Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sábado, 29 de dezembro de 2007

Homem afasta grandes mamíferos

Quase 80% da superfície da Terra experimentou um acentuado declínio do número de grandes mamíferos em resultado das actividades humanas, sugere um novo estudo agora dado a conhecer.

Ao examinar registos datados desde 1500 d.C. investigadores americanos descobriram que pelos menos 35% dos mamíferos com mais de 20 Kg de peso viram o seu território habitual reduzido em mais de metade.

Os investigadores referem que é necessária acção urgente para proteger os animais, que continuam a ser caçados ou a sofrer perda de habitat.

As descobertas foram publicadas na última edição da revista Journal of Mammalogy.

A investigação, levada a cabo por uma equipa de cientistas da Universidade de Princeton e pela organização conservacionista WWF na sua delegação americana, foi descrita como a primeira "medição do impacto humano na biodiversidade baseada na ausência de mamíferos nativos de grande porte".

"Talvez o resultado mais chocante do nosso estudo seja que os 109 locais que ainda retêm o mesmo efectivo de grandes mamíferos que apresentavam em 1500 sejam ou pequenas áreas protegidas e geridas intensivamente ou zonas de climas extremos", comenta o principal autor do estudo, John Morrison, director das medidas de conservação do WWF-US. "As áreas remotas são ou demasiado quentes, secas, húmidas, geladas ou pantanosas para suportar a actividade humana intensa."

Os investigadores compararam a distribuição actual dos 263 maiores mamíferos terrestres do mundo com a sua distribuição há 500 anos e descobriram que as espécies que sofreram a maior perda de habitat foram as de habitat generalista, onde se incluem os tigres, leopardos, leões, bisontes americanos, alces e lobos.

Geograficamente, a Australásia aguentou-se melhor, retendo 68% dos seus mamíferos de grande porte. No outro extremo da escala está o sudeste asiático, que apenas mantém 1% da megafauna que percorria a região em 1500.

No seu estudo, os cientistas explicam porque motivo os mamíferos de grande porte são tão importantes para a manutenção do equilíbrio ecológico.

"Os grandes carnívoros frequentemente moldam o número, distribuição e comportamento das suas presas", escrevem eles. "Os grandes herbívoros funcionam como engenheiros ecológicos ao alterar a estrutura e a composição específica da vegetação que os rodeia e, para além disso, ambos os tipos de mamíferos influenciam profundamente o ambiente para além das interacções directas entre as espécies, como as que ocorrem nas cadeias alimentares."

O cientista chefe do WWF Eric Dinerstein refere que espera que as descobertas ajudem a focar os esforços conservacionistas: "Podemos agora localizar as zonas onde grandes grupos de mamíferos de grande porte ainda desempenham um papel importante nos ecossistemas terrestres."

"Através de reintroduções estratégicas, como a devolução dos lobos ao Parque Nacional de Yellowstone, podemos restaurar [...] locais onde estejam a faltar uma ou duas espécies aos ecossistemas e recuperar o tecido ecológico dessas paisagens tão importantes para a conservação."

Saber mais:

WWF-US

American Society of Mammalogists

Journal of Mammalogy

0 comentários: