Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Equinácea pode reduzir em 58% o risco de pegar resfriados (constipações em Portugal)

A planta conhecida como equinácea poderia reduzir em 58% a probabilidade de se contrair um resfriado, segundo uma análise publicada na edição de julho da revista médica "The Lancet Infectious Diseases".

A equinácea também poderia reduzir em 1,4 dia a média de duração de um resfriado, indica o estudo, elaborado por uma equipe dirigida por Craig Coleman, da Faculdade de Farmácia do Hospital Hartford, de Connecticut (EUA).

Para o estudo, os especialistas realizaram uma meta-análise - trabalho que combina os resultados de testes prévios -, neste caso de 14 centrados nas propriedades curativas da planta.

Os autores chegaram à conclusão que, ingerida para prevenir um resfriado comum, a equinácea é capaz de reduzir sua incidência em 65%.

No entanto, se os pacientes forem inoculados diretamente com o rinovírus (causa mais comum dos resfriados), a planta reduz em apenas 35% a incidência da doença.

"Dado que há 200 vírus capazes de causar o resfriado comum, a equinácea poderia ter um efeito bem mais limitado contra o rinovírus, mas muito maior contra outros vírus", afirmam os cientistas.

A equinácea é um grupo de nove espécies de plantas interrelacionadas da América do Norte, das quais as três mais conhecidas por suas qualidades terapêuticas são a Echinacea angustifolia, a Echinacea pallida e a Echinacea purpurea.

Os especialistas descobriram que, atualmente, estão disponíveis mais de 800 produtos que contêm a equinácea, e que diversas partes da planta - flor, caule ou raiz - são utilizadas na elaboração deles.

Essas três espécies de equinácea contêm os mesmos componentes, mas em diferentes concentrações.

Acredita-se que três desses componentes - alcamidas, ácido chicórico e polissacárides - podem induzir um processo de imunoestimulação, mas não seja claro como funciona esse mecanismo.

0 comentários: