesidade na próxima geração.
Fonte: R7 

0 comentários: