NutriViva no Facebook é a nossa página no Facebook onde há uma constante actividade com pratos e ideias sobre Alimentação Viva.
O blog também está acessivel em ALIMENTACAOVIVA.COM e ALIMENTACAOVIVA.INFO
Visitem o meu blog em inglês (com traduçao automática)
Raw in Copenhagen
Ao deixar um comentário referente a um artigo, por favor colar o link desse artigo.

Badge Raw Food

Qr Code do blog

Qr Code do blog
Qr Code do blog

Rss

Contacto

Search/ Busca

Carregando...

Blog Archive

Followers

Follow by Email

Add me on Facebook

NutriViva Tv



Ocorreu um erro neste gadget

Total de visualizações de página

sábado, 21 de abril de 2007

Solução para ler tudo o que me falta ler



Aloé Vera

A folha suculenta da planta de Aloé Vera é uma das mais veneradas plantas medicinais terapêuticas da natureza. Desde sempre, a Aloé Vera tem sido largamente encarada como uma planta curativa milagrosa. Muitas civilizações notaram os extraordinários benefícios do Aloé. Documentos históricos e religiosos de Egípcios, Romanos, Gregos, Hebreus, Chineses, Indianos (da Índia), Argelinos, Marroquinos, Tunisinos e Árabes relatam a sua eficácia tanto para uso interno como externo.


Em 1967, fui contratado para fazer pesquisa no 11 Laboratório de medicina laser do mundo no Hospital Infantil de Cincinnati, no Ohio. Todos os dias, depois de terminar as minhas experiências, ía para a sala onde estavam os animais sujeitos às experiências para os ajudar a curar as queimaduras de laser a que eram sujeitos.


Após ter utilizado diversos preparados, observei que o gel de Aloé Vera permitia a mais impressionante cicatrização de vários problemas de pele, inclusivamente, queimaduras, lesões e cancro. Tive, também, a oportunidade de testar o gel em mim próprio, depois de uma queimadura de laser, e nalguns doentes no laboratório. De todas as vezes, o Aloé produziu resultados impressionantes, consistentes e rápidos. Estudos científicos confirmam que o Aloé Vera é eficiente num extraordinário número de patologias internas e externas. As utilizações mais comuns para o Aloé Vera são como digestivo, anti-inflamatório, cicatrizante, laxante, desintoxicante, agente de limpeza, hidratante, para gastrites, úlceras, queimaduras, colites, eczemas, artrites, dores de estômago por causas nervosas, pequenos golpes e picadas de insectos.


A Aloé Vera alivia e trata problemas de pele, incluindo golpes, queimaduras, arranhões, picadas de pequenos insectos não venenosas, erupções cutâneas entre outros problemas dermatológicos, quando suavemente esfregada com gel de aloé. As queimaduras cicatrizam muito mais rapidarnente que se fossem ignoradas. A aloé é muito conhecida em centros traumáticos na Califórnia, Illinnois, Nova Iorque, Texas e outros Estados, para o tratamento de queimaduras.


Uma das razões pela qual o Aloé tem grandes efeitos benéficos, rnesmo quando apenas aplicado na superfície da pele, é a sua impressionante capacidade de ser absorvido pela pele. Estudos provam que o Aloé produz na pele um efeito


anti-envelhecimento tão forte como o ácido retinólico, no entanto, ao contrário do ácido retinólico, os polissacarídeos contidos no Aloé não irritam a pele.


Aloé Vera é um anti-inflamatório e protege o sistema imunológico da pele. Contém ingredientes que neutralizam as substâncias estranhas e nefastas da pele, ajudando as células do sangue a eliminar esses micróbios antes de se espalharem pelo organismo. São estas substâncias anti-inflamatórias que permitem ao Aloé tratar o acne e outras irritações da pele.




A Aloé diminui a transpiração, ajuda na eliminação de odores causados por bactérias, ajuda a manter a pele hidratada e serve como um desodorizante natural, entre muitos outros benefícios que produz na pele. Segundo a naturopatia, a Aloé Vera é também útil no tratamento dos seguintes sintomas: febres, doenças de pele, prisão de ventre, falhas menstruais, gonorreia, icterícia, doenças reumáticas, hemorróidas, constipações e tosses, hidropisia, ciática, lumbago, reumatismo, retenção de urina, indigestões, flatulência, tumores da zona abdominal, carbúnculos, espasmos musculares durante a rnenstruação, úlceras, colites, inflamações, vaginite e cervicite, conjuntivite, e para alargamento ou inflamação do figado, baço ou outras glândulas.


A maior concentração de Ingredientes Activos, os mucopolissacarídeos que surgem naturalmente, encontra-se no gel. A densa seiva amarela que se encontra mesmo por baixo da superficie interior da casca da folha pode ser amarga, indigesta, possivelmente abrasiva, difícil de purificar, contendo também antraquinona, a que se dá o nome de aloína, o que pode funcionar como um desagradável e irritante laxante, causando severas dores abdominais. A preparação a frio do Aloé retira a irritante aloína do aloé, e deixa um gel que está actualmente provado que traz muitos benefícios terapêuticos para o corpo.




É de notar que os primeiros ingredientes activos de outras plantas medicinais estimulantes do sistema imunológico conhecidas, como por exemplo a equinácea, astrágalo e os cogumelos orientais, são os seus polissacarídeos. Muitos dos benefícios terapêuticos do Amexilhão do mar de lábios verdes@, da sopa de barbatana de tubarão - a veneração terapêutica dos Orientais - e das anti-cancerigenas cartilagens de tubarão são todos devidos aos polissacarídeos mucilaginosos naturais (mucopolissacarídeos).


Todos os produtos de Aloé Vera contém mucopolissacarídeos naturais ? Não. Muitos produtos contém poucos, se alguns, mucilaginosos mucopolissacarídeos devido a ineficazes processos de produção que destroem os mucopolissacarídeos naturais presentes no Aloé. Quando a planta de Aloé Vera é colhida, infelizmente liberta-se uma enzima que começa rapidamente a decompor os polissacarídeos mucilaginosos do Aloé Vera em simples açucares. É por esta razão que o ideal seria uma planta fresca, cortada à mão. No entanto, o processo pelo qual a Aloé Vera é colhida e de imediato feita a preparação a frio mantém, aparentemente, as mesmas características.
A estabilização e padronização dos polissacarídeos mucilaginosos naturais, um importante componente imune do Aloé Vera, permite obter, a partir dos polissacarídeos mucilaginosos naturais não pasteurizados do aloé, um gel ou sumo uniforme, de confiança, eficaz, seguro, para além dos nutrientes sinérgicos, como é o caso das vitaminas e dos minerais.




Algumas empresas procedem à evaporação do Aloé, geralmente com maltose. Este processo diminui substancialmente os verdadeiros polissacarídeos mucilaginosos naturais do Aloé Vera, resultando assim num produto que contém polissacarídeos mucilaginosos resultantes da maltose.


Tem sido provado que o Aloé Vera melhora o sistema imunológico. Estimula a produção de macrófagos, linfócitos, fagócitos, glóbulos brancos e citocines - todos importantes componentes do nosso sistema imunológico. Tem sido também mostrado que o Aloé tem uma actividade anti-viral e anti-fungicida. As investigações realizadas indicam que os polissacarídeos mucilaginosos presentes no Aloé têm largas potencialidades terapêuticas em muitas doenças humanas e animais, incluindo o cancro, a SIDA e outros distúrbios imunológicos. 0 Aloé Vera é não tóxico e muito estável. A segunda fase do estudo dos polissacarídeos mucilaginosos orais do aloé como um complemento do AZT no tratamento da SIDA foi concluída com sucesso no Canadá.


FDA concedeu autorização para se continuarem os estudos clínicos no homem de um polissacarídeo rnucilaginoso oral de Aloé no tratamento de ataques agudos de colites, os quais foram já iniciados em 4 centros médicos diferentes. A pesquisa efectuada indica que o aloé gel é benéfíco no tratamento de feridas e ulceras cancerosas.


Tem sido provado que o Aloé Vera ajuda no tratamento do cancro, de viroses, de doenças imuno- reguladoras e respiratórias, de infecções e de inflamações. Estudos utilizando células sanguíneas humanas in vitro demnonstraram que o Aloé Vera estimula a libertação dos factores cancerígenos das necroses e produz outras actividades anti-cancerígenas.


Aloé pode revelar-se eficaz em casos de rinites alérgicas (febre dos fenos, que ataca cerca de 20 milhões de americanos), em aftas e em herpes labiais. 20% da população americana sofre de aftas ou feridas cancerigenas, enquanto a herpes labial, também conhecida como herpes febril, surge em cerca de 20% - 30% da população.


Desde o início da utilização do raio x, e consequentemente da radioterapia, os médicos constataram que a radiação pode causar reacções da pele bastante graves.




Qualquer produto de protecção contra as graves reacções cutâneas à radiação, actua quer externamente, cicatrizando a pele, quer internamente, estinulando vários processos imunológicos. Nesta acção, o Aloé é único, sendo extremamente eficaz interna e externamente. Vários estudos de investigação provam a eficácia do Aloé Vera na prevenção e tratamento de reacções às radiações. Por exemplo, emulsões de sumo de aloé foram aplicados em 260 doentes, após terem sido submetidos a tratamentos radioactivos. Os investigadores alegam que as emulsões são de longe mais terapêuticos na redução das reacções cutâneas causadas pela radiação que a maior parte dos preparados sintéticos. Defendem que as emulsões são Aindicadas para a prevenção do desenvolvimento de reacções localizáveis originadas pela radioterapia, para o tratamento de epidermes secas ou gordurentas (inflamações da camada exterior da pele) e para o tratamento de queimaduras radioactivas do 2E e 3E graus. 0 Aloé acelera igualmente o processo de regeneração da pele, assim como o normal crescimento das células, sendo também uma boa ajuda no tratamento de outros problemas dermatológicos.


Outros investigadores descobriram que o sumo de Aloé Vera consegue óptimos resultados no tratamento das reacções causadas pela submissão das pessoas a radiações, radioterapia e raios x. Uma série de testes efectuados nos anos 60 em vários hospitais mostraram que o creme de aloé é 50% melhor que 3 outros produtos considerados os mais indicados para o tratamento de queimaduras.


Após rever um longo estudo científico sobre o Aloé Vera, a FDA declarou em 1959 que Ade um modo geral admite que o Aloé Vera regenera na verdade os tecidos da pele@.


Todos os ano, as pessoas são expostas a mais de 6.000 poluentes químicos e de 200 toxinas radioactivas, o que poderá causar uma larga quantidade de infecções, inflamações e dores graves interna e externamente. Os investigadores afirmam que o Aloé Vera contém propriedades anti-bacterianas, anti-inflamatórias e de alivio de dores.


Aloé auxilia no crescimento e reparação dos tecidos do organismo. Ajuda a manter uma pele macia, suave e saudável. Internamente, o aloé gel ou o sumo de aloé, ricos em polissacarídeos naturais e em vitamina A/betacaroteno, fortalecem as paredes das células e protegem as suas membranas mucosas, ao mesmo tempo que reduz a susceptibilidade de contrair infecções. Ambos, actuam como anti-oxidantes e combatem os efeitos dos poluentes químicos e radiações presentes na atmosfera.


A aloína é a seiva amarela que se encontra na camada verde exterior da folha de Aloé Vera. Uma vez que a aloína é um laxante extremamente forte, e que pode oxidar e descolorar o Aloé Vera gel, os sumos e geles de Aloé Vera de alta qualidades não deverão conter mais que 50% o de aloína. Quanto menos tiver, melhor.


Porque é tão importante a preparação a frio/não pasteurizada do aloé vera ? É importante preparar a frio o Aloé Vera para reter a sua maior eficácia. Se forem utilizadas altas temperaturas durante qualquer parte do processo de produção dos produtos de Aloé Vera, os numerosos constituintes activos terapêuticos naturais do Aloé Vera serão destruídos.


Aloé Vera não é uma, panaceia, nem tão pouco é a cura para a maioria das doenças, como muitas pessoas já o promoveram. No entanto, utilizado de forma apropriada nas doenças em que a sua acção é conhecida, o Aloé Vera é um poderoso cicatrizante que tem sido utilizado à milénios com sucesso.


Steve Schechter, é um naturopata
autor do livro Combatendo a Radiação e Poluentes Químicos com os Alimentos, Plantas Medicinais e Vitaminas

A Inferioridade

"Certo dia, um Samurai, que era um guerreiro muito orgulhoso, veio ver um Mestre Zen. Embora fosse muito famoso, ao olhar o Mestre, sua beleza e o encanto daquele momento, o samurai sentiu-se repentinamente inferior.

O Samurai então disse ao Mestre: - Por quê estou me sentindo inferior? Apenas um momento atrás, tudo estava bem. Quando aqui entrei, subitamente me senti inferior e jamais me sentira assim antes. Encarei a morte muitas vezes, mas nunca experimentei medo algum. Por quê estou me sentindo assustado agora?

O Mestre falou: - Espere. Quando todos tiverem partido, responderei.

Durante todo o dia, pessoas chegavam para ver o Mestre, e o samurai estava ficando mais e mais cansado de esperar. Ao anoitecer, quando o quarto estava vazio, o Samurai perguntou novamente: - Agora você pode me responder por que me sinto inferior?

O Mestre o levou para fora. Era um noite de lua cheia e a lua estava justamente surgindo no horizonte. Ele disse: - Olhe para estas duas árvores, a árvore alta e a árvore pequena ao seu lado. Ambas estiveram juntas ao lado de minha janela durante anos e nunca houve problema algum. A árvore menor jamais disse à maior: Por quê me sinto inferior diante de você? Esta árvore é pequena e aquela é grande. Este é o fato, e nunca ouvi sussurro algum sobre isso.

O Samurai então argumentou: - Isto se dá porque elas NÃO podem se comparar. E o Mestre replicou: - "Então não precisa me perguntar. Você sabe a resposta. Quando você não compara, toda a inferioridade e superioridade desaparecem. Você é o que é e simplesmente existe. Um pequeno arbusto ou uma grande e alta árvore, não importa, você é você mesmo. Uma folhinha da relva é tão necessária quanto a maior das estrelas. O canto de um pássaro é tão necessário quanto qualquer ser humano, pois o mundo será menos rico se este canto desaparecer. Simplesmente olhe à sua volta. Tudo é necessário e tudo se encaixa. É uma unidade orgânica, ninguém é mais alto ou mais baixo, ninguém é superior ou inferior. Cada um é incomparavelmente único. Você é necessário e basta. Na Natureza, tamanho não é diferença. Tudo é expressão igual de vida."

Sentimentos Negativos


O que são sentimentos negativos? O que leva o ser humano a sentir raiva, medo, culpa, mágoa ou qualquer outro sentimento negativo? Vamos analisar juntos.

A metafísica explica que nossos pensamentos influenciam a nossa realidade. E que a força do pensamento é capaz de atuar nas funções biológicas do corpo. Se penso em comida, começo a sentir fome. Se penso em algo assustador, começo a sentir medo daquilo. Daí podemos concluir que os pensamentos estão associados à coisas que sentimos. Logo, pensamentos negativos vão criar em algum momento SENTIMENTOS NEGATIVOS.

E o que é pensar negativamente? Não é ter pensamentos de negação? Mas, negação de quê? Do jeito que o mundo caminha, com tanta violência e desordem, poderia dizer que a negação é de nós mesmos. A humanidade chegou no ponto máximo da negação do próprio indivíduo. As pressões impostas pelo sistema não nos permite mais um contato verdadeiro com a gente mesmo. Valorizamos mais o externo do que o interno. O dinheiro tornou-se o "deus" do homem, em vez de servir somente para o seu crescimento pessoal. Tudo virou produto de consumo e uma busca insaciável pelo prazer dos sentidos. A nossa essência, ou seja, o que é essencial em nós foi deixado de lado. Não sabemos mais quem somos realmente. E qual a nossa função na vida. E isso nos faz sofrer e experimentar uma variedade de sentimentos negativos. Não há nenhum mal em expressar sentimentos negativos. O que faz mal é guardá-los por muito tempo em seu interior. Estima-se que 80% das doenças ou males são causados pela não eliminação de sentimentos negativos e 20% por outros fatores. Devemos vê-los como um professor ou mestre. Eles nos trazem uma lição, um recado de consciência e transformação de vida. E nos auxiliam no caminho de volta ao ser.

Portanto, aqui está o convite para acelerar o seu desenvolvimento pessoal e libertar-se dos sentimentos negativos. Não se negue mais. Pratique o autoconhecimento. Positive seus pensamentos. Saia de suas ilusões. Desmonte sua falsa identidade construída pelo coletivo. Torne-se um indivíduo. Porque ser um indivíduo (in + divi + duo) é não estar dividido em dois. É fundir a personalidade com a alma. Encarnar o divino no humano. É ser você mesmo. A verdade do teu espírito aqui na Terra.

Fonte: Guisil

O real deve vir do ser

"O real deve vir do ser.
Primeiro, você deve mudar e ser transformado.
Então, tudo o que fizer será bom.
Certa vez, alguém perguntou a Santo Agostinho: O que devo fazer? Não sou homem instruído, por isso, responda-me com poucas e curtas palavras.
Agostinho disse: Nesse caso, há apenas uma coisa a ser dita: AME! E tudo o que fizer estará certo.
Quando você ama, tudo está certo, é claro; mas se você não ama, então, tudo está errado. Amar significa não ter ego!
Amar significa ser centrado! Amar significa permanecer feliz!
Amar significa ser grato!
Este é o significado de viver pelo ser, não pelos actos. Porque os actos estão na superfície, o ser está no íntimo.
Deixe as coisas virem do seu ser.
Não manipule e não controle suas acções, transforme o seu ser.
O real não é o que você faz, o real é aquilo que você é."


(OSHO)

NOVAS DESCOBERTAS DA BIOLOGIA DO CÉREBRO


As últimas descobertas no campo da biologia trazem novos esclarecimentos sobre o poder da mente na configuração do próprio cérebro. O Dr. Bruce Lipton, professor de medicina e investigador, e outros cientistas da área, têm examinado detalhadamente os processos nos quais as células recebem informação. As implicações desta pesquisa mudam radicalmente nossa compre-ensão da vida. As pesquisas já realizadas mostram claramente que os genes e o DNA não controlam a nossa biologia; ao invés disso, o DNA é controlado por sinais que se originam fora da célula, incluindo as mensagens energéticas que emanam dos pensamentos positivos e negativos. A profunda e esperançosa síntese do Dr. Lipton a respeito da melhor pesquisa em biologia celular e física quântica está sendo aclamada como uma descoberta revolucionária que mostra que nossos corpos podem ser mudados quando nós retreinamos nossos pensamentos.

Bruce Lipton Ph.D. Uma nova biologia
Segundo este Biólogo celular, o centro "pensante" de uma célula não é o seu núcleo, mas antes a membrana que a recobre.

E não são os nossos genes que determinam o nosso comportamento e a evolução, mas antes o meio ambiente que nos rodeia e a forma como respondemos a esse meio.

http://www.brucelipton.com/


Fonte da imagem

Pesquisas no cérebro humano, como as de Bruce Lipton, explicam que para um indivíduo normal, temos uma proporção de 200 mil neurônios conscientes para 4 bilhões de neurônios inconscientes.

Se pensamentos são luz que se propagam em ondas, inevitavelmente em algum momento, por ressonância, eles vão levar ao encontro de outras energias que vibrem na mesma sintonia. Assim, cuidado com o que pensa. Quer viver experiências agradáveis ou desagradáveis? Acreditando ou não, você é responsável pela sua vida. Observe a natureza de seus pensamentos. E que seu coração possa falar mais alto através deles, criando para você um mundo colorido e mais bonito.


Oficinas Culinárias com o Dr. Alberto P. Gonzalez em Belo Horizonte

Os ensinamentos dos essênios do deserto da Palestina e trazidos por Jesus de Nazaré serão apresentados na palestra:

"Os Sete Níveis da Paz"
que será proferida pelo Dr. Alberto P. Gonzalez

DOMINGO

dia 29 de abril, às 18 horas, no LAM-RIM

Contribuição R$ 21,00

Com apostila R$ 28,00

Oficinas Culinárias

SEGUNDA-FEIRA

1. Fermentando sem fungos ou álcool *

dia 30 de abril, segunda-feira das 10:00 às 12:00

Alimentos fermentados por bactérias saudáveis e seus efeitos benéficos sobre nossa saúde – fundamentais na manutenção do hábito "vivo"

a) Preparação de três diferentes receitas de "sauerkraut" (ervas azedas).

b) Características equilibrantes dos doshas Vata, Pitta e Kaph.


INTERVALO DE ALMOÇO - A Oficina da Semente BH oferecerá almoço com néctar, prato amornado e sobremesa por R$ 12,00.

2. Prensagem e salinização – o cozimento manual *

dia 30 de abril, segunda-feira das 14:00 às 16:00

Tornando macias e digeríveis hortaliças ricas em celulose e mantendo o nível enzimático – e paladar! - dos alimentos

a) Preparação de três diferentes receitas de prensados salinizados.

b) Balanceando o sabor: os seis temperos e como usá-los.



TERÇA-FEIRA (FERIADO)

3. Germinando nova vida – Amornados *

dia 1O de maio, terça-feira das 10:00 às 12:00

A revolução das sementes e brotos. Preparando com amor: os amornados com sabores tipicamente brasileiros

a) Preparação de três diferentes receitas brasileiras de amornados.

b) Germinação de cereais e leguminosas. Descobrindo as versões vivas dos pratos típicos.

c) Desafio mineiro: "feijão tropeiro vivo".

INTERVALO DE ALMOÇO - A Oficina da Semente BH oferecerá néctar e sobremesa por R$ 7,00 - para acompanhar os pratos amornados, preparados pelo grupo


4. Lanches e Petiscos *

dia 1O de maio, terça-feira das 14:00 às 16:00

Poupando crianças e adultos de alimentos tóxicos. Receitas práticas para levar à escola ou ao trabalho.

a) Preparação de milk-shake. Sanduíche vivo.

b) Cookies de aveia e linhaça; barrinha de cereais

c) Desafio mineiro: "pão de queijo vivo".

*Duração de duas horas– investimento R$ 77,00 por pessoa /por oficina

RELATÓRIO DE DADOS

Assunto: PALESTRA E OFICINAS EM ALIMENTAÇÃO VIVA

"BASES FISIOLÓGICAS DA TERAPÊUTICA NATURAL "

Nome: Dr. Alberto Peribanez Gonzalez, 46 anos

Profissão: Médico e Professor de Fisiologia Cardiovascular, Respiratória e Neurofisiologia do curso de Medicina da Universidade Estácio de Sá

Coordenador do projeto científico Oficina de Alimentos Funcionais " Oficina da Semente" e do curso de extensão Bases Fisiológicas da terapêutica Natural e Alimentação Viva todos nesta mesma Universidade

Mestrado e doutorado no Instituto de Pesquisa Cirúrgica de Munique, Alemanha

Autor do livro "Lugar de Médico é na Cozinha" (Ed. Rio/ Saraiva, 2 a edição, 2006)

Consultas médicas serão realizadas no Instituto LAM-RIM nos dias 29/04 e 02/05. Agendamento prévio no telefone do Instituto .

Informações e Reservas

Instituto LAM-RIM

Rua Jequitibá 50 - Vale do Sereno
Nova Lima / Belo Horizonte
Cep: 34000-000 Telefone: (31) 3286.3089
instituto@lamrim.com.br

www.lamrim.com.br

"Devemos entender a Paz não apenas como a ausência de guerra.

A Paz é a chave para todo o conhecimento, para todo o mistério e para toda a vida.

A Paz repousa no coração do silêncio.

E quando nos alimentamos, devemos estar em Paz, para que a digestão seja um processo de comunhão com as forças da vida.

"Os Sete Níveis da Paz" é uma palestra instigante e participativa que discute o que é a única chance de sobrevivência da humanidade"

Dr. Alberto P. Gonzalez
Para inscrições:
No Instituto LAM RIM
ou depósito bancário após ligar para reserva de vaga.
Conta corrente: 033009
Agência: 4148
Banco Itau em nome de Mário Henrique Silva Velloso

Comer carne ou matar uma planta?



Uma alimentação saudável e respeito incondicional com os animais. Essa turma sempre passa longe de churrascos e, se ficarem neles, se contentam com um pãozinho com vinagrete.

Enfim, esta opção de abstrair a carne do dia-a-dia é encarada como alienação para muitos, afinal o animal está ai para ir para o prato – para que reduzir o elo da cadeia alimentar? Hambúrguer de soja?

Uma das razões que os vegetarianos de plantão alegam é que os animais sofrem nas mãos da indústria agropecuária. Ficam confinados e preparados desde o começo de sua vida ao abate. E o principal: Não matar animais! Não Agora quem come carne rebate com o pretexto que os vegetais também sofrem. A alface está ali indefesa, sem ter para onde fugir... Existem até movimentos a favor do consumo de carne.

Travis Baker a espera do próximo alface

Travis Baker a espera do próximo alface



Na musica temos vários exemplos de proteção aos animais, pessoas que adotaram uma dieta à base de alface. Como os irmãos Madden do Good Charlotte e o vocal Billy Martin também se tornaram adepto pela causa sem carne.

O Blog do Site conversou com Rodrigo, vocalista da banda capixaba Dead Fish, que é vegetariano para falar sobre este tema.

mtv.com.br - Você tem alguma dificuldade para arrumar lugares vegetarianos para saciar a fome?
Rodrigo - Quando eu morava no Espírito Santo era difícil. Agora em São Paulo, na região central tem sete opções para comer pertinho de casa. Tem muita gente preguiçosa em levar a sério.

mtv.com.br – E quando você decidiu se tornar um vegetariano?
Rodrigo - Eu tinha 17 para 18 quando eu parei de comer carne. No primeiro ano eu parei de comer carne vermelha, e no ano seguinte eu já não conseguia comer outras carnes.

Surfista, vegetariano e cantor nas horas vagas

Surfista, vegetariano e cantor nas horas vagas



mtv.com.br- Por que?
Rodrigo - Minha família é super carnívora. Meus irmãos sempre fazem uma picanha ou comem uma bela feijoada. Decidi me tornar vegetariano dois dias depois de uma feijoada, nunca me fez bem. Nessa fase montei uma banda de hardcore, de punk rock e já tinha o vegetarianismo envolvido com a cena. Depois descobri que também é uma postura política. Ser vegetariano é estar ecologicamente mais correto. Entrar em contato com outras espécies. Não ficar nesta pose eterna de que o homem é o dono da situação que desrespeita tudo e todos.

mtv.com.br - Fale de alguma banda que você gosta e que tenha algum vegetariano(a).
Rodrigo - Começo com o Ian Mckaye (Fugazzi /Minor Threat), tem o Michael Stipe do R.E.M, tem muita gente! A mina do Pretenders a Chrissie Hynde, a Rita Lee, o Japinha do CPM22 e muitos outros.

Nessa linha de abstenção e valorização de causas temos diversos movimentos coligados ao vegetarianismo, como o veganismo (que não consomem ou usam de nenhum jeito, de origem animal).

Como podem matar um bicho tão bonitinho

Como podem matar um bicho tão bonitinho



E uma nova front que surge o freeganismo - “free” (livre, em inglês) + vegan. Para ter uma vida melhor os “freegans” defendem um estilo de vida privado do consumo exacerbado e adotam alternativas para um cotidiano melhor como os squats (lugares abandonados onde se torna centros comunitários e moradia para todos, o que deveria ser na prática um direito e não uma regalia – essa prática na Europa é antiga e é geralmente relacionada com o movimento punk)

Vegetariana e contra os rodeios

Vegetariana e contra os rodeios

Fonte: MTV Brasil


Iluminação

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E, então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que a minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra as minhas verdades.
Hoje sei que isso é... Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.

Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável ... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo.De início, minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer ter sempre razão e, com isso, errei muito menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o Futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.

(autor desconhecido)
sexta-feira, 20 de abril de 2007

Espinafre - ácido oxálico e companhia...

O espinafre cru não faz mal como o cozido(refogado, assassinado...rsrsr, etc) - já que o ácido oxálico na sua forma orgânica(crua) pode até ser benéfica para os intestinos pois ajuda nos movimentos peristálticos do mesmo. O ácido oxálico liga-se ao cálcio quando se coze o espinafre e debilita o corpo do mesmo.

Fonte: Dr. Norman W. Walker um dos maiores especialistas em terapia de sucos/sumos (mais de 70 anos de pesquisa)

Na realidade a melhor forma de entendermos a questão é olharmos para o caso do sal - se for refinado faz mal - se for marinho, cru - pode beneficiar pela sua quantidade de minerais essenciais.

O sabor das verduras


Em relação ao sabor dos crus - desmistifiquei isso durante 5 anos de experiência pessoal com alimentação crua - até as couves cortadas fininhas e bem temperadas são excelentes.

Em relação aos agrotóxicos - eles podem ser mais nocivos também depois do alimento cozido pois a sua concentração costuma estar nas fibras que passam através do organismo sem serem digeridas quando comemos os alimentos crus. Na cozedura esses químicos podem se libertar mais facilmente e até se concentrarem.

Mas apesar dos poucos estudos apontarem para gente mais saudável quando come cru - ainda vai levar muito tempo para mudarmos os hábitos - estamos de facto "agarrados" à tradição e aos miminhos(carinhos desnecessários) que nos viciam - eu falo assim mas também tenho ás vezes saudades de certas comidas caseiras - toda essa informação ficou gravada durante o crescimento.
Segundo Bruce Lipton (professor de medicina e especialista em células esteminais e gestação) a informação começa a ser gravada ainda no útero e prolonga-se até aos 6 anos quando começamos a entrar em piloto automático, ou seja, tudo o que aprendemos até essa idade vai dominar a nossa conduta a partir dai.

Se tentarem pelo menos comer um pouco de cru antes das refeições já vão beneficiar imenso pois assim enganam o sistema. Isso acontece porque cada vez que comemos cozidos o corpo os ataca provocando uma leucocitose (leucemia - ataque de glóbulos brancos) - com os crus isso não acontece - já para não falar nas enzimas que nos ajudam em tudo e são totalmente destruídas com a cozedura. 50% das proteínas são também destruídas, a maioria das vitaminas desaproveitadas - enfim - grande capacidade tem o nosso corpo - é de facto uma máquina perfeita - que mesmo com todas essas privações consegue sobreviver.

Mas sobrevive à custa de muito sacrifício, quando a vida é para ser cheia de energia...

É tudo uma questão pessoal de escolha - mas vale a pena pelo menos - aprendermos e se possível melhorarmos pelo menos os hábitos dos nossos filhos pois eles não tem culpa da teimosia e ignorância da sociedade onde nasceram.

Para uma mãe amamentando essa responsabilidade é maior e eu fico solidário com quem não consegue mudar - mas vale a pena um esforço.

Muitas das vezes não gostamos de crus porque não fomos habituados mas também porque estamos "viciados" em sabores artificiais. Há medida que vamos comendo mais crus começamos a ficar mais sensíveis - as papilas gustativas começam a ficar libertas da saturação dos sabores desnaturais e começamos a apreciar algo subtil que é a vibração dos alimentos - essa vibração existe e já foi fotografada por um engenheiro da NASA com fotografia Kirlian mas isto é tudo uma questão de acreditarmos no que queremos acreditar ou naquilo que nos querem fazer acreditar.

POR QUE PODEMOS VIVER 120 ANOS?


Encontre a resposta com resultados adquiridos em uma boa alimentação

Por Erik Frontier

O Antigo e o Novo Testamento fazem parte de um livro já há muito tempo conhecido por todos nós - a Bíblia. No entanto, muitas pessoas acreditam que os pergaminhos aramaicos conhecidos como Escrituras Apócrifas também deveriam fazer parte dela. O Vaticano não reconhece a autenticidade desses pergaminhos, mas eles estão armazenados em suas bibliotecas para consulta. E o que neles está escrito? Num dos evangelhos apócrifos escritos por João encontramos o seguinte:
"(...) Não matem nem homens nem animais e também não destruam os alimentos para colocá-los em suas bocas. Somente alimentos vivos, podem dar vida. Quem mata para obter seu alimento, será morto pelo próprio alimento. A vida procede somente da vida e da morte não pode sair nada, a não ser, a própria morte. Tudo aquilo que mata seu alimento, mata também seu corpo. E tudo aquilo que mata seu corpo mata igualmente sua alma".

E então? O que estas antigas palavras nos trazem de novo? Antes de falar sobre as palavras de João, vou contar-lhes a seguinte história:
Até hoje em minha rua existe um senhor que caminha com um cachorro todas as manhãs. Seu nome é José. Um dia, conversando com ele, contou-me que sua bisavó - uma imigrante italiana que morava no estado do Espírito Santo - havia morrido com 130 anos. Mercedes morreu descascando milho - disse ele - simplesmente apagou - sem dor, sem grito - morreu como um anjo. Em toda sua vida, ela nunca teve problema nos ossos, na coluna, no coração, nos rins ou de memória. Enxergava muito bem e fazia todas as tarefas normalmente. Vivia numa pequena roça, cuidava das galinhas, das vacas e da plantação. Só consumia o que plantava. Pegava as frutas do pé, as verduras da terra e comia tudo fresquinho. Só bebia a água do rio e respirava o puro ar das matas. Viveu sem conhecer a doença e morreu continuando a não conhecê-la.

E nós? Por que - a grande maioria dos cinqüentões ou cinqüentonas - já fica ofegante ao subir os degraus do primeiro para o segundo andar de um prédio? Dona Mercedes podia subir, pelas escadas, todos os 10 andares sem ficar cansada. Por que qualquer mudança de tempo nos deixa resfriados? Por que a maior parte das pessoas começa a usar óculos a partir dos quarenta? Dona Mercedes nunca usou lenço e, muito menos, óculos. Enfim, qual era o seu segredo? Energia vital.

Mesmo que nós compremos os assim chamados produtos orgânicos (sem agrotóxicos, transgênicos ou qualquer tipo de química) eles dificilmente terão energia vital. Dona Mercedes colhia e comia na hora. Nós não colhemos nada e quando compramos uma alface, uma manga ou aipim no supermercado, com certeza, se tentarmos tirar uma foto kirlian (método fotográfico que registra a energia vital) desses alimentos, tal foto simplesmente sairá escura. Isso acontece porque os alimentos só conseguem manter sua energia vital até 6 horas depois de colhidos. E então? A manga que você comprou no supermercado, há quantos dias já estava lá?

Quando eu era pequeno, as casas que as pessoas moravam eram enormes, sempre tinham quintal. No quintal da minha avó tinha um pé de carambola, dois coqueiros, uma goiabeira e três pés de manga. As pessoas tentavam trazer o campo para a cidade, talvez, porque soubessem, inconscientemente, que precisamos comer alimentos recém-colhidos (alimentos vivos). Na rua onde eu morava, só havia dois prédios, hoje só há duas casas. Vivemos numa selva de pedra, ou melhor, de tijolos e cimento. E então, o que fazer? Retornar para a vida no campo - como fez um amigo - ou tentar encontrar outra saída?

Na verdade, ninguém precisa comprar um pequeno pedaço de terra para começar a plantar e colher. Mesmo que moremos num kitchenette todos nós podemos obter energia vital. O método é bastante simples: adquira alguns grãos (lentilha, grão-de-bico, trigo, amendoim) e coloque cerca de 3 punhados dentro de um recipiente com água por cerca de 8 horas. Depois disso, escorra a água e deixe-os expostos ao ar por mais 8 horas. Você observará que eles começarão a nascer (irá surgir o que chamamos de narizinho). O narizinho é a raiz que se aprofundará na terra. Esta fase de desenvolvimento da semente é chamada de germinação. O grão germinado, como é conhecido, tem seu potencial ampliado em cerca de 20.000 vezes e tem tanta energia vital que se nossos olhos conseguissem captar a mesma imagem da fotografia kirlian veríamos em nossa cozinha um pequenino céu, cheio de pequenas estrelas. Podemos consumir essas "pequenas estrelas" exatamente como estão, pois todas estão bem macias e se estão macias, obviamente, não é necessário cozinhá-las. Quem fizer isso, matará a todas e, conseqüentemente, perderá a tão preciosa energia vital.

E então, como o céu de nossa boca irá brilhar? Como poderemos encher de luz nosso corpo, ou melhor, nossa vida, nossa alma? Nada de fogo, nada de fogão, apenas adicione "essas estrelas" (essa vida) em seu prato de comida. Coma o que quiser, mas não deixe de acrescentar os grãos germinados, por exemplo, de trigo. Com o tempo você observará pequenas transformações nos seus hábitos alimentares, haverá mudanças na forma como você vê o mundo e a si mesmo. Você terá mais disposição, levantará mais cedo e viverá cheio de entusiasmo (essa palavra deriva do grego en Theo que significa aquele que tem Deus - Theo - dentro de si). Então, quando você pegar a Bíblia e ler em Gênesis 6,3 que o tempo do homem é de 120 anos, você não achará mais que isso é algum tipo de erro de tradução, ou que esse tempo de vida era específico para o homem daquela época (esse tempo é válido para todos nós). Se você for a Índia e encontrar algum livro do sábio Parasara Muni também não ficará achando que ele era algum tipo de louco - se passando por sábio - só porque dizia que podemos viver 120 anos. Também quando você estiver estudando biologia e o professor disser que o tempo de vida de uma espécie é calculado multiplicando-se por 6 a idade em que ela pára de crescer, você não achará que paramos de crescer aos 14 anos, só porque sua vó morreu aos 84, quase cega, numa cadeira de rodas, cheia de dores na coluna e nas articulações. Nós paramos de crescer aos 21 anos (21 X 6 = 126) e, portanto, temos de viver, no mínimo, 120 anos. Mas é viver esse tempo com saúde, viver como Dona Mercedes.

Essa senhora era cheia de vida e obviamente, você já deve ter percebido que presença de energia vital na comida, é sinônimo de presença de vida e, exatamente, por isso, esse tipo de alimento é chamado de alimento vivo.
Agora podemos compreender as palavras apócrifas de João: "(...) Somente alimentos vivos [ou seja, alimentos com energia vital], podem dar vida". E quais são os alimentos vivos? As verduras, frutas e os legumes colhidos e consumidos crus num espaço de 6 horas (possível somente para quem mora no campo ou tem horta em casa) ou os grãos germinados (possível para qualquer um).

Na verdade, a introdução dos grãos germinados em nossa vida é, simplesmente, a ponta do iceberg de muitas mudanças, não só em nosso corpo (você vai emagrecer e ao mesmo tempo vai começar a se tornar uma pessoa mais ativa), como também em toda a nossa sociedade. Você pode até achar estranho, mas a verdade é que a violência das grandes cidades pode começar a diminuir porque, como alguém disse: "Somos o que comemos". Ser significa literalmente ser vivo. Quanto mais você é, quanto mais original você for, mais vivo será, mais conectado com Deus estará. A grande riqueza de Dona Mercedes era a energia vital que, sem saber, ela colhia de sua própria terra e também o agradecer a Deus, que ela nunca deixou de fazer, por cada nascer do Sol, por cada plantinha que brotava, por cada fruta. O mito do elixir da juventude ou da imortalidade pode, na verdade, não ser um mito. Tudo se resume em colocarmos em nossos sucos ou pratos de comida, os grãos germinados. E, é claro, antes de comer, nunca esquecermos de ofertar esta preciosa dádiva a Deus, agradecendo - em oração - pela refeição de cada dia. Assim todo dia será dia de comemorar (comer e orar).

Tudo isso explica a idade de Dona Mercedes, explica porque podemos viver 120 anos ou mais com saúde. Então, por que acreditar que só podemos viver até aos 60 anos "bem" e até aos 80 "bem mal"?
Se você quiser saber mais sobre ser ou não ser, sobre antioxidantes, ervas e alimentos que ajudam a desintoxicar e a rejuvenescer nosso corpo, ou sobre o que comer ou não comer, principalmente, sobre aqueles alimentos que achamos que nos fazem tão bem, quando na verdade, nos fazem envelhecer e - como disse João - "matam" nossa alma, adquira o livro Porque Podemos Viver 120 Anos. Eu devo esse livro a Deus, à Grande Mãe-terra, aos grãos germinados - e a todas as pessoas que - direta ou indiretamente - difundem todo e qualquer tipo de conhecimento sobre nossa verdadeira alimentação e bem-estar.

Erik Frontier

O ego é a roupa da alma

Sempre que usamos de disciplinas espirituais para manter a nossa identidade e segurança, estamos servindo os interesses do nosso ego. Na realidade criamos um embrulho da caixa onde estamos em vez de sair dessa caixa. Colocamos grades novas e mais fortes na nossa prisão.

Se bem que possamos observar todas estas partidas do nosso ego, não vale a pena sermos duros com nós próprios. Estando conscientes do que se passa é a melhor forma de nos libertarmos da prisão dos jogos da nossa mente. O importante é estarmos atentos aos medos característicos da nossa personalidade, e abrir-mo-nos ao Amor, à sabedoria e ao poder manso que existe dentre nós e descobrirmos assim quem realmente somos.

Segundo Krishnamurti:

Se realmente examinarmos o nosso coração, muitos de nós veremos que buscamos segurança, conforto, lugares seguros, e com essa busca envolvemo-nos com filosofias, gurus, sistema de disciplinação pessoal...durante esses esforços para escapar ao medo, começamos a nos esconder por detrás de crenças, e assim aumentamos o nosso egotismo pensando aumentar a nossa consciencia; acabamos por crescer assim mais devagar...



"Todos querem ser alguém; ninguém quer crescer."

- Johann Wolfgang von Goethe

Assim passamos a maior parte da vida colocando a máscara daquilo que queremos mostrar aos outros - daquilo que é a nossa programação, cheia de limitações.

Acabamos sabotando a vida com toda esta "tralha" que carregamos.
Acreditamos que não valemos mais pois é assim que nos foi ensinado. Na realidade podemos ser tudo aquilo que quisermos - basta escutarmos a voz interior para que tenhamos o maior poder do mundo. Só que esse poder é manso e só se manifesta quando deixamos de lado o julgamento, dos outros e de nós próprios.

Escondemo-nos por detrás dos diplomas, nos troféus das competições, dos empregos bem pagos, dos bens materiais, etc, ficamos tão viciados no poder e no ter que acabamos por não nos aperceber que estamos vivendo - ficamos sempre focados no passado ou no futuro, quando o poder maior está no agora, no deixar acontecer cada segundo num momento de criação. Na realidade é tão simples que parece tão difícil - basta deixar acontecer - basta deixar as nuvens do passado passarem e deixar os raios de sol brilhar - é assim que acontece na natureza e tudo é perfeito se não nos opormos a essa naturalidade.

E o alimento maior que nos nutre é a sabedoria que vem de dentro de nós.

Luís Guerreiro