Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de abril de 2010

SAIBA MAIS E VEJA AS UTILIDADES DO PÓLEN APÍCOLA



INTRODUÇÃO

Para uma dieta sadia e equilibrada, os alimentos devem possuir todas as substâncias nutritivas necessárias e indispensáveis para alimentar e proteger as células.

O pólen apícola, que é coletado das plantas pelas abelhas, sendo transportado nas patas, mais precisamente nas corbículas (cestas), recebe a ensalivação, momento em que é enriquecido com enzimas e vitaminas, sendo desta maneira estocado nos alvéolos dos favos, passando a ser chamado “pão das abelhas”.

O pólen apícola apresenta na sua composição grande quantidade de aminoácidos essenciais, ácidos graxos, vitaminas, oligo-elementos, fibras vegetais, minerais e moléculas protéicas como flavonóides.

As substâncias nutritivas vão estimular o metabolismo celular, a síntese dos produtos indispensáveis para nossas glândulas, reforçar a imunidade, neutralizar os radicais livres, diminuir os riscos de câncer e doenças cardiovasculares. Esses “ elementos funcionais” têm papel importante na nossa saúde.

Os radicais livres são resíduos do metabolismo celular, muito agressivos para as moléculas biológicas. Também se tem informações de como esses radicais livres são produzidos e de como certas enzimas os destróem. Por sua vez, sabe-se como a vitamina C, a beta-caroteno, a vitamina E, o zinco e o selênio capturam esses radicais livres e os neutralizam.

Logo essa agressão ao ADN celular, pelos radicais livres, pode dar origem a tumores, perturbações metabólicas, inflamações das artérias coronárias e do envelhecimento.

Todos esses fenômenos biológicos podem ser colocados no saldo de uma produção não controlada de radicais livres (resíduos metabólicos).

HAKIM (1994), no capítulo referente à COMPOSIÇÃO DO PÓLEN, citou que os riscos de câncer aumentam numa população que apresenta um déficit em vitaminas, em oligo-elementos e certos nutrientes necessários ao metabolismo celular e à produção de enzimas e de hormônios; junta-se a isso o risco de doenças cardiovasculares.


As vitaminas, enzimas, minerais e outros componentes variam no pólen, conforme a sua origem, assim DONADIEU (1983) apresentou a composição do pólen que pode ser encontrado nas TABELAS 1, 2 e 3.

Segundo PROST (1985), o pólen fresco apresentou a seguinte composição: água 30% a 40%, proteína 11% a 35%, glicídeos 20% a 40%, lipídeos 1% a 20%, minerais 1% a 7%, resinas, vitaminas A,B, C, D, E, enzimas, antibióticos, etc. .

A densidade do pólen, conforme o mesmo autor, é de 0,7, baixando para aproximadamente 0,65 após a desidratação.
TABELA 1 - COMPOSIÇÃO GERAL DO PÓLEN

Água (Pólen Fresco)................... 8% - 16%
Água (Pólen Seco) ..................... 3% - 5%
Glicídeos ............................. 25% - 42%
Lipídeos ............................... 1% - 14%
Protídeos ........................... 11% - 29%
Sais Minerais ........................ 1% - 8%
Diversos ........................... 21% - 31% 


TABELA 2 – VITAMINAS ENCONTRADAS EM 1 GRAMA DE PÓLEN

Microgramas
Vitamina B1 5,75 – 10,80
Vitamina B2 16,30 – 19,20
Vitamina B3 98,0 - 210,0
Vitamina B5 3,0 - 51,0
Vitamina B6 0,0 - 9,0
Vitamina B7 30,0 – 40,0
Vitamina B8 0,1 – 0,25
Vitamina B9 3,4 – 6,80
Vitamina B12 presente
Vitamina C 152,0 – 640,0
Vitamina D 0,20 – 0,60
Vitamina E 0,10 – 0,32
Vitamina A presente

TABELA 3 – Composição média de aminoácidos em 100 g de Pólen

gramas
ÁCIDO ASPARTICO 1,10 – 3,80
ÁCIDO GLUTAMICO 0,35 – 3,50
ALANINA 0,40 – 1,65
ARGININA 0,40 – 2,45
CISTINA 0,03 – 0,30
GLICINA 0,30 – 1,40
HISTIDINA 0,15 – 0,85
ISOLEUCINA 0,25 – 1,50
LEUCINA 0,40 – 2,45
LISINA 0,35 – 2,30
METIONINA 0,10 – 0,75
FENILANINA 0,30 – 1,55
PROLINA 0,35 – 4,95
SERINA 0,30 – 1,65
TREONINA 0,25 – 1,45
TRIPTOFANO 0,40 - 1,10
TIROSINA 0,15 – 1,20
VALINA 0,30 – 1,70

Os valores encontrados nas TABELAS 1, 2 e 3 são semelhantes àqueles apresentados por HAKIM (1994).
VALOR TERAPÊUTICO DO PÓLEN

1– Ação sobre o aparelho digestivo: regula o funcionamento intestinal, equilibrando a flora intestinal no nível do cólon e intestino delgado, regularizando os intestinos;
2 - Ação na hemoglobina do sangue: o ferro e a vitamina B12 fazem aumentar a taxa de hemoglobina dos glóbulos vermelhos;
3- Estado de fadiga: o pólen quando consumido na indicação certa, após 10 ou 20 dias, dependendo de cada caso, produz efeito eufórico, aumentando a capacidade física e mental;
4- Ação protetora do sistema vascular: os flavonoides existentes no pólen atuam sobre o sistema circulatório promovendo um fortalecimento das veias e artérias;
5 - Ação na regularização hormonal: o pólen atuando sobre o sistema hormonal, logo reduz o stress e o envelhecimento precoce;
6 - Ação metabólico: atua sobre o metabolismo celular devido a presença da grande quantidade de aminoácidos, oligo-elementos e vitaminas que são responsáveis à síntese das proteinas, pelas células;
7 - Não tem contra indicação: a vasta literatura consultada, não foi encontrado nenhum relato sobre contra indicação do pólen, para qualquer pessoa;

AS UTILIDADES DO PÓLEN, SEGUNDO HAKIM (1994)

1– O pólen e a visão.
A vitamina A tem papel importante na visão noturna, na regeneração das mucosas e da pele, no crescimento e reprodução, tendo feito igualmente benéfico sobre o cansaço ocular.
As pessoas que tem boa vista durante o dia nem sempre enxergam bem na meia escuridão e aurora, essa baixa na vista é dado devido ao déficit em vitamina A, por falta na alimentação porque o organismo humano não pode sintetiza-la. A vitamina A é indispensável para a fabricação da própria retina.

Como o pólen das flores contem B-carotenos ou pró-vitaminas A que é formado por duas moléculas de vitaminas A, logo é um alimento de alto valor nutritivo e de fundamental importância na dieta humana.

2–O Pólen e o envelhecimento celebral.
O pólen, na nossa alimentação, pode fornecer todos os aminoácidos necessários e indispensáveis á fabricação da beta-endosphine que é um neuro-hormônio fabricado na glândula hipófise do celebro.

Este neuro-hormônio controla a dor e aumenta a capacidade da pessoa idosa se adaptar ao estress, sendo que a sua diminuição no organismo tem conseqüências nefastas nas capacidades amnésicas (perdas da memória).

Isto explica a ação do pólen que traz benefícios as pessoas consumidoras no que diz respeito ao humor, euforia, vitalidade e principalmente a diminuição do envelhecimento celebral.


3 - O pólen e a anemia.
Anemia é por definição a diminuição do numero de glóbulos vermelhos do sangue ou a diminuição superficial da hemoglobina, esta doença se traduz por uma palidez e a pessoa anêmica reclama seguidamente de cansaço, vertigens ou sufocação.

O pólen, em particular na sua composição, é rico em ferro, em vitaminas do grupo B (particularmente B12).

Esses produtos que são encontrados no pólen, vão permitir a regeneração do sangue e dos tecidos.

3–O pólen e o aparelho digestivo.
O pólen devido a sua composição e por apresentar resquício de antibiótico(própolis)tem ação benigna nas funções intestinais, permitindo o restabelecimento do equilíbrio da flora intestinal.

É indicado para pessoas que sofrem de prisão de ventre crônica, colite, hemorróidas, diarréia tenaz ou mesmo diarréias resistentes a antibióticos.
A dose aconselhada, neste casos, é de 1 a 2 colheres de sopa de pólen, de preferência em pó, por dia, durante 5 a 6 semanas.
O pólen quando for consumido deve ser muito bem mastigado caso contrário, poderá provocar eventualmente, dores de estômago.

5- O pólen e o aparelho cardiovascular.
O sistema circulatório é exposto as agressões internas e externas, sendo que toda anomalia ou agressão vai ocasionar desordens e perturbações do funcionamento do nosso organismo. Logo, o pólen contem substâncias denominadas flavonoides, os quais são produtos do metabolismo de certas partes aéreas dos vegetais que nosso organismo não sintetiza. Esses flavonoides são utilizados na medicina devido a sua ação anti-inflamatório, antibiótica e antioxidante.

6 – O pólen e o aparelho urinário (Prostatismo)
O adenoma prostático é um tumor benigno que afeta o homem depois dos 60 anos, esse tumor afeta mais ou menos 60% dos homens, nessa idade.

O desenvolvimento desse tumor provoca alterações no sistema urinário com aumento de micções ( urinar várias vezes durante a noite), bem como atraso do aparecimento do jato e diminuição do volume de urina. Necessidades contínuas de urinar, dores na micção, sensações pesadas ano-retais e perinais. Nestes casos um exame clínico e o diagnóstico de um médico especialista é indispensável.

Milhares de homens, na Europa, beneficiaram-se do tratamento de doenças da próstata, utilizando a dose de 1 a 2 colheres de sopa de pólen por dia.

No Brasil o uso do pólen começou a menos de 8 anos, sendo que em Santa Maria/RS, nós introduzimos o mesmo em 1995, divulgando o seu uso através de palestras, cursos e entrevistas na imprensa falada e escrita.

Nestes quatro anos catalogamos diversas pessoas que tiveram curas de doenças da próstata, anemia, stress e vários casos de redução com normalização dos níveis de colesterol e triglicerídeos, no sangue.
PÓLEN COMO FORTIFICANTE
Como o pólen possui na sua composição 22 aminoácidos, dos quais oito o organismo é incapaz de sintetizar e que precisa receber na alimentação ( isoleucina, leucina, lisina, metionina, finilanina, treonina, triptofano e valina). O fato de todos eles estejam presentes no pólen confere a este “super alimento”, um grande interesse para consumo humano, conforme TABELA 4.

ASPECTOS BROMATOLÓGICOS DO PÓLEN COLETADO NO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

Pesquisa realizada, no Campus da UFSM, (TABELA 5) obteve-se informações sobre os aspectos qualitativos do pólen produzido na primavera e verão.

São dados preliminares que no futuro poderão ser investigados com mais profundeza e amplitude, podendo assim classificar o pólen, também quanto a sua origem floral.

COMO CONSUMIR O PÓLEN

Para um melhor aproveitamento e efeito imediato, o pólen deve ser consumido em jejum e mastigado (pólen granulado), desta maneira, devido a ensalivação e trituração haverá uma maior assimilação pelo organismo humano. Também pode ser consumido misturado com o mel, chimia, manteiga, sucos de frutas, iogurt, cremes, etc. .

