NutriViva no Facebook é a nossa página no Facebook onde há uma constante actividade com pratos e ideias sobre Alimentação Viva.
Visitem o meu blog em inglês (com traduçao automática)
Raw in Copenhagen
Ao deixar um comentário referente a um artigo, por favor colar o link desse artigo.

Badge Raw Food

Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Search/ Busca

Carregando...

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Cocktail de mais de 20 produtos químicos num copo de leite


Ontem publiquei  no meu outro blog  raw in copenhagen um artigo do Daily  Mail que diz que o leite tem mais de 20 substancias quimicas


Aqui fica a tradução:




girl drinking milk

Não é tudo branco: Cocktail de mais de 20 produtos químicos num copo de leite






Bebida saudável ?:


Um copo de leite pode conter um cocktail de até 20 analgésicos, antibióticos e hormonass de crescimento, comprovado por cientistas .
Usando um teste altamente sensível, eles encontraram uma série de produtos químicos utilizados para tratar doenças em animais e pessoas em amostras de leite devaca, cabra e leite materno.
As doses de drogas foram muito pequenas, mas os resultados destacam como produtos químicos sintéticos são encontrados ao longo da cadeia alimentar.
a maior quantidade de medicamentos foram encontrados no leite de vaca.
Os investigadores acreditam que alguns dos medicamentos e promotores (hormonas) de crescimento foram dadas ao gado, ou entram no leite através de ração para gado ou contaminação na fazenda.
A equipa espanhol-marroquina analisou 20 amostras de leite de vaca comprado em Espanha e Marrocos, juntamente com amostras de leite de cabra e de mama. O estudo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry, revelou que o leite de vaca contém traços de anti-inflamatórios ácido niflumic, ácido mefenâmico e cetoprofeno - comumente usado como analgésico em animais e pessoas.



Também continha a hormona 17-beta-estradiol, um tipo de hormona estrógenica sexo. A hormona foi detectada em três milionésimos de grama em cada quilo de leite, enquanto a dose mais elevada de ácido niflumico foi inferior a um milionésimo de um grama por quilo de leite.
No entanto, os cientistas, liderados pelo Dr. Evaristo Ballesteros, da Universidade de Jaén na Espanha, dizem que sua técnica possa ser usada para verificar a segurança de outros tipos de alimentos.



Dr Ballesteros disse: "Nós acreditamos que a nova metodologia vai ajudar a fornecer uma maneira mais eficaz de determinar a presença desses tipos de contaminantes no leite ou outros produtos.
"Laboratórios de controlo de qualidade alimentar poderiam usar esta nova ferramenta para detectar as drogas antes que elas entrem na cadeia alimentar. Isto elevaria a consciência dos consumidores  e dar-lhes o conhecimento de que a comida é ... inofensiva, pura, verdadeira, benéfica para a saúde e livre de resíduos tóxicos ", acrescentou.


Resultado líquido: Compostos fabricados e utilizados pelos seres humanos estão aparecendo em todas as partes da cadeia alimentar
Os testes também descobriram o ácido niflumico no leite de cabra, o leite materno continha traços de analgésicos ibuprofeno e naproxeno, juntamente com o triclosan antibióticos e algumas hormonas.
Os pesquisadores dizem que este teste novo  de 30 minutos é o mais sensível existente. Se as descobertas são verdadeiras para o leite espanhol e marroquino, poderiam ser igualmente verdadeiras para o leite produzido na Grã-Bretanha e norte da Europa.
No ano passado, cientistas da Universidade de Portsmouth descobriram que os peixes estavam sendo contaminados com o antidepressivo Prozac.
A droga entra nos rios através do sistema de esgotos e mexe com a química do cérebro dos peixes, afirmaram  os pesquisadores.
Estudos anteriores mostraram que a cafeína é também libertada e passa pelos filtros dos sistemas de tratamento.
As hormonas da pílula anticoncepcional e reposição hormonal têm sido acusadas ​​de feminizar peixes, levando peixes machos a produzir ovos.
Os efeitos dos antibióticos, medicamentos para pressão e colesterol em animais selvagens também estão sendo estudados em todo o mundo.











 Fonte http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2012050/The-cocktail-20-chemicals-glass-milk.html#ixzz1RRTbAhyn


Mais artigos sobre o leite....


E o Leite




O ser humano é, provavelmente, o único animal que dá continuidade ao consumo de leite após o desmame.Tal como nos outros animais, o bebé é alimentado com leite animal, normalmente, até ao seu primeiro ano de vida. Após esta fase e, ao contrário do que acontece com os outros animais, é aconselhado o contínuo consumo de leite animal apresentando argumentos em seu benefício que vão desde o auxiliar no crescimento do bebé até ao facto de proporcionar um melhor desenvolvimento e desempenho físico.

Leite: a clara crueldade não só com o bezerro!
Todos os animais mamíferos foram presenteados pela natureza com leite próprio para cada espécie. Por que só a espécie humana se alimenta e/ou alimenta seus “filhotes” com o leite específico de outra espécie?
Se o homem tivesse quatro compartimentos no estômago e precisasse crescer tão rapidamente como o bezerro, talvez tirasse algum proveito deste líquido tão alvo e tão carregado de gordura, mas não é esse o caso.
Não foi à toa que o Ministério da Saúde, numa página do INCA – Instituto Nacional do Câncer – alertou que o leite integral e seus derivados se consumidos regularmente durante longos períodos, parecem fornecer o tipo de ambiente que uma célula cancerosa necessita para crescer, se multiplicar e se disseminar. Por possuir muita gordura e alto teor de proteína que conjugada com outras proteínas, o leite pode provocar a perda de cálcio no corpo, ocasionando a osteoporose. O leite que ingerimos vem recheado de fezes, grande fonte de bactérias, que chegam à nossa mesa com milhões de células somáticas (conhecidas como PUS). Na Comunidade Européia e no Canadá só é permitido 400.000.000 de pus por litro, em outros locais não saberia dizer. É certo que a pasteurização é feita mais de uma vez antes de se chegar à mesa, mas somente 15 segundos por vez e à temperatura de 72ºC, o que gera muita desconfiança, já que a água para ser esterilizada precisa ser fervida a 100ºC por vários minutos!
O conteúdo de colesterol de 3 xícaras de leite é equivalente a 53 fatias de bacon. É uma ilusão considerar o leite de animais um fornecedor de cálcio insubstituível, pois a CASEÍNA, um tipo de proteína do leite, impede que o cálcio seja absorvido pelo organismo humano.
Alguns pediatras apontam a caseína como a principal causa da mucosidade, congestão e dores de ouvido na infância. Com essa mesma CASEÍNA se fabrica uma cola muito forte, que é utilizada na carpintaria e na fixação de rótulos em garrafas. O ser humano, em quase sua totalidade, aos 3 anos de idade já não possui as enzimas necessárias para decompor e digerir o leite que são a RENINA e a LACTASE, daí tantos problemas com o consumo do mesmo e seus derivados. O leite desnatado ainda é pior para o consumo que o leite integral, não se iludam!
O consumo de leite e seus derivados tem ligação com: bronquite, asma, osteoporose, enfisema, colesterol, alergia ,diabetes, doenças coronárias, neoplasias malignas, problemas respiratórios, problemas de pele, doença de Crohn, prisão de ventre, cefaléias ( dores de cabeça) e outros.
Atualmente, uma vaca produz dez vezes mais leite do que sua natureza permitiria, graças aos hormônios que lhe são conferidos. As vacas são tratadas como máquinas: não tomam sol, não amamentam seus filhotes, e para combater as doenças, vários antibióticos lhe são ministrados além dos pesticidas. Quanto aos bezerros, são retirados de sua mãe assim que nascem, não lhes sendo permitido mamar nas tetas da mesma. São confinados em engradados de madeira ou ferro para que não se movimentem e assim produzirem a carne de vitelo, mais uma vez, para a satisfação humana!
O organismo humano pode produzir a gordura de que necessita através do consumo de hortaliças, exatamente como o faz a vaca. Em relação ao cálcio há uma grande disponibilidade do mesmo na natureza, não sendo necessário ao homem participar diretamente de tanta crueldade com nossos irmãos, que o digam a vaca, o cavalo, o elefante, a girafa e outros, pois todos os mamíferos, a maioria vegetarianos por natureza, se alimentam do leite da própria espécie quando bebês e de legumes, frutas e verduras , quando adultos, possuindo ossos fortes e saudáveis.
O massacre dos animais é também um ato do ser humano contra si próprio. Nós o praticamos porque estamos mergulhados em relações sociais que nos cegam. Enxergar nas outras espécies seres que sentem e sofrem é um enorme passo para nos livrarmos das brutalidades que cometemos entre nós mesmos.” – Le Monde Diplomatique
Por: Fátima Borges Pereira – Professora de Português e Teatro Infantil, Poetisa, Artista Plástica e Vice-presidente da Ong. DAAJ – Defesa Animal e Ambiental com Apoio Jurídico.
*******
Fátima Borges – artista plástica, poetisa, professora de português e teatro infantil;
colunista do site Petgree - 
www.petgree.vet.br ;
vice-presidente da Ong DAAJ ( Defesa animal e ambiental com apoio jurídico);
colunista do site Florais e Cia - 
www.floraisecia.com.br
Fonte do texto: Sítio Veg
“Leite, alimento ou veneno?”
O Leite contém poderosos hormônios de crescimento provenientes de vacas tratadas com proteína bovina geneticamente modificada. Esta realidade é fruto de séria controvérsia trazida à luz pela engenharia genética, e colocou a indústria de laticínios americana sob uma investigação rigorosa.
Fruto de exaustiva pesquisa, este livro investiga como foram usados bilhões de dólares da indústria de laticínios norte-americana para influenciar a FDA e o Congresso americano assim como a comunidade científica e médica, enganando o consumidor sobre os perigos do Leite e produtos dele derivados.
Comprimidos para dor de cabeça, sprays para nariz entupido, descongestionantes e anti-histamínicos para aliviar sintomas de alergias enchem as prateleiras das drogarias e farmácias. São necessários laxativos para aliviar gases intestinais, inchaço, diarréia e síndrome de intestino irritado causado por intolerância à lactose, que incomodam ¾ da humanidade.
Sem o consumo de laticínios, talvez não fossem precisos todos esses antídotos. Meticulosamente documentado, escrito num estilo informal e cheio de vida, pontuado de humor irreverente, este livro vai mostrar que o leite é um perigo real para a sua saúde. Não se preocupe com o que você vai pôr nos flocos de cereais. O autor oferece muitas sugestões para substituir o leite.
Robert Cohen estudou psicologia fisiológica e fez especialização em psicobiologia no Southampton College da Universidade de Long Island, além de realizar pesquisas científicas no campo da psiconeuro-endocrinologia onde estudou a influência dos hormônios sobre a química do cérebro e o comportamento subseqüente dos mamíferos.Estudou genética, endocrinologia e fez cursos de histologia e fisiologia dos mamíferos. Dedicou vários anos de sua vida à pesquisa do material que constitui a base principal deste livro, documentando a existência de permanente lobby político que confundiu a opinião pública omitindo pesquisas que provaram que o leite não é um bom alimento.

0 comentários: