NutriViva no Facebook é a nossa página no Facebook onde há uma constante actividade com pratos e ideias sobre Alimentação Viva.
O blog também está acessivel em ALIMENTACAOVIVA.COM e ALIMENTACAOVIVA.INFO
Visitem o meu blog em inglês (com traduçao automática)
Raw in Copenhagen
Ao deixar um comentário referente a um artigo, por favor colar o link desse artigo.

Badge Raw Food

Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Search/ Busca

Carregando...

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

sábado, 15 de maio de 2010

Ciclo de Cinema: Como comer no séc. XXI?



Neste início de século, a forma como nos relacionamos com o mundo está a ser transformada em todos os aspectos.
Vivemos concentrados em grandes centros urbanos com uma vida cultural abundante. Os centros comerciais oferecem-nos um sem número de opções onde gastar o nosso dinheiro, e parece ser isso que define o nosso conceito de qualidade de vida. As viagens de avião de baixo custo fazem parecer que estamos mesmo a viver numa aldeia global… Ao mesmo tempo, com a internet e os “gadgets” electrónicos, queremos estar sempre perto de tudo. Enquanto isso esquecemos a importância de algumas necessidades básicas, como a alimentação. Não sabemos, ou não queremos saber o que se esconde por detrás das prateleiras dos supermercados. Mas devíamos!
A agricultura moderna divorciou-se completamente da natureza e já é um dos maiores consumidores de energia e água, bem como causadora de poluição. A agricultura intensiva destrói a biodiversidade e contamina a terra com pesticidas e fertilizantes artificiais. A isso vem somar-se a contaminação biológica e outras ameaças da introdução de organismos geneticamente modificados.
As regras do mercado livre globalizado aplicadas ao sector estão a destruir o modo de subsistência de milhões de pessoas e comunidades ao redor do mundo. E o resultado final disso também é péssimo para nós consumidores. Os alimentos estão repletos de resíduos químicos que se acumulam no nosso corpo com potenciais efeitos graves para a saúde.
Que decisões individuais ou colectivas podemos tomar para mudar este rumo? Este ciclo de cinema pretende lançar algumas ideias. As sessões terão sempre lugar às 21h30 no auditório do Clube Literário: Rua Nova da Alfândega nº 22, no Porto. A entrada é livre.
24 de Maio de 2010
Filme “Quem alimenta o mundo?” (duração: 93 minutos)
Prova de produtos biodinâmicos da Quinta de Segade
31 de Maio de 2010
Filme “O futuro dos alimentos” (duração: 89 minutos)
Prova de produtos biológicos da Naturocoop
Debate sobre agricultura biológica
7 de Junho de 2010
Filme “Carne, uma verdade mais que inconveniente” (duração: 74 minutos)
Prova de produtos da Casa da Horta.
Debate sobre alimentação vegetariana.
14 de Junho de 2010
Filme “TranXgenia – A história da lagarta e do milho” (duração: 37 minutos)
Prova de produtos do Projecto Raízes
Apresentação da Plataforma Transgénicos Fora
Debate sobre organismos geneticamente modificados
sexta-feira, 14 de maio de 2010

Farmácias vs Lojas de Alimentos Naturais

Bento XVI evoca a relação de Jesus com os Essénios

Tal como referi em outros artigos não sou adepto de nenhuma religião mas fascinam-me as mensagens fantásticas que os mestres espirituais nos deixaram e até que enfim a igreja católica começa a abrir um pouco as portas para outras hipóteses da história de Jesus.


Os essénios eram vegetarianos, curadores através de métodos que usavam o jejum e a alimentação crua.


...em baixo reúno vários dos artigos que encontrei.






O Papa Bento XVI estabeleceu  uma relação entre Jesus e os essênios, que ficaram conhecidos graças à descoberta dos manuscritos de Qumran descobertos no Mar Morto, ao afirmar que o calendário seguido por Jesus Cristo na Páscoa poderia ser o mesmo deste grupo religioso.
 O Papa Ratzinger declarou que Jesus "celebrou a Páscoa com seus discípulos provavelmente segundo o calendário de Qumran, e por isso, pelo menos um dia antes" da data estabelecida na época.
    Bento XVI acrescentou que essa hipótese não é ainda aceita por todos, mas que é a mais provável para explicar as "aparentes contradições" entre os diferentes Evangelhos que contam a vida de Cristo.
    No Evangelho de João, Jesus morre na cruz no momento da Páscoa judia, quando os cordeiros são sacrificados no Templo de Jerusalém, enquanto que, nos outros três Evangelhos, sua "Última Ceia" acontece na noite de Páscoa.
    Além disso, segundo o Papa, Jesus celebrou a Páscoa "sem cordeiro, como a comunidade de Qumran", que não sacrificava animais. "No lugar do cordeiro ofereceu sua vida", acrescentou.
    Os manuscritos de Qumran, descobertos na Cisjordânia, foram atribuídos pelos historiadores e especialistas da Bíblia aos essêniios, uma seita que rompeu com o poder sacerdotal de Jerusalém.





Evangelho Essênio da Paz


O Manuscrito foi depois encontrado nos arquivos do Vaticano, pelo húngaro Edmond Szekely que obteve permissão para pesquisar os arquivos secretos à procura de livros que teriam influenciado São Francisco de Assis, que confirmam este facto. Szekely vagueou pelos mais de 40 quilómetros de estantes com pergaminhos e papiros milenares e manuscritos originais de muitos santos e apóstolos condenados a permanecer escondidos para sempre. De todas as raridades viu uma obra que lhe chamou a atenção. Era o Evangelho Essênio da Paz. O livro teria sido escrito pelo apóstolo João e narrava passagens desconhecidas na Bíblia sobre a vida de Jesus Cristo. Ele traduziu o texto e o publicou-o em quatro volumes. A Igreja sentindo-se traida pelo pesquisador, excomungou-o.
Os Essénios eram um povo humilde, de grande conhecimento, originário do Egipto, que formavam um grupo de Judeus que abandonaram as cidades e rumaram para o deserto, passando a viver às margens do Mar Morto. Foram uma das três principais seitas religiosas da Palestina (Saduceus, Fariséus e Essénios) e acreditava-se que Jesus foi membro do grupo do norte que se concentrava ao redor do Monte Carmelo, como de resto o tinha sido seu primo João Baptista.

Um dos seus redutos era Nazaré e por isso eram conhecidos também por “os Nazarenos”, tal como Jesus, e seus membros vestiam-se de branco, fazendo uma vida simples, de isolamento, de entrega a Deus, e seguiam uma dieta estritamente vegetariana.


Em 1880 o reverendo inglês Gideon Ouseley achou um manuscrito chamado O “Evangelho dos Doze Santos” num monastério budista na índia, escrito em aramaico - a língua que Jesus falava - que teria sido levado para o Oriente por essênios refugiados. Nessa versão desconhecida do Novo Testamento revela-se mesmo um Jesus que defendia a reencarnação e era vegetariano, pois condenava o próprio morticínio dos animais dizendo nocapítulo 21 o seguinte: “Vim para abolir as festas sangrentas e os sacrifícios, e se não cessais de sacrificar e comer carne e sangue dos animais, a ira de Deus não terminará de persegui-los, como também perseguiu a vossos antepassados no deserto, que se dedicaram a comer carne e que foram eliminados por epidemias e pestes.”

Mais se afirma que: “as aves se reuniam ao seu redor e lhes davam as boas-vindas com seu canto e outras criaturas vivas se postavam a seus pés e ele (Jesus) as alimentava com suas mãos'...

Talvez todo este conhecimento tenha chegado a Francisco de Assis e o tenha inspirado na sua vida, pois que amava todas as criaturas, tratando todos os animais por irmãos, e também era vegetariano.

Os essênios acreditavam na santidade e unidade da vida e muitas passagens do Evangelho essênio referem-se à doutrina de amor incondicional a Deus, à Humanidade e a todos os seres da Criação.

Vale a pena ler também o capitulo 90 do mesmo Evangelhos dos Doze, onde Jesus fala sobre o que é a Verdade. Clicar aqui.

Por fim, em 1970 um ‘pesquisador’ inglês, de nome John Allegro, pretendia desmistificar a existência de Jesus dizendo que não passava tudo de uma invenção ou alucinação colectiva causada pela ingestão de cogumelos. As suas afirmações estapafurdias cairam no ridículo e muitos cientistas até o censuraram, pois já haviam provas históricas irrefutáveis sobre a existência de Jesus que o historiador romano Flávio Josefo referia em seus escritos, e mais ainda os Manuscritos encontrados em 1947 nas cavernas de Qumram, próximas do Mar Morto, onde estavam escondidos dentro de jarros de barro, falando da vida Jesus Cristo. Foi de resto o maior achado arqueológico da história da Humanidade sobre aspectos bíblicos que se desconheciam ou estavam omissos até hoje.




 

   Na foto abaixo vê-se o local onde foram encontrados acidentalmente os Manuscritos por um pastor beduino, chamado Muhammad Dib, da tribo dos Tamirés, que saiu à procura de uma cabra desgarrada que tinha desaparecido do seu rebanho e se perdera entre as rochas. Não foi por acaso naturalmente. Ele foi atraido ao local daquele modo e descobriu uma caverna onde começaria todo o achado do grande  'tesouro' mantido ali por mais de dois milénios até ser descoberto a meio do século XX.

  

     

"Tratam-se de documentos escritos há mais de dois mil anos, quando Jesus e o cristianismo nasceram. Eles incluem textos bíblicos, apócrifos e comentários sobre a Bíblia. Falam da origem comum dos judeus e dos cristãos. É verdade que não existem entre eles cópias do Novo Testamento, simplesmente porque o Novo Testamento foi compilado depois que os manuscritos foram escondidos nas cavernas. Mas podem-se ver neles as origens do cristianismo, junto com textos bíblicos e outros textos judaicos. Constata-se assim, a origem comum das duas religiões".


Dra. Pnina Shor, chefe da Seção de Conservação de Artefatos do Departamento de Antiguidades de Israel.


A chamada "tese essênia", embora seja em nossos dias alvo de muitos debates, é a mais amplamente aceita no mundo acadêmico. Assim a descreve Aimé Fuchs (1925-2006), catedrático no Instituto de Pesquisa de Matemáticas Avançadas de Strasbourg: "Os historiadores do primeiro século da nossa era, Fílon de Alexandria, Caio Plinio Segundo e, sobretudo, Flávio Josefo, relataram que, ao noroeste das margens do Mar Morto, vivia naquela época uma comunidade de cenobitas chamados essênios, que eram celibatários, vegetarianos e praticavam um modo de vida bem austero segundo as prescrições da Torá. Ora, os manuscritos foram encontrados justamente nessas paragens perto do Mar Morto. Essa coincidência fez com que surgisse a tese [...] segundo a qual o conjunto dos manuscritos do Mar Morto provém de uma comunidade essênia que então se encontrava na região de Qumram. E que essa comunidade, por causa do avanço das tropas romanas, teria escondido esses manuscritos nas cavernas da redondeza um pouco antes da queda de Jerusalém, em 70 d. C.".


Essénios ou Therepeutes


O nome Essênios deriva da palavra egípcia Kashai, que significa “secreto”. Na língua grega, o termo utilizado é “therepeutes”, originário da palavra Síria “asaya”, que significa médico.

A organização nasceu no Egito nos anos que precedem o Faraó Akhenathon, o grande fundador da primeira religião monoteísta, sendo difundida em diferentes partes do mundo, inclusive em Qumran. Nos escritos dos Rosacruzes, os Essênios são considerados como uma ramificação da “Grande Fraternidade Branca”.






Pão essênio: O pão da vida




O pão essênio está entre os principais alimentos consumidos por Jesus! Trata-se de um milagre em termos de nutrientes e energia vital. Também é produzido com trigo germinado, mas ao invés de ser assado ao forno, é desidratado como se fosse uma passa de fruta. Nesse processo de desidratação o pão essênio torna-se crocante, seco, gostoso e altamente nutritivo. Pelo fato de ser exposto apenas a um calor inferior a 43oC, as enzimas naturais do trigo não se destroem e você ingere um pão de trigo com a maioria das vantagens do trigo vivo. Nesse sentido o pão essênio pode ser chamado de “o legítimo pão da vida” que associado com o “sangue vegetal”, a clorofila, justifica a expressão “milagre”...

Receita de Pão Essênio

A receita básica tem mais de 2000 anos e consta do Evangelho de Paz dos Essênios.

Colocamos uma xícara e meia de grãos orgânicos (trigo, centeio, milho, cevada, aveia) em três xícaras de água, durante uma noite.

Escorremos a água e deixamos germinar durante 36 horas, enxaguando e escorrendo os grão de duas a três vezes ao dia.

Moemos os grãos germinados em um moedor, um liqüidificador ou um processador.

Amassamos até adquirir a consistência de uma massa de pão.

Podemos adicionar diversos temperos (timo ou cominho), alimentos (alho ou cebola picada) ou passas, tâmaras, sementes de girassol, etc.

Untamos uma assadeira ou frigideira e colocamos a massa em rodelas achatadas.

Colocamos no sol ou em um lugar quente (um forno morno).

O pão está pronto quando por fora formou-se uma crosta fina e dentro está úmido, mas não grudento



Saber mais http://alimentacaoviva.blogspot.com/2008/01/po-essnio.html





Manuscrito encontrado no mar morto afirma que Jesus era essênio e vegetariano.


Os essênios eram e formavam uma sociedade de terapêutas,completamente espiritualizados por sua própria natureza,desvínculados dos valores passageiros e que se amavam como amavam à si próprios.Curavam com as mãos pelo poder da mente em toques sôbre os centros nervosos e autônomos, eram provenientes do Egito,viviam em cavernas,e defendiam a igualdade e a liberdade entre os homens,eram iniciados e procuravam o mais importante se respeitarem e amarem a DEUS.

Para os historiadores, os essênios seriam até hoje uma nota de rodapé na História se, em 1947, dois pastores beduínos não tivessem por acidente levado a uma das maiores descobertas arqueológicas do século. Escondidos em cavernas próximas ao Mar Morto, em Israel, 813 manuscritos redigidos pelos essênios a partir de 225 a.C.

O ano 68 da nossa era guardava as mais antigas cópias do Antigo Testamento, calendários e textos da Bíblia. Perto das cavernas, em Qumran, estavam as ruínas de um monastério essênio.

Cultivavam rebentos germinados e não cozinhavam nada a uma temperatura superior à do seu próprio corpo.

Eles possuíam pomares e hortos irrigados pela água da chuva, que era recolhida em enormes cisternas e servia como bebida. Além dela, as bebidas essênias se resumiam ao sumo de frutas’ e “vinho novo”, um extrato de uva levemente fermentado.

Em muitos aspectos permacultores de outros tempos.



Referencias: 
http://www.ejpress.org/article/15698
AFP 051801 APR 07
http://www.novaera-alvorecer.net/os_essenios_e_jesus.htm
http://www.arautos.org/view/viewPrinter/8095--palavras-que-mudaram-o-mundo-
FUCHS, Aimé. Les manuscrits de la Mer Morte. Strasbourg: Institut de Recherche Matématique Avancée, 2000, p. 2 - tradução nossa.
Prof. Eleazar Lipa Sukenik (1899- 1953), arqueólogo israelense e professor da Universidade Hebraica de Jerusalém.
(Revista Arautos do Evangelho, Set/2009, n. 93, p. 48 à 51)

http://saudealternativa.org/tag/comida-viva/
http://permaculturaportugal.ning.com/profiles/blogs/manuscrito-encontrado-no-mar
http://permaculturaportugal.ning.com/group/filosofiadevida/forum/topics/cristianismo-1

Monsanto lucra com o terramoto do Haiti

O terramoto do Haiti em 12 de janeiro deste ano foi um negócios de sorte para alguns. A companhia transnacional Monsanto está oferecendo aos agricultores do país uma dádiva fatal de 475 toneladas de milho geneticamente modificado (GM) em sementes, juntamente com o adubo associado e pesticidas, que serão distribuídos gratuitamente pelo projeto vencedor, com o apoio da embaixada dos E.U. no Haiti.


Será que os haitianos  sabem que foi a Monsanto que criou  o Agente Laranja pulverizado sobre o Vietname por aviões dos E.U. durante a guerra, que envenou tanto soldados como civis americanos  e vietnamitas?


Será que os haitianos sabem que estas sementes geneticamente modificadas têm sido declaradas perigosaa por muitos países? Elas geralmente vêm em kits, juntamente com um herbicida da Monsanto chamado "Roundup", que contém glifosato. Mas a Monsanto afirma que seu produto é biodegradável. No entanto estão sendo processados por contaminarem lençois freáticos na Grã-Bretanha por funcionários anti-fraude em Lyon.


Uma ex-funcionária da Monsanto, Linda Fischer, acabou de ser nomeada para chefiar a E.U. Environmental Protection Agency (EPA), que monitora as questões ambientais. É como dar a um gato a tarefa de cuidar do bem-estar de um rato.


A Monsanto já começou a distribuir as suas sementes de milho GM na área de Gonaives, Kenscoff, Pétionville, Cabaré, Arcahaie, Croix-des-Bouquets e Mirebalais. Em breve, haverá apenas sementes da Monsanto no Haiti. Então, será o adeus à independência dos agricultores. A Monsanto investiu recentemente US $ 550 milhões no Brasil para a fabricação do herbicida Roundup, no estado da Bahia. Mas o país parece estar lutando contra a empresa.


A Monsanto está a publicitar as sementes como uma doação generosa. Mas os agricultores haitianos que pretendam utilizá-las para as colheitas futuras terão de pagar direitos para a Monsanto. O representante da Monsanto no Haiti é Jean-Robert Estimé, que serviu como ministro das Relações Exteriores durante a ditadura Duvalier que dura há 29 anos.


Fonte: http://globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=19113



Pesquisador que observou efeitos nocivos do glifosato é vetado em evento

Andrés Carrasco, o pesquisador argentino do Conicet (Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Tecnológicas – Argentina) que comprovou através de pesquisas com anfíbios efeitos nocivos à saúde provocados pelo glifosato – princípio ativo do herbicida Roundup, da Monsanto, usado nas lavouras transgênicas Roundup Ready (ver Boletim 437) – denunciou como ato de censura o veto à sua palestra prevista para a Feira do Livro 2010, na Argentina.
 
Em carta à presidenta do Conicet, Marta Rovira, Carrasco sugere que o caso implique “censura de uma pesquisa científica realizada no país para bloquear sua difusão pública”, e o considera um “bloqueio que prejudica a liberdade acadêmica ao subordinar-se a interesses alheios à ciência, ao mesmo tempo em que é uma mensagem de disciplinamento para todos aqueles que tentem fazer uma crítica, desde o sentido da ciência, a critérios e políticas instituídas pelo poder econômico e seus porta-vozes. A Feira do Livro é um evento de marketing que acontece todos os anos no âmbito da Sociedade Rural Argentina.
 
Leia aqui a íntegra da matéria publicada pela Argenpress.info e da carta enviada por Carrasco à Dr. Rovira .
 
N.E.: Não é a primeira que um pesquisador que divulga dados sobre efeitos danosos de produtos das multinacionais do agronegócio é boicotado no meio científico. O primeiro caso — e o mais famoso — é o do pesquisador Arpad Pusztai, que em 1998 foi demitido do Instituto Rowett, um dos mais renomados da Grã-Bretanha, após divulgar efeitos do consumo de batatas transgênicas em ratos de laboratório. Aliás, não só foi demitido: sua equipe dissolvida, os documentos e computadores confiscados, e também foi proibido de falar com a imprensa. Em seu livro e documentário O Mundo Segundo a Monsanto, a jornalista francesa Marie-Monique Robin descreve com detalhes este e outros casos.
Fonte: AS-PTA/EcoAgência.

O mais novo membro da família Guerreiro


Hoje celebramos o nascimento do Gustav, Filho do Zétó (meu irmão) e da Ditte (minha cunhada)...nasceu esta madrugada em Copenhagen, Dinamarca

Indiano afirma ter ficado mais de sete décadas em jejum



Prahlad Jani, de 82 anos, diz que não comeu nem bebeu água no período.
Equipe liderada por neurologista vai tentar descobrir se é verdade.

Da AFP
indianoImagem divugada por hospital mostra o paciente indiano Prahlad Jani (Mataji), que tem 82 anos, afirma ter sobrevivido sem comida e água por mais de 70 deles, em hospital na cidade indiana de Ahmedabad. Um instituto científico logal, o Dipas, está fazendo um estudo, liderado pelo neurologista Sudhir Shah, para tentar comprovar a veracidade da afirmação.
    Fonte: 
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/04/indiano-afirma-ter-ficado-mais-de-sete-decadas-anos-em-jejum.html









Prahlad Jani

deldebbio | 28 de abril de 2009
Li este texto no Mundo Gump e fui conferir se era mesmo verdade. Um iogue chamado Prahlad Jani, que afirma categoricamente que parou de se alimentar e beber aos 13 anos de idade. Detalhe, o cara tem quase 80 anos!
O iogue indiano aceitou tranqüilamente ser submetido a uma investigação profunda. Foi levado para um instituto de pesquisas médicas onde foi preso num quarto pequeno, com uma câmera que o filmava 24 horas por dia. O quarto era observado permanentemente por grupos de investigadores médicos, que a cada três horas recolhiam amostras do sangue do sujeito.
@MDD – Perguntado sobre o milhão de dólares de seu Desafio Paranormal, James Randi disse que “precisava ir ao banheiro” e saiu de fininho…
A pesquisa durou cerca de 10 dias, onde ele EM MOMENTO NENHUM bebeu água nem comeu nada, nem evacuou.
O cara ficava lá, sentado, olhando pras paredes, andando pela sala, orando e meditando. Só. De tempos em tempos ele tomava banho (lá mesmo, com a ajuda de uma bacia).
Ele não sabia, mas a água do banho era pesda antes e depois da higiene, para que os pesquisadores se certificassem empiricamente que o velhinho não tivesse bebido a água.100ml de água eram oferecidos ao sujeito para que ele lavasse a boca. Os 100ml eram novamente contabilizados em medidos após o procedimento.
O mais estranho aqui é que não estamos lidando com uma pessoa que entra num estado alterado de consciência e desliga suas funções vitais, como -em tese – seria possível num grau avançado de meditação.
O sujeito de 76 anos de idade nunca esteve “fora do ar”. Ao contrário, ele falava animadamente e demonstrava algum vigor físico, tanto em aparência quanto nos exames sanguíneos, que apontavam índices normais em tudo. Mas como isso é possível se o cara estava sem comer há tanto tempo que nem se lembrava mais como fazia?
Mistério. O estudo foi realizado sob rígidas normas de investigação, cujo objetivo era desmascará-lo como impostor. E isso eles não conseguiram mostrar. Na verdade o resultado foi totalmente inconclusivo, pois nenhum medico conseguiu construir alguma hipótese para justificar como o sujeito estava se nutrindo.
Quando perguntado, Prahlad Jani sorriu e disse que era muito simples. Ele olhava para a luz.
Sério, não tô zoando. A explicação do cara é mais ou menos como “eu faço fotossíntese!”
Não nesses termos, óbvio. Ele nem imagina o que seja fotossíntese. Ele disse que olhava diretamente para o sol (médicos são claros em afirmar que isso danifica os olhos e pode causar cegueira). Foi fazendo isso de pouquinho em pouquinho, conseguindo ficar cada vez mais tempo olhando para o astro-rei. Até conseguir se manter olhando diretamente para a estrela por vários minutos. Prahlad Jani disse que um buraco misterioso surgiu no céu da boca e quando ele olha para o sol, um tipo de gosma adocicada escorre para sua boca e é disso que ele se alimenta desde então. Uma médica enfiou o dedo na boca do velho e realmente disse que ele tem uma fenda no palato, e até sentiu um pouco da consistência pegajosa da “coisa” .
Segundo ele, o furo teria surgido por milagre, internamente, entre sua boca e o nariz aos oito anos de idade, quando olhava para o sol.
Isso me deixou ainda mais intrigado, pois uma fenda no palato conduziria diretamente ao interior do nariz, e isso que escorre só poderia ser… catarro!
Mas veja que loucura. Acho uma idéia mais provável que o velho viva de luz do que de catarro. Seja como for, ficou demonstrado no estudo que o sujeito manteve níveis sanguíneos totalmente normais em jejum de água e comida por dez dias. Sem evacuar nem urinar. Isso por si só já desafia totalmente o que sabemos sobre as funções vitais. Como é possível?
Embora isto não prove que passou os últimos 68 anos em total abstinência, Prahlad deixou o hospital como um herói para seu pequeno grupo de seguidores, que o acompanharam até a caverna onde vive em meditação, na periferia de uma cidade próxima.
http://www.deldebbio.com.br/index.php/2009/04/28/prahlad-jani/






Indiano que não come nem bebe nada intriga cientistas
Um iogui octogenário que diz ter vivido mais de sete décadas sem beber ou comer tem causado perplexidade em cientistas da Índia.
Prahlad Jani, 83 anos, passou duas semanas sob constante observação de 30 médicos e de câmaras de filmagem, num estudo que terminou na última quinta. Durante aquele período, ele não ingeriu nada, não urinou nem defecou, segundo os observadores. «Continuamos sem saber como ele sobrevive. É um mistério», disse Sudhir Shah, neurologista.«O único contacto de Jani com líquidos foi para fazer gargarejos ou lavar-se», disse G. Ilavazahagan, especialista em fisiologia. «Se ele não tira a sua energia dos alimentos ou da água, deve tirá-la de outras fontes, e o sol é uma delas», considerou Shah.
O estudo foi conduzido pelo Ministério da Defesa, que quer tirar de Jani lições sobre sobrevivência para militares e vítimas de tragédias naturais. Os resultados finais são prometidos para os próximos meses.
Na sua aldeia natal de Ambaji (norte), o iogui alega que foi abençoado por uma deusa quando tinha oito anos e que isso lhe permite viver sem alimentos.
Em 2003, segundo a BBC, ele já passara 10 dias sob observação de uma equipa médica, também sem consumir nada, mas apresentando boa saúde mental e física.


Copyright Diário Digital 1999/2010


http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=60&id_news=449768



quinta-feira, 13 de maio de 2010

Inauguração da Loja de História Natural 22/05/2010 em Lisboa

A Loja de História Natural é uma nova loja em Lisboa, com uma pequena mas importante secção de livros sobre permacultura e auto-suficiência

A Loja de História Natural tem o prazer de vos convidar para a sua inauguração no Dia Internacional da Biodiversidade Sábado, 22 de Maio de 2010, entre as 18:00 e as 21:00 na Rua do Monte Olivete, 40, em Lisboa (tranversal à Rua da Escola Politécnica, entre o Rato e o Príncipe Real). São todos bem-vindos!

Para que não faltem acepipes, pedimos que nos confirmem a vossa presença para info(at)lojadehistorianatural.com . Mas é sempre possível aparecer no próprio dia, claro!

The Loja de História Natural (Natural History Store) would like to invite you to its opening  on the International Day for Biological DiversitySaturday, 22nd May 2010, 6 pm - 9 pm at Rua do Monte Olivete, 40, Lisboa. All are welcome! We ask you confirm your presence toinfo(at)lojadehistorianatural.com, but do feel free to decide to come on the day!

http://lojadehistorianatural.blogspot.com/2010/05/convite-para-inauguracao.html
terça-feira, 11 de maio de 2010

evento 'DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - A PERMACULTURA' em Permacultura e Transição Portugal


Horário: 14 maio 2010 de 21:30 a 23:00
Local: Café Belmonte - Palácio Belmonte
Organizado por: João Leitão

Descrição do evento:
TERTÚLIA : "Desenvolvimento Sustentável - a Permacultura"

DIA 14 DE MAIO, Café Belmonte - Palácio Belmonte.

A Permacultura é talvez desconhecida do público em geral, mas já é posta em prática desde à 30 anos.

Conceito que privilegia a integração dos princípios da natureza em todas as actividades humanas, desde a agricultura, paisagismo, urbanismo, e economia com vista a garantir a máxima eficiência com o menor gasto em energia e impacto no meio ambiente.

Venha conhecer estes princípios e como os aplicar à sua actividade e dia-a-dia!

MODERADOR : Peter Mandala LittleJohn Cook

DATA DE REALIZAÇÃO E HORÁRIO :

Dia 14 de Maio, Sexta-Feira, 21.30 Horas
Participação Livre/Entrada Livre

Junto ao Castelo de S. Jorge em Lisboa

TRANSPORTES: Táxi, eléctrico 28 e autocarro 37


INFORMAÇÕES: 21 096 68 63 / 96 553 99 79


Ver mais detalhes e RSVP em Permacultura e Transição Portugal:
http://permaculturaportugal.ning.com/events/event/show?id=2722171%3AEvent%3A45582&xgi=0AiB1sWeHNDyll&xg_source=msg_invite_event
Sobre Permacultura e Transição Portugal
Uma Rede Social dedicada à Permacultura e ao Movimento de Transição.
Permacultura e Transição Portugal930 membros
3872 fotos
187 músicas
462 videos

Vamos fazer da Europa uma Zona Livre de OGM!

Vamos fazer da Europa uma Zona Livre de OGM!
736,452 já assinaram a petição.
Falta pouco para o milhão...







Comissão Europeia acaba de aprovar o plantio de culturas geneticamente modificadas, pela primeira vez em 12 anos, colocando os lucros do lobby dos produtores de trasngénicos acima do interesse público. 60% dos europeus sentem que precisamos de mais informações antes de plantar alimentos que podem colocar em risco nossa saúde e meio ambiente.

Uma nova iniciativa permite que 1 milhão de cidadãos europeus tenham a chance de fazer pedidos oficiais à Comissão Europeia.
Vamos unir um milhão de vozes para proibir os alimentos geneticamente modificados até que todas as pesquisas sejam feitas. Assine a petição abaixo e divulgue!
Não se esqueça de 
incluir seu endereço para que todas as assinaturas contem como sendo de iniciativa de cidadãos europeus.

Para o Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso: Nós pedimos que o senhor coloque uma moratória na introdução de culturas transgénicas na Europa e crie um organismo científico independente e ético para pesquisar o impacto das culturas de trasngénicos e determinar a sua regulamentação.




Assine aqui a petição!



O arquipélago da Madeira é o primeiro território livre de OGM na U.E.!!!

MADEIRA ZONA LIVRE DE OGM

A semana passada a Comissão Europeia deixou passar silenciosamente o prazo final para se opor à petição de Portugal, permitindo assim à Madeira tornar-se o primeiro território Europeu inteiramente livre de organismos geneticamente modificados.

Já tinha havido proibição de certas culturas OGM em certos países ou regiões europeias. Mas no caso da Madeira, trata-se de um marco significativo, porque é a primeira vez que a Comissão permite um país/região impor uma rejeição tão abrangente e definitiva aos OGM.

A preocupação dos Madeirenses em preservar a floresta de laurissilva, considerada Património Mundial, e a biodiversidade do arquipélago e de evitar o risco de contaminação genética deste ecossistema único, é deste modo salvaguardada.

Segundo James Kanter (jornalista do "The New York Times"), esta proibição marca o início de uma nova política Europeia quanto aos OGM, dando aos países maior liberdade de decidir a proibição destas culturas.

É muito preocupante que os média portugueses e europeus não se preocupem em saber mais sobre o que se diz lá fora sobre nós!...
Até ao momento o único média português que se pronunciou sobre o assunto foi a agrobio:http://www.agrobio.pt/
Não há nada como ficar a saber o que se passa em Portugal... através do jornal americano New York Times!
http://www.nytimes.com/2010/05/10/business/energy-environment/10green.html?src=busln

Ainda assim é uma vitória para a biodiversidade, para a Natureza e para nós!

Fonte: ZONA LIVRE de OGM



Princípios de Design em Permacultura aplicados ao Movimento de Transição


Os princípios da Permacultura influenciam decisivamente a forma como a Transição evoluiu e está a evoluir.

A Rede de Transição aplicou esses princípios, de acordo com o livro "Principles And Pathways Beyond Sustainability" de David Holmgren, às Iniciativas de Transição. Eis uma interpretação do resultado:
1. Observe e interage

Descubra o que já está a acontecer localmente, antes de começar qualquer projecto no âmbito da Transição.

2. Capte e armazene energia

Use a energia que o Modelo de Transição emite - crie multíplas formas para as pessoas participarem e dê suporte.

3. Obtenha rendimento

Recolha ideias em eventos com ferramentas adequadas.

4. Aplique auto-regulação e aceite "feedback"

Crie espaços onde a sua comunidade possa partilhar o que sente, incluindo a avaliação e a evolução dos seus planos.

5. Use e valorize recursos e serviços renováveis

Trabalhe com tendências e projectos onde existem valores comuns, sempre que possível.

6. Não produza lixo

Use a empatia para evitar conflitos, sempre que possível.
7. Desenhe a partir dos padrões para o detalhe

Planeamento para o decrescimento energético - nível estratégio e micro.

8. Integre em vez de separar

Parcerias, parcerias, parcerias.
9. Use soluções pequenas e lentas

Permita que os grupos cresçam com tempo antes da acção.

10. Use e valorize a diversidade

"Ambas.. em vez de, ou assim ou assado - vamos fazer da tua forma e da minha.
11. Use a fronteira e valorize as margens

Os limites entre sistemas são espaços interessantes - entre antigos e novos movimentos, o público e o privado, jovens e mais velhos.

12. Use a criatividade e responda à mudança

Mantenha a visão aberta, activa e criativa - não coloque restrições à sua evolução.