A dose aconselhável é de 25 g /dia para adultos e 5 a 10 g/dia para crianças, dependendo da idade.
Como indicativo, uma colher de chá, média, corresponde a 8 g de pólen e uma colher de sopa igual a 3 colheres de chá.

Os hormônios esteróides são eficazes no controle da síndrome do climatério feminino.
Os compostos flavonoides são eficazes na diminuiçção dos níveis de gordura do sangue e combatem a arterioesclerose.

Experiências, em animais, demonstraram que a administração de Vitamina E na dieta, pode prolongar a vida dos animais de 15 a 75%.

Quanto aos ácidos graxos essenciais e especialmente o ácido linoleico, são significativamente e biológicamente ativos na diminuição dos níveis de gordura no sangue e tem ação trombolítica.

O pólen é composto por 38,2% de carbohidratos, dos quais 31% é açúcar total e 7,2% é celulose.
Há vestígios de 15 elementos minerais no pólen os quais são necessários ao organismo humano que são: ferro, iodo, cobre,zinco, manganês, cobalto, molibdênio, selênio, cromo, níquel, estrôncio, estanho, boro, fluor e vanádio.

Além destes nutrientes, o pólen contém muitos componentes ativos incluindo os compostos flavonoides, enzimas, hormônios e ácido nucleico.

Os níveis de flavonas são de 2.549,9 mg/100g de pólen, estes compostos tem a função de prevenir a arteioesclerose, diminuir os níveis de colesterol, aliviar a dor e proteger de radiações.

A cianidina é um flavonoide que é eficaz no fortalecimento capilar e é um anti-inflamatório.
O pólen contém além de importantes proteinas, uma grande variedade de proteinases.
Mais de 80 enzimas ativas foram identificada, entre estas, podemos citar 4 importantes enzimas: fosfatase, catalase, redutase e pactase.

O pólen contém uma variedade de hormônios vegetais como a heteroausina e hormônios sexuais animais como os esteroides.Isto permite a eficácia do emprego do pólen no tratamento da esterilidade.
Cientistas americanos consideram que é um alimento rico em ácido nucleico e pode estimular a produção de células, prevenindo assim a senilidade e o aparecimento de várias doenças crônicas (SILVA,1994) .

O cientista Japonês Dr. Saiton, segundo ,(SILVA ,1994), escreveu que “no passado” o tratamento da prostatite demorava um longo tempo devido as repetidas reincidências. O uso de preparados de pólen melhoram rapidamente os sintomas com uma eficácia de mais de 80% dos casos.
A senilidade e a diminuição da função do sistema reprodutor juntamente com o aumento da idade, são os resultados do decréscimo da secreção de hormônio sexuais, o que é ocasionado pela disfunção do hipotálamo central e da hipófise.
Os cientistas Japoneses consideram que o pólen é eficaz na estimulação dos neurônios do hipotálamo de tal forma que pode ajudar a recuperar a função do hipotálamo, em animais velhos.
SILVA, (1998), informou que o pólen coletado pelas abelhas é o alimento mais completo e valioso da natureza. Uma nutrição com pólen permite à qualquer ser humano viver mais anos e melhor, além de melhorar seu desempenho sexual.
Ao armazenar o pólen, as abelhas o misturam com um pouco de mel e ácido 10-hidroxi-2-decenóico, segregado pelas glândulas salivares, cuja função é conservante.
Há na natureza 22 aminoácidos essenciais ao organismo humano e somente um alimento conhecido que contem estes 22 aminoácidos: o pólen.

O mesmo autor, ainda citou que o pólen exerce uma excelente ação reguladora das funções intestinais, especialmente para pessoas com intestino preguiçoso.


Extraído de:
www.sebraern.com.br/apicultura/pesquisas/polem_apicola.do
Imagem:http://ferradela.blogspot.com/2009/01/minha-dose-diaria.html

0 comentários: