Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Total de visualizações de página

sábado, 5 de julho de 2008

"Junk food" na gravidez pode prejudicar filho de forma irreversível

Um estudo realizado em ratos sugere que uma alimentação à base de "junk food' por mães durante a gravidez e a amamentação pode prejudicar, a longo prazo, a saúde da criança.

Segundo os pesquisadores da Royal Veterinary College, em Londres, uma dieta assim por parte da mãe pode causar problemas como obesidade, alto nível de colesterol e glicose e diabetes na criança.

A pesquisa ressalta ainda que alguns dos danos causados à saúde do bebê podem ser irreversíveis, mesmo que a criança tenha hábitos alimentares saudáveis.

"Sempre falamos que você é o que você come, mas pode também ser verdade que você é o que sua mãe comeu", disse Stephanie Bayol, que liderou o estudo.

O estudo está publicado na edição de julho da revista científica "The Journal of Physiology".

Pesquisa - Apesar de o estudo ter sido realizado em ratos, o professor Neil Stickland, que participou da pesquisa, afirma que não há razão para que os mesmos princípios não possam ser aplicados no caso dos humanos.

"Os humanos e os ratos dividem sistemas fisiológicos similares e essa é uma boa razão para assumir que os efeitos observados nos ratos possam ser repetidos nos humanos", disse Stickland.

Para realizar a pesquisa, os cientistas dividiram um grupo de ratas grávidas em dois: um foi alimentado com comida processada, doces e frituras e o outro com uma dieta saudável.

Em seguida eles compararam a saúde dos filhotes dessas ratas.

Os resultados indicaram que os filhotes das mães com dieta à base de "junk food" tinham um alto nível de colesterol e triglicerídeos - dois fatores que contribuem para doenças cardíacas. Além disso, os filhotes apresentaram ainda níveis altos de glicose e insulina, que aumentam as chances de a criança desenvolver a diabetes tipo 2.

Os pesquisadores analisaram os ratos além da fase adolescente e observaram que aqueles nascidos de mães que tiveram a dieta mais pobre continuavam mais gordos do que os das mães que se alimentaram bem durante a gravidez. Els observaram ainda que, além de mais gordos, esses filhotes tinham uma camada de gordura ao redor dos rins.

Influência - De acordo com a médica Pat Goodwin, da instituição Wellcome Trust, que financiou o estudo, a pesquisa reforça a teoria de que são muitos os fatores que podem contribuir para uma pessoa se tornar obesa.

"A gravidez pode ser um período difícil para as mães, mas é importante que elas saibam que sua alimentação afeta o bebê", disse.

No entanto, o nutricionista e pesquisador Simon Langley-Evans, da Universidade de Nottingham, na Inglaterra, afirmou que o estudo não prova que a dieta da mãe pode afetar a saúde da criança além do efeito nos desejos e no apetite.

"Não estou convencido de que eles demonstram isso - tudo o que eles mostraram pode ser resultado de obesidade causada pelo aumento do apetite", afirmou.

"O que a pesquisa mostra é que a influência precoce da mãe é muito importante", concluiu.

Fonte: Folha Online

0 comentários: