Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Total de visualizações de página

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Going RAW - como fazer a transição para a alimentação VIVA


Quando se entra em contato com a alimentação crua / viva, o fascínio inicial pode nos levar a mudar de um dia para o outro de forma radical. Nem todo mundo se sai bem numa passagem assim brusca... e Mark Ament tem umas dicas bem legais para se fazer isso sem traumas.

Na alimentação crua / viva, os alimentos são consumidos crus, ou aquecidos a temperaturas que não podem ultrapassar os 47 graus centígrados - nada pode ser cozido, frito ou assado, pois isso destruiria as enzimas e os alimentos deixariam de ser vivos. Alimentos processados ou artificiais também não entram aqui!

Esse tipo de alimentação inclui vegetais, legumes, frutas, sementes germinadas e nozes e frutos secos hidratados - tudo o que a natureza nos dá. Todos esses alimentos são ricos en enzimas, porém as sementes e as nozes precisam ser hidratadas e germinadas antes de serem consumidas, pois só assim as suas enzimas "acordam".

Mark sugere alguns passos muito fáceis de serem seguidos para se chegar a comer de 80% a 100% comida crua / viva, nível que ele considera como o que traz os maiores benefícios - o importante é começar devagar e incluir no início os alimentos que você mais gosta.

(1) Escolha um superalimento verde: suco de broto de trigo (wheatgrass) ou suco de broto de cevada (barleygrass) - esse pode ser um bom começo.

(2) Comece por fazer sucos de vegetais, como o suco de luz, por exemplo. Inclua aipo, pepino, couve, repolho, maçã... comece o dia com um desses!

(3) Também pode começar a incluir uns "smoothies", que são uns cremes de frutas e vegetais, onde não se coam as fibras - inclua gordura e um dos superalimentos. Junte um pouco d'água ou outro suco, se quiser mudar a consistência.

(4) Moramos num país tropical: coma a "laminha" e beba a água de pelo menos 1 côco por dia! Nem é preciso dizer que água de côco em caixinha ou leite de côco de garrafinha estão FORA disso, pois além de processados e pasteurizados (isso inclui calor suficiente para matar as nossas amigas enzimas), estão cheios de conservantes.

(5) Faça saladas - mas saladas criativas, que incluam verdes, sementes germinadas, gorduras, nozes hidratadas, algas marinhas e frutas. O abacate, por exemplo, é um alimento indispensável na mesa de quem come cru. Invente molhos, misture, crie sabores e cores!

Comece a mudança comendo cerca de 50% de comida crua. Quando estiver se sentindo confortável, aumente esse percentual para 60%, e permaneça nele por cerca de 4 semanas. Neste ponto você pode passar para 80% de alimentos crus, e tentar permanecer nesse patamar por umas 6 semanas. Pronto - você já pode se considerar "vivo"!

Se puder chegar a 100%, ótimo, mas, entre 80% e 100% de alimentação crua, você obtém os benefícios deste estilo de vida. Receitas existem muitas para variar os sabores - você se surpreenderá!

Vale a pena saber mais!
Transitioning into live food - Mark Ament - VIDEO online
12 passos para o crudivorismo
Benefits of eating raw foods
* TRADUÇÃO para o Português

Fonte: http://enzimato.blogspot.com/2008/10/going-raw-como-fazer-transio-para.html

0 comentários